Não agora a coisa é séria



Baixar 375.77 Kb.
Página1/12
Encontro04.05.2018
Tamanho375.77 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12

Não... agora a coisa é séria”: Fecundidade na adolescência e juventude na perspectiva masculina em Belo Horizonte e Região Metropolitana, Brasil

Resumo

O objetivo deste trabalho é entender os impactos da fecundidade ocorrida na adolescência e juventude sobre a vida de homens residentes em Belo Horizonte e na Região Metropolitana. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com vinte e dois homens entre 21 e 30 anos, que foram pais pela primeira vez na adolescência (entre 15 e 19 anos) ou na juventude (entre 20 e 24 anos). As conversas possibilitaram uma aproximação retrospectiva das trajetórias desses pais, englobando desde o momento do início do relacionamento com a mãe da criança, passando pela notícia da gravidez e a reação das famílias, e chegando à paternidade propriamente dita, tendo em vista o cuidado, envolvimento e convívio atual com o(s) filho(s). Os resultados sugerem que não houve diferença entre os pais que tiveram seus filhos na adolescência e aqueles que tiveram na juventude quanto à reação à notícia da gravidez. A maior parte dos entrevistados fala em “choque” e “susto”. Ao serem questionados sobre como receberiam a mesma notícia hoje, alguns pais afirmaram que, na condição de um filho planejado, a reação seria “mais tranquila” e menos impactante que no passado. No que tange à decisão de morar juntos após a notícia da gravidez, não houve diferença entre os pais que tiveram seus filhos na adolescência e entre aqueles que tiveram na juventude. No entanto, mais pais jovens do que pais adolescentes permanecem com as mães de seus filhos. Ao serem indagados sobre o desejo por ter mais filhos, apenas três entrevistados afirmaram não desejarem mais filhos – um tem 3 filhos, um tem 2 filhos e um tem 1 filho. Assim, dos vinte e dois entrevistados, somente um pretende ter apenas 1 filho, contribuindo para que, ao menos neste pequeno e seletivo grupo, a fecundidade se aproxime do nível de reposição. Quando falam da fecundidade de seus filhos e filhas, os pais falam de erro, de “hora certa”, de momento certo, de fases que devem ser cumpridas antes de ter um filho – estudo, trabalho e casamento. O significado de ser pai está fortemente associado ao termo “responsabilidade”, que também aparece nas falas dos entrevistados como uma característica da vida adulta. Além da responsabilidade, ser pai está ligado a “estar presente”, “educar”, dar “carinho” e “afeto”, indicando mudanças na percepção da figura do pai em relação ao passado, mas sem deixar de lado o papel tradicional do pai provedor, que “sustenta a casa e o filho”.





  1. Baixar 375.77 Kb.

    Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa