Olhares da História 2 Brasil e mundo



Baixar 3,11 Mb.
Página411/678
Encontro01.06.2019
Tamanho3,11 Mb.
1   ...   407   408   409   410   411   412   413   414   ...   678
275

Para saber mais

Boxe complementar:



As causas da guerra: um tema polêmico

Existem diversas visões sobre as causas da Guerra do Paraguai. Algumas delas seriam:

- a ocupação do Uruguai pelo Império brasileiro, que impunha riscos para o equilíbrio do Prata, enquanto o Paraguai defendia a livre navegação nos rios (versão paraguaia);

- a agressão militar por parte do Paraguai (na invasão do Mato Grosso e Corrientes); o despotismo e as ambições políticas de López;

- os interesses econômicos da Inglaterra, que pretendia submeter o modelo econômico autossustentável do Paraguai e conseguir sua abertura aos produtos ingleses;

- fatores como a persistência da indefinição das fronteiras, a inabilidade da diplomacia paraguaia, a imposição da hegemonia regional do Brasil e da Argentina, etc., conforme apontam as pesquisas historiográficas mais recentes.

Fim do complemento.

O estopim para o conflito foi a intervenção brasileira no Uruguai e a reação de Solano López a ela. Contando com um Exército mais numeroso do que o brasileiro, López tomou a ofensiva ao ordenar o aprisionamento do navio brasileiro Marquês de Olinda, no rio Paraguai. A resposta brasileira foi o imediato rompimento de relações diplomáticas com o Paraguai, seguida do revide paraguaio e da declaração de guerra.

Mantendo-se na ofensiva, o Paraguai invadiu o Mato Grosso e o norte da Argentina. Em seguida, os governos do Brasil, Argentina e Uruguai criaram a Tríplice Aliança contra Solano López.

No início, o Paraguai obteve algumas vitórias, mas o país contava com uma população menor do que a de seus adversários e não resistiu a uma guerra prolongada. Além disso, os integrantes da Tríplice Aliança contaram com o apoio inglês, por meio do recebimento de empréstimos para equipar e manter seus Exércitos.

A vitória brasileira sob o comando do almirante Barroso na Batalha do Riachuelo, em 1865, levou à destruição da frota paraguaia. A partir daí, as forças da Tríplice Aliança passaram a ter a iniciativa na guerra, controlando os rios, principais meios de comunicação da Bacia Platina, até a vitória definitiva, em 1870.

O Exército brasileiro, que até então praticamente inexistia, forneceu o maior número de soldados para as tropas da Aliança. Em janeiro de 1865, por decreto imperial, foram criados os corpos dos Voluntários da Pátria, com vantagens de soldo e gratificações para cidadãos entre 18 e 50 anos que se alistassem. Enquanto boa parte da elite resistia em ir para a guerra, populares engrossaram as tropas, chegando rapidamente a 10 mil voluntários, total programado pelo governo.

Glossário:

soldo: remuneração a militares de qualquer posto ou graduação. Origina-se do nome de uma moeda de ouro que circulava no Império Romano.

Fim do glossário.

Para ampliar o contingente de soldados, em novembro de 1866 decretou-se que os escravos que voluntariamente se apresentassem para lutar na guerra obteriam a liberdade. Muitos se alistaram dessa maneira, mas outros foram obrigados a fazê-lo no lugar dos filhos de seus senhores que haviam sido convocados. Esses soldados, recrutados à força, receberam, depois, o apelido de voluntários a pau e corda. Junto a eles, outro grupo se destacou em meio aos confrontos: os indígenas (veja o boxe Leituras na próxima página).

O Paraguai resistiu cerca de cinco anos a uma guerra que devastou seu território e desestruturou sua economia. O conflito causou a morte de mais de 300 mil pessoas, número que nas Américas só foi inferior às perdas humanas da Guerra de Secessão, nos Estados Unidos.

Além das mortes em combate, epidemias disseminaram-se, principalmente a de cólera, e atingiram os homens de ambos os lados. Acrescente-se ainda que os governos da Tríplice Aliança adotaram uma política genocida contra a população paraguaia. Acredita-se que a Guerra do Paraguai tenha sido responsável pela morte de mais de 90% da população masculina paraguaia com mais de 20 anos. Entre os sobreviventes predominavam idosos, crianças e mulheres.

A guerra provocou um endividamento do Brasil com o governo inglês, além de causar a morte de cerca de 40 mil brasileiros (sobretudo negros e mestiços). Também manteve o equilíbrio de forças na Bacia do Prata, embora a um preço exorbitantemente alto, dadas as grandes perdas geradas pela guerra. Internamente, a principal consequência da Guerra do Paraguai foi o fortalecimento e a institucionalização do Exército brasileiro.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   407   408   409   410   411   412   413   414   ...   678


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal