O secretário de Saúde do Estado, Reginaldo Tavares, fez um balanço positivo das ações desenvolvidas pelo governo Cássio Cunha



Baixar 20,09 Kb.
Página1/6
Encontro23.08.2018
Tamanho20,09 Kb.
  1   2   3   4   5   6

Secretário faz balanço positivo da saúde e diz que melhoria da gestão hospitalar é o próximo passo do governo Cássio Cunha Lima
SES

Ascom

23/12/05
O Secretário de Saúde do Estado, Reginaldo Tavares, fez um balanço positivo das ações desenvolvidas pelo governo Cássio Cunha Lima este ano, com destaque para implantação da tabela de pagamento da chamada Gratificação por Produtividade dos servidores do setor e a regularização da distribuição e dispensação dos medicamentos excepcionais, onde foram investidos em parceria com o Ministério da Saúde cerca de R$ 20 milhões. Também como pontos positivos alcançados este ano, Reginaldo Tavares destacou a retomada de obras deixadas inacabadas pelo governo anterior, a queda da taxa de mortalidade infantil e o inicio do processo de construção do novo desenho do Sistema Único de Saúde (SUS) na Paraíba, e disse que o próximo será melhorar a gestão dos hospitais da Rede Estadual.
“Estamos construindo um novo modelo de assistência à saúde, diferente do praticado no passado, quando recursos foram erroneamente concentrados em alguns poucos municípios, prejudicando assim os demais e o próprio Estado, já que em 2002 a Secretaria Estadual de Saúde tinha um orçamento para atenção hospitalar de R$ 8,8 milhões, e após um processo de municipalização extremamente atrapalhado curiosamente realizado após as eleições daquele ano, essa receita foi drasticamente reduzida a pouco mais de R$ 4 milhões, o que provocou os graves problemas que hoje enfrentamos”, explicou.
Para o Secretário de Saúde do Estado, Reginaldo Tavares, o governo Cássio Cunha Lima age certo ao consertar os erros do passado, quando decide construir um novo modelo de saúde pública, que defina diretrizes e responsabilidades de municípios e Estado quanto o atendimento à população. “Sabemos que a responsabilidade do atendimento não é só do Estado. Aliás, essa é uma prerrogativa muito mais dos municípios, pois são detentores da maior fatia de recursos destinados pelo Ministério da Saúde”, observou ao acrescentar que a cada R$ 100 destinados pelo SUS a Paraíba, R$ 82 são transferidos para os municípios, R$ 16 para o Estado (SES) e R$ 2 para os dois hospitais universitários, sediados, respectivamente, em João Pessoa e Campina Grande.
Na avaliação do Secretário Reginaldo Tavares, 2005 foi um ano proveitoso, “uma vez que estivemos em todas as regiões do Estado discutindo com lideranças políticas e representantes da sociedade civil organizada os problemas e as soluções a serem implementadas para melhorar a prestação de serviços à população”, completou ao revelar que a reformulação da Programação Pactuada Integrada (PPI) e a construção do Plano Diretor Regionalizado serão os próximos passos do governo Cássio Cunha Lima na área da saúde, culminando na melhoria da gestão serviços prestados à população usuária do SUS na Paraíba.
O novo modelo de saúde, resultante das discussões advindas de oficinas micro e macrorregionais, será apresentado este ano através de um verdadeiro pacto entre as três esferas de poder, isto é, União, Estado e municípios, cuja soma desses esforços redundará na nova Programação Pactuada Integrada (PPI) da saúde.



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal