Olhares da História 2 Brasil e mundo



Baixar 3,11 Mb.
Página382/678
Encontro01.06.2019
Tamanho3,11 Mb.
1   ...   378   379   380   381   382   383   384   385   ...   678
256

Pontos de vista

Cheikh Anta Diop: um historiador africano

Cheikh Anta Diop

Nascimento: 1923, Thieytou, Senegal

Morte: 1986, Dacar, Senegal

Formação: historiador, antropólogo, físico nuclear e político

Profissão: professor na Universidade de Dacar, Senegal.

FONTE: Reprodução/Arquivo da editora

Cheikh Anta Diop foi um dos principais intelectuais africanos do século XX, graças aos seus estudos sobre a história do continente e, em especial, sobre a importância das culturas negras para o desenvolvimento das sociedades humanas.

Membro de uma família aristocrática da etnia wolof foi para Paris em 1946, aos 23 anos de idade, para estudar Física e Química. Na França, iniciou também estudos em História e Ciências Sociais. Em 1951, apresentou uma tese na Universidade de Paris que tratava da importância da cultura negra na formação do Egito antigo, mas a instituição a recusou.

Em 1954, contudo, Diop publicou o livro Nações negras e cultura. Baseado no estudo do fenótipo dos antigos egípcios (como cor da pele, tipo de cabelo, nariz e lábios), nas informações antropológicas sobre o papel do matriarcado e nos achados arqueológicos, ele argumentava que a cultura egípcia era uma cultura negra.

O estudo alcançou grande repercussão e provocou debates acalorados, pois contrariava as concepções europeias que atribuíam papel secundário aos povos negros. Diop, junto a outros intelectuais africanos na Europa, tornou-se membro atuante do pan-africanismo, movimento político que defendia a unidade dos países africanos em oposição à dominação imperialista.

No ano de 1960, obteve o título de doutor em História e concluiu seus estudos em Física Nuclear, no Laboratório de Química do Collège de France, uma das instituições mais renomadas da França. No mesmo ano, retornou ao Senegal para ministrar aulas na Universidade de Dacar, instituição que, atualmente, leva o seu nome.

Ainda em 1960, o Senegal tornou-se independente da França, e Diop participava da criação de um partido político, o Bloco das Massas Senegalesas, liderado por Léopold Sédar Senghor (1906-2001). Senghor foi um dos mais célebres escritores pan-africanistas e tornou-se presidente do país naquele ano, permanecendo no poder até 1980.

Para além de sua atuação política, Cheikh Anta Diop fundou, em 1966, o primeiro laboratório de datação de fósseis por meio do radiocarbono. A partir de novas amostras da pele de múmias egípcias, encontrou novas evidências que corroboraram sua tese. No mesmo ano, durante o 1º Festival das Artes Negras, em Dacar, Diop foi considerado o escritor que mais teria influenciado o pensamento africano do século XX.

Nos anos 1970, integrou o comitê científico que dirigiu, pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), a coleção História Geral da África, publicada em oito volumes e em diversos idiomas, incluindo o português. Diop escreveu o capítulo sobre a origem dos egípcios.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   378   379   380   381   382   383   384   385   ...   678


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal