O desenvolvimento da personalidade na idade adulta e na velhice



Baixar 33,55 Kb.
Página1/8
Encontro19.05.2018
Tamanho33,55 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8

O desenvolvimento da personalidade na idade adulta e na velhice
O estudo da personalidade adulta
A entrada na vida adulta ocorre por meio de um processo menos perceptível e mais dilatado do que a entrada na adolescência. Na sociedade ocidental, e até há pouco tempo, o casamento, ou seja, o fato de abandonar a casa dos pais para formar um lar e uma família própria, era um desses índices.

Nas ultimas décadas, esse quadro mudou. As relações sentimentais e sexuais se desenvolvem, frequentemente, à margem do casamento e, inclusive, sem uma convivência em um lar próprio. Relações estáveis entre os casais podem ser estabelecidas precocemente, ate mesmo na adolescência, mas o projeto de constituição familiar é muito postergado.

Atualmente, o que marca a transição para a idade adulta é uma complexa gama de circunstancias: o trabalho remunerado, a autonomia econômica, o desprendimento da família, do lar em que se nasceu, o casamento ou a formação de um casal com vontade de permanência, a formação de uma nova família. No entanto, existem pessoas que não constituem uma relação de casal e que vivem sozinhas durante longas etapas de sua vida adulta.

A terceira idade é a velhice tardia e se encontra em clara continuidade em relação à velhice intermediaria; o processo de envelhecimento não difere, substancialmente, do da maturidade; em ambos ocorre, ou pode ocorrer, o verdadeiro desenvolvimento em direção à plenitude da existência.

A seguir, serão abordados aspectos da personalidade, que é o conceito – ou família de conceitos – do qual a psicologia se serve para refletir e analisar a realidade da pessoa humana: individuo, sujeito de comportamento, um sujeito que não é meramente passivo ou somente reativo, mas sim agente, principio de comportamento, de ações e que funciona – se conduz – em interação com o meio e é capaz de auto-regulação.

A personalidade não é alheia, portanto, o seu próprio desenvolvimento: ela tanto nasce quanto se faz, se aprende e se desenvolve.






Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal