Olhares da História 2 Brasil e mundo



Baixar 3,11 Mb.
Página473/678
Encontro01.06.2019
Tamanho3,11 Mb.
1   ...   469   470   471   472   473   474   475   476   ...   678
313

Atividades

Retome - tópicos 1 a 3

1 Alguns fatores que caracterizaram a situação da Europa entre os séculos XIV e XV: a peste negra (comente que a doença era transmitida aos seres humanos por pulgas de ratos contaminados com a bactéria Pasteurella pestis; segundo alguns pesquisadores, a doença pode ter dizimado cerca de um terço da população europeia à época), a Guerra dos Cem Anos (conflito entre a França e a Inglaterra, ocorrido entre 1337 e 1453, que ocasionou grande número de mortes de ambos os lados), a desorganização da produção agrícola (comente que o esgotamento dos solos, a baixa produtividade agrícola e as mudanças nas relações de trabalho levaram à falta de alimentos e à fome), a interrupção de rotas comerciais terrestres e a falta de moeda (já que as minas de ouro e prata da Europa estavam se esgotando e a maior parte dos recursos financeiros europeus era investida no comércio com o Oriente).

2 a) Cidades italianas, especialmente Veneza, controlavam o monopólio das rotas comerciais no mar Mediterrâneo. b) Esse monopólio acabava por limitar a possibilidade de lucros de outras cidades da Europa, que também desejavam participar do importante comércio de especiarias e artigos de luxo vindos do Oriente. É esperado que os alunos identifiquem a relação entre a dificuldade que os reinos ibéricos enfrentavam ao tentar realizar o comércio com o Oriente por meio das rotas marítimas no Mediterrâneo e a necessidade de buscar novas rotas para tal atividade. Desse modo, a navegação pelo oceano Atlântico (ou seja, a busca por um novo caminho para chegar ao Oriente) foi a solução encontrada por portugueses e espanhóis para resolver o problema.

3 Enfrentar viagens marítimas pelo oceano Atlântico constituía, à época, uma tarefa que exigia altos investimentos (em embarcações, tripulação, estudos de navegação, instrumentos, etc.). Mas, no caso de Portugal, que havia passado por um processo precoce de centralização monárquica, havia uma situação favorável: o poder político, concentrado nas mãos do rei, estava aliado aos interesses do setor mercantil. Por sua vez, esse setor mercantil estava bastante interessado em investir nas viagens marítimas. Esse contexto também foi intensamente favorecido pelos estudos náuticos liderados por dom Henrique, o Navegador (1394-1460).

4 O marco inicial da expansão marítima europeia foi a tomada de Ceuta (cidade no norte do continente africano, situada à entrada do Mediterrâneo) pelos portugueses, em 1415. É esperado que os alunos identifiquem, ao retomar os conteúdos do capítulo, uma série de viagens marítimas realizadas pelos portugueses logo após a tomada de Ceuta, como a ocupação do arquipélago dos Açores (entre 1418 e 1432), a viagem de Gil Eanes, em que a expedição dobrou o cabo Bojador (em 1434) e a descoberta do arquipélago de Cabo Verde (em 1456). Posteriormente, em 1488, Vasco da Gama chegou a Calicute, na Índia. E, em 1500, Cabral chegou ao litoral do Brasil.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   469   470   471   472   473   474   475   476   ...   678


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal