Nome da instituiçÃO em letras maiúsculas sem negrito, centralizado, fonte Arial, 12, na 1ª linha



Baixar 0,69 Mb.
Página18/26
Encontro29.11.2019
Tamanho0,69 Mb.
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   26

2.3 ESTRESSE NA POLÍCIA MILITAR

O reconhecimento do estresse em trabalhos que envolvem risco faz com que haja cada vez mais estudos e adoção de medidas preventivas para evitar o comprometimento da qualidade de vida dos profissionais. Algumas categorias como os policiais militares são facilmente reconhecidas como profissões que correm risco de morte iminente (RESK, 2010).

“A atividade profissional das forças de segurança é considerada uma das ocupações mais estressantes do mundo” (AFONSO; GOMES, 2009, p. 1). Esta constatação se dá devido às funções prestadas por esses profissionais, que vão além dos problemas comuns em outras profissões, como exemplo, o trabalho por turnos e o excesso de horas trabalhadas.

Segundo Spode e Merlo (2006, p. 1):


O trabalho Policial ocupa, portanto, um território de controvérsias, no qual se engendra uma realidade ainda pouco conhecida pela sociedade: a do Policial trabalhador, cuja função é conter a violência, mas que, ao mesmo tempo, corre o risco de reproduzi-la e/ou ser vítima dela.

Uso de termos estrangei-ros e nomenclatura científica, grifar em itálico.
Analisando as palavras dos autores e o ofício dos policias militares não é difícil deduzir que se trata de uma categoria profissional bastante vulnerável a produção de sofrimento psíquico.

Um estudo feito pela Universidade de Minho em Portugal denominado, Stress Ocupacional em Profissionais de Segurança Pública: um estudo com Militares da Guarda Nacional Republicana, teve a participação de 95 militares, e utilizou “ um protocolo de avaliação com medidas do stress global, burnot, coping proactivo1, comprometimento organizacional, satisfação com a vida e satisfação/realização profissional (AFONSO; GOMES, 2009, p. 1). Os resultados apontam que 12% dos policias têm exaustão emocional; 10% possuem grau de cinismo e 8% baixa eficácia profissional.



É possível perceber que da mesma forma que a sociedade exige e necessita de policiais competentes e honestos, comprometidos com os ideários da organização a que pertencem. Estes profissionais precisam, também, ser acompanhados e melhor avaliados no que tange suas condições de saúde, principalmente nos aspectos psicossomáticos, onde o estresse tem um enorme poder de destruição da capacidade de trabalho dos profissionais. A Figura 1 apresenta os Policiais Militares em Treinamento.


Nota explicativa, inserir na parte inferior da folha/página, fonte Arial 10, espaço entre linhas simples, justificado.

Figura 1 – Policiais militares em treinamento


Ilustração / figura (mapas, plantas, gráficos, fotos, tabelas, quadros, desenhos, esquemas, fluxogramas e etc.). Pode-se denominar pelo termo figura ou pelo termo específico da ilustração. Na parte superior devem constar: o título e o número de identificação, na parte inferior a Fonte e o respectivo autor (ano), ambos em fonte Arial 10 e espaço entre linhas simples.

Fonte: Santa Catarina. Policia Militar (2011).




O item MATERIAL E MÉTODOS pode ser exposto em texto único ou separado em subitens. Indicar o tipo, ou gênero de pesquisa; Descrição da população e da amostra; Métodos e técnicas utilizadas; Descrição da coleta de dados (descreva como foi o momento, onde, sob que condições, etc.);



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   26


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal