Ofício nº 16/99 goe aplo



Baixar 0,97 Mb.
Página14/14
Encontro10.08.2018
Tamanho0,97 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14
Sala

Qtde

Área (m2)

Unitária

Total

Docentes

28

15,19

425,32

Chefia

01

10,24

10,24

Secretaria

01

43,89

43,89

NAC-DEC

01

45,57

45,57

NAC-Estruturas

01

10,24

10,24

NAC-Geotecnia

01

10,24

10,24

NAC-Hidráulica e Saneamento

01

10,24

10,24

NAC-Transportes

01

10,24

10,24

NAC-Pós-graduação

01

30,38

30,38

Reuniões

01

42,25

42,25

Seminários

01

40,96

40,96

Aula

01

15,19

15,19

Alunos da Pós-graduação

04

7,44

29,76

Centro Acadêmico

01

7,44

7,44

Xerox

01

6,93

6,93

Servidor

01

15,19

15,19

Arquivo Morto

01

15,19

15,19

Zeladoria

01

7,44

7,44

Cozinha

01

10,19

15,19

Vigilância/Depósito

01

5,00

5,00

Banheiro Feminino

01

6,65

6,65

Banheiro Masculino

01

150,50

150,50


Corredores e Halls

-

245,95

245,95

Á R E A T O T A L D O D E C ( m2 )

1.400,00

Legenda: NAC: Núcleo de Apoio Computacional.


No interior do Campus I de Ilha Solteira estão localizados os Laboratórios Didáticos e de Pesquisa do Departamento de Engenharia Civil, os quais são mostradas no Quadro 6.
Quadro 6. Laboratórios Didáticos e de Pesquisa do DEC.

L a b o r a t ó r i o

Área (m2)

Didático

Central

368,30

Hidráulica

82,15

Saneamento

280,00

Hidrologia

353,05

Topografia

62,00

Arquitetura e Urbanismo

42,23

Pesquisa

NEPAE

242,40

ÁREA TOTAL DOS LABORATÓRIOS (m2)

1.430,13

Legenda: NEPAE – Núcleo de Estudos e Pesquisas da Alvenaria Estrutural.


Nos laboratórios didáticos são ministradas aulas práticas de graduação e algumas da Pós-graduação. São ocupados em tempo integral e esta situação deixa patente a necessidade da construção urgente de novos Laboratórios. Com relação ao Programa de recuperação de Laboratórios Didáticos, implementado durante a gestão da Reitoria anterior, existe a aprovação para construção de um prédio de Laboratório para o Departamento de Engenharia Civil que, aliás, estava previsto para ser concluído em 2006. Este prédio seguramente atenderá momentaneamente a demanda por espaços de laboratórios didáticos para os próximos anos.

Mesmo em condições de restrições de espaço e recursos para substituição e manutenção de equipamentos didáticos, o Departamento vem ministrando as disciplinas sob sua responsabilidade de forma satisfatória. Embora o Programa Recuperação de Laboratórios Didáticos, tenha proporcionado a substituição de alguns equipamentos e a aquisição de outros novos, se faz mister o aumento do número de equipamentos em conseqüência do número de turmas experimentais.

A consolidação do Curso de Pós-graduação em Engenharia Civil e o crescente aumento do número de pesquisas levadas a afeito, têm exigido uma reestruturação das áreas destinadas aos laboratórios de pesquisa.


      1. Departamento de Engenharia Mecânica:

O DEM conta com 4 blocos prediais, sendo 3 blocos (M1, M3 e M4) para abrigar os laboratórios das três grandes áreas de atuação e 1 bloco (M2) para abrigar os alunos de Pós-graduação e o Núcleo de apoio Computacional (NACDEM). O grande desafio do DEM é melhorar a infra-estrutura de equipamentos dos laboratórios para dar apoio às aulas práticas da graduação, sobretudo devido ao aumento do número de alunos, bem como para dar apoio às atividades de pesquisas desenvolvidas pelos grupos. Neste sentido, volta-se a ressaltar a meta do DEM em encaminhar um maior número de projetos de pesquisas aos órgãos de fomento à pesquisa de forma a melhorar essa infra-estrutura de equipamentos, bem como recorrer à Instituição para melhorar as condições dos laboratórios.

      1. Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos:

Com a melhoria do perfil do Corpo Docente e a necessidade de oferecer cada vez mais qualidade no atendimento ao nosso principal público (alunos de Graduação ou de Pós-graduação), em face às exigências do mundo moderno, é imperativo que se busque sempre ampliar e melhorar a infra-estrutura disponível.

Do ponto de vista administrativo, há necessidade de agrupar todos os Docentes, hoje dispersos por uma dezena de locais distintos, em um único prédio é fundamental para a concretização de trabalhos multidisciplinares e a integração entre os pares e ainda para a otimização dos recursos.

No auxílio às atividades de ensino, pesquisa e extensão, a ampliação das condições de trabalho também deve ser um objetivo constante e assim, a nossa meta é incentivar, articular e organizar mecanismos para que o corpo docente elabore projetos para a captação de recursos juntos aos principais órgãos de fomento do país.


    1. Integração Regional

O Campus de Ilha Solteira tem atuado de forma bastante intensa nas relações regionais com prefeituras, pessoas e entidades. É nossa meta continuar com esta política e, especialmente, ampliando o conjunto de parceiros.

    1. Gestão e Administração

      1. Departamento de Física e Química:

O Departamento, através de seus docentes, sempre esteve presente na colaboração com a Unidade ou Universidade nos assuntos administrativos. Desta forma, o Departamento seguramente deverá colaborar ativamente nas variadas instâncias da Universidade.

Tendo como parâmetros as perspectivas de crescimento das Áreas de Física e Química, o DFQ deverá concentrar esforços em:



      • Plano de qualificação docente:

Todos os docentes do Departamento possuem o título mínimo de Doutor. É interesse do Departamento aumentar o número de docentes com titulação de livre-docente, principalmente aqueles vinculados ao Curso de Pós-graduação. Ao fim dos próximos 05 anos é pretensão do Departamento 80 % dos docentes possuírem o título de Livre-Docente e pelo menos 03 professores-Titulares.

      • Plano de crescimento:

  1. Graduação

Propor a criação e implantar o Curso de Bacharelado em Física e o Curso de Química.

Viabilizar a criação e montagem do Exploratório da Ciência e Tecnologia da Energia (EXCITE);



  1. Pós-graduação

Concentrar esforços para a implementação do Doutorado no Curso de Pós-graduação em Ciência dos Materiais e implantação de um programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência na FEIS/Unesp.

Apoiar a criação de novos grupos de pesquisa.



  1. Ampliação do quadro de Docentes

Em função da atual carga horária e com futuras propostas de implantação de novos cursos de graduação, Bacharelado em Física e Curso de Química, tornar-se-á imprescindível a ampliação do quando de docentes do DFQ.

  1. Ampliação do quadro de Técnicos

Em função da carga horária atual e da impactação que futuros cursos de graduação trarão, além de novos grupos de pesquisa o DFQ necessitará de Técnico especializado ou especialmente treinado em informática para apoio às áreas de ensino, de pesquisa e administrativa.

Contratação de Técnicos especializados para o apoio em projetos de pesquisa envolvendo equipamentos multiusuários.



      1. Departamento de Engenharia Civil:

O Departamento, através de seus docentes, sempre esteve presente na colaboração com a Unidade ou Universidade nos assuntos administrativos. Desta forma, o Departamento seguramente deverá colaborar ativamente nas variadas instâncias da Universidade.

Tendo como parâmetros as perspectivas de crescimento de suas cinco áreas, o DEC deverá concentrar esforços em:



  1. Plano de Qualificação Docente

O corpo docente do Departamento possui 96,4% de professores com o título mínimo de Doutor. Portanto, é interesse do mesmo aumentar o número de docentes com titulação de Livre-Docente e, principalmente, ter seus primeiros Professores Titulares. Ao fim dos próximos 5 anos é pretensão do Departamento 75 % dos docentes possuírem o título de Livre-Docente e, pelo menos, 4 Professores Titulares.

  1. Plano de Crescimento

Teve como norteador os itens que seguem.

    • Graduação

Implantar a reformulação curricular, a qual permitirá a formação de profissionais com maior especialização.

    • Pós-graduação

Concentrar esforços para a implementação do Doutorado no Curso de Pós-graduação em Engenharia Civil e criação de novas áreas de pesquisa, permitindo que mais docentes do DEC façam parte da Pós-graduação.

Apoiar a criação de novos grupos de pesquisa.



  1. Ampliação do quadro de Docentes

Frente à elevada carga horária atual e propostas de desenvolvimento de diversas novas pesquisas bem como o aumento do número de publicações, tornar-se-á imprescindível a ampliação do quando de docentes do DEC.

  1. Ampliação do quadro de Técnicos

Em função da carga horária atual e da impactação que um futuro curso de Pós-graduação em nível de doutorado trarão, além de novos grupos de pesquisa o DEC necessitará de Técnicos especializados ou especialmente treinados em informática para apoio às áreas de ensino, de pesquisa e administrativa.

Contratação de Técnicos especializados para o apoio em projetos de pesquisa envolvendo equipamentos multiusuários.



  1. Infra-Estrutura

A construção de novos Laboratórios Didáticos se faz necessários, para atender as necessidades do curso de Engenharia Civil, tanto para a motivação quanto a formação profissional de nossos alunos.

Ampliação do espaço físico para implantação de Laboratórios de Pesquisa para atendimento do aumento da demanda do Curso de Pós-graduação – Mestrado e implantação do Doutorado.

Ampliação do espaço físico com salas de Seminários e Estudos, imprescindíveis á área de Ensino e Didática.

Implantação dos laboratórios de ensino (bancadas e equipamentos).



  1. Exeqüibilidade

Para a realização das metas propostas para o qüinqüênio 2007/2011, o Departamento de Engenharia Civil terá de contar com a efetiva participação e esforço de todo o quadro de Docentes e de Técnicos, com o apoio da Administração do Campus e com a disponibilização de Recursos Humanos e Financeiros por parte da Reitoria da UNESP.

      1. Departamento de Engenharia Elétrica:

Os professores do DEE participam ativamente em atividades de administração universitária tais como as comissões permanentes de apoio à Congregação da UNESP-Ilha Solteira, como membros titulares da Congregação e nas comissões de apoio a Reitoria. Deve-se observar que um professor do DEE já foi Diretor da UNESP-Ilha Solteira. Nos próximos anos esta atividade deve ser continuada.

    1. Exeqüibilidade

      1. Departamento de Física e Química

Para a realização das metas propostas para o qüinqüênio 2007/2011, o Departamento de Física e Química terá que contar com a efetiva participação e esforço de todo o quadro de Docentes e de Técnicos, com o apoio da Administração do Campus e com a disponibilização de Recursos Humanos e Financeiros por parte da Reitoria da UNESP.

4. Considerações Finais

Este documento foi elaborado e aprovado pela Congregação da Unidade dentro de contexto do plano de metas para os próximos cinco anos. Trata-se, em linhas gerais, de uma síntese das principais metas que o CISA-UNESP deseja, notadamente, considerando-se a sua capacidade de realização e o apoio da administração central da UNESP. Desta forma, este plano de metas será o agente inspirador do projeto acadêmico da Unidade, que deverá ser elaborado pela Congregação em tempo oportuno. Este plano foi elaborado tendo em vista o atendimento Ofício Circular 008/2006-RUNESP, (distribuição do cargo de professor titular na UNESP). Conseqüentemente, realizar um maior número possível de concursos de professor titular, constitui-se num importante instrumento para que o Campus possa atingir, de forma satisfatória, as metas pretendidas.




1 Marcos Henrique Dias Silveira pediu demissão no início do mês de junho. Aguardamos reposição.




Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira

Cursos: Agronomia, Ciências Biológicas, Eng. Civil, Eng. Elétrica, Eng. Mecânica, Física, Matemática e Zootecnia.

Avenida Brasil Centro, 56 Caixa Postal 31 CEP 15385-000 Ilha Solteira São Paulo Brasil

pabx (18) 3743 1000 fax (18) 3742 2735 scom@adm.feis.unesp.br www.feis.unesp.br





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal