Microsoft Word protocolo de vinculaãÃo da gestante final doc


GERENTE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE



Baixar 1,26 Mb.
Página2/37
Encontro30.11.2019
Tamanho1,26 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37
GERENTE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Adriana Siqueira Piol



GERENTE DE PROMOÇÃO EM SAÚDE

Rosiane Broetto Grazziotti Fiorotti



GERÊNCIA DE CONTROLE E AVALIAÇÃO

Flavia Helena Gorza dos Santos



SUMÁRIO


APRESENTAÇÃO

5

O PRÉ-NATAL E A CAPACITAÇÃO PRECOCE DA GESTANTE

7

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO DA GESTANTE

8

PARAMETRIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA

11

MATERNIDADES

11

FLUXOGRAMA DA GESTANTE

13

FLUXO DE ATENDIMENTO NA REDE DE ATENÇÃO

12

COMPETENCIAS E ATRIBUIÇÕES DE SERVIÇOS E PROFISSIONAIS

14

UNIDADE BÁSICA

14

AMBULATORIO ESPECIALIZADO

16

MATERNIDADE DE RISCO HABITUAL

18

MATERNIDADE DE ALTO RISCO

19

MATERNIDADE/HOSPITAIS P/ FLUXOS ESPECIAIS

20

RESUMO DO MAPEAMENTO DO CUIDADO NO PRÉ-NATAL

22

ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS

26

REFERENCIAS

33

ANEXOS

35

FICHA DE ENCAMINHAMENTO DA GESTANTE PARA AGENTE VINCULADOR MUNICIPAL

36

FICHA DE ENCAMINHAMENTO DAS GESTANTES PARA A MATERNIDADE DE REFERÊNCIA


37

TERMO DE ADESÃO

38

MAPA DE VINCULAÇÃO SEMANAL DA GESTANTE DE ALTO RISCO

39

MAPA DE VICUNLAÇAO SEMANAL DA GESTANTE DE RISCO HABITUAL

40

NOTIFICAÇÃO DE OCORRÊNCIA

40

OFTALMOLOGIA


41

CLASSIFICAÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NA GRAVIDEZ


42

DIABETTES MELLITUS GESTACIONAL


49

FLUXOGRAMA DOENÇA FALCIFORME GESTANTES


52

FLUXOGRAMA DE ATENDIMENTO


53




















APRESENTAÇÃO

Considerando que os indicadores de mortalidade materna e infantil brasileiros ainda são elevados, o enfrentamento dessa realidade se coloca como uma das prioridades da política pública de saúde em todas as instâncias de gestão e assistência. Neste sentido, a Secretaria de Saúde de Ibiraçu, em consonância com a Rede de Atenção a Saúde Materno Infantil, vem desenvolvendo ações para a construção de uma rede de cuidados que assegure à mulher e à criança o acesso a serviços e ações de planejamento reprodutivo, atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério, bem como ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.


Os conceitos de acolhimento e vinculação são essenciais para a construção de um novo referencial ético na atenção à gestante e ao recém-nascido. Esta reflexão tem embasamento nos direitos das mulheres e das crianças de atenção integral e digna de saúde, bem como na legislação nacional. Estes dois conceitos juntos e as diretrizes no cuidado em saúde para esta população apresentam-se como estratégias determinantes para a superação dos elevados índices de morbimortalidade na saúde materna e infantil.
O acolhimento durante o pré-natal pode ser realizado de várias formas, dentre elas, pode-se citar a atenção voltada para escutar as queixas da gestante, seus anseios, suas preocupações esclarecendo os mitos que ela cria em torno da fase que vive. Outro fator relevante é estimular a participação do (a) acompanhante durante as consultas do pré-natal, no trabalho de parto, no parto e pós-parto, o diálogo presente em um pré-natal humanizado possibilita a criação de um elo entre profissionais de saúde e gestantes.
A vinculação das gestantes orienta a implementação de ações integrais, contínuas de cuidado e de promoção da saúde desde o pré-natal até a maternidade de referência, buscando diminuir a violação dos direitos reprodutivos das mulheres, caracterizada pela busca de uma vaga não garantida nas maternidades, bem como reduzir os riscos de agravos.
Em diversas situações, incluindo as intercorrências que demandam atenção imediata, a peregrinação frequentemente ocorre, com atraso do cuidado, expondo a mulher e a criança a riscos desnecessários. Podemos considerar que a peregrinação da gestante em uma situação de urgência é, muitas vezes, a verdadeira causa básica de óbitos de mulheres e de crianças, e ainda, de óbitos fetais. Por esse motivo, a vinculação da gestante a equipes de referência da Atenção Básica, garantindo o local para o parto desde o pré-natal ao parto até o puerpério, é destacada como diretriz do Plano de Qualificação das Maternidades do Ministério da Saúde (PQM).
A organização da rede de atenção à mulher e à criança ganha com essa metodologia interativa e participativa aproximação dos trabalhadores da saúde das Unidades da Atenção Básica e das maternidades, aumentando assim o grau de conexão entre eles e fortalecendo os nós na rede garantindo os direitos da gestante e do bebê.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   37


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal