Marcos Cabral Uso da Língua Tétum no ensino-aprendizagem do Português le na Universidade Nacional Timor Lorosa´e



Baixar 2,09 Mb.
Página37/44
Encontro21.06.2019
Tamanho2,09 Mb.
1   ...   33   34   35   36   37   38   39   40   ...   44

Anexo 6: Transcrição 5


Transcrição 5

Ficheiro: voz 31 – 00m a 48.30 m

E1: obrigado pela sua disponibilidade e presença aqui. Em primeiro lugar queria perguntar quais são as suas habilitações literárias?

Prof: obrigado também pela oportunidade aqui no gabinete do ULL para se realizar essa troca de palavras há necessidade de pesquisa, primeiro a pergunta quais são as suas habilitações literárias, normalmente e geralmente conhecemos que precisa um professor que leciona na universidade precisa de critérios académicas e habilitações literárias agora estamos aqui na universidade e a minha profissão como professor na UNTL no caso da faculdade de educação há racionalidades, a minha habilitação literária primeiro no ensino básico na época da indonésia ensino pré secundário até ensino superior com o grau de licenciatura, ou então de graduação na época da indonésia tudo utiliza a língua indonésia em processo de ensino aprendizagem, quando no ano 2000 recrutou pela universidade a ser professor na universidade e assim há necessidade de falta de qualificação ou menos qualificação dos professores daqui então a universidade me mandou continuar o meu estudo no estrangeiro, no caso fiz o meu mestrado na Universidade Federal de Paraíba no brasil de 2008 a 2010

E1: em que ano é que começou e conclui a sua formação académica

Prof: como tinha dito, a minha formação na formação de licenciatura ou de estrata um na época da indonésia terminou no ano de 1999 e assim continuo a trabalhar aqui na UNTL desde 2000 para cá, e conclui a minha formação de mestrado na área de estudo da língua de 2008 a 2010

E1:muito obrigado: qual é a língua que usa para ensinar?

Prof: sabemos que aqui na Universidade de Timor Lorosae no processo de ensino aprendizagem não apenas uma língua própria pra ensinar os alunos, aqui desde o inicio da UNTL de 2000 até 2006 ainda a maioria dos professores utilizam a língua malaia ou bahasa indonésia para ensinar, quanto mais na minha área de língua era só fui o diretor de departamento de língua malaia e professor de língua malaia então desde 200 a 2006 ensinei as matérias em língua indonésia, além disso também ministrei algumas disciplinas na área da educação por exemplo ensino pedagógico, metodologia de ensino, gestão administração escolar, psicologia da educação, em várias línguas, língua tétum para os departamentos para os estudantes que não conhecem o português, e também naquele momento começa a tentar ensinar língua portuguesa para os departamentos precisam e os seus estudantes também dominam a língua portuguesa, depois de 2008 para cá muitas vezes lecionei tétum para os estudantes então eu também sou membro da UNL e uma das tarefas tão intensivo de lecionar língua tétum para todas as faculdades e todos os departamentos, na faculdade de educação, na faculdade social e politica e na faculdade da agricultura até recente

E1: aqui sobre a relação com o tétum, o tétum é uma língua importante no processo de ensino aprendizagem?

Prof: sim, a língua tétum umas das línguas tão importante na qualidade do seu estatuto como língua oficial do português, além disso a língua tétum também como língua nacional e língua do símbolo da unidade nacional e também a língua da identidade do povo timorense por isso os povos exigem para a língua tétum também ser uma das línguas cientificas a ensinar os seus jovens.


E1: penso que já me ensinou, mas queria perguntar outra vez, quando começou a lecionar português e em que escola?

Prof: aqui eu sou professor da UNTL no caso da faculdade d educação era começava de 2000 ainda não existe departamento de língua portuguesa ou outro departamento que ensina português então ai maioria dos professores leciona em língua malaia e língua tétum quando eu trabalhei junto de alguns professores portugueses uma amiga conhecida professora Isabel, uma professora que trabalhou comigo e nos criamos o departamento de língua tétum no ano de 2003, ai começamos a aprender o português e também tentar lecionar o português assim no ano de 2001 e também como o pioneiro da criação do departamento de formação de professores, criado trilateramente os professores brasileiros professores portugueses e professores timorenses eu nós criamos o departamento formação de professores ao ensino básico em 2005 ai começa logo a ensinar o português nas todas disciplinas para os estudantes do referido departamento, além disso também de 2008 pra cá também além de lecionar as matérias como ensino pedagógico introdução pedagógica didática administração escolar também começou a convidar a ser professor examinador para os estudantes o departamento da língua portuguesa e também como orientador em português para os estudantes do departamento de língua portuguesa e departamento de formação de professores

E1: muito obrigado pela sua explicação, queria sabre também o professor dá aulas na UNTL, há quanto tempo dá aulas na UNTL?

Prof: como professor fiz dezasseis anos a metade desse ano de 200 para cá digamos ou digo assim já quase oito tempos que eu utilizo o português a lecionar os alunos no meu departamento caso departamento de formação de professores de ensino básico porque esse departamento um departamento de formação que prepara as novas gerações para espalhar desenvolver o português por todo o território a outras gerações

E1: a que níveis de escolaridade é que ensina?

Prof: ensino superior

E1: pode ser antes antes de entrar no ensino superior

Prof: antes como professor na escola secundária era professor da disciplina de sociologia no ensino secundária Cristal de Díli e além disso naquele momento ainda não lecionei em português mas em língua tétum e língua indonésia ou bahasa indonésia, além de ter pouco conhecimento da área de português também em 2012 assim que regressei do estudo no Brasil eu também comecei da criação do departamento da língua portuguesa e também como professor naquela escola, isto é na Universidade Oriental ou UNITAL

E1:obrigado, antes de isso aprende português tem dificuldade ou não, tem dificuldade antes disso sobre quando ainda não tem conhecimento bem sobre esse língua, antes disso tem dificuldade ou não?

Prof: relativamente à dificuldade para um professor não apenas em português, qualquer língua que utiliza no processo de ensino aprendizagem língua malaia ou bahasa indonésia, os próprios indonésios também utilizam para ao ensino superior é tão difícil assim como aqui os timorenses, os próprios timorenses utilizam o tétum em português tétum para ensinar mas têm grande dificuldade, porque a estrutura daquela língua tétum ainda não foi bem estruturada de acordo com a norma linguística, agora o português claro que eu acho não é só nós no início a aprender que tem dificuldade de ensinar, mas quase todos os professores que lecionam o português sempre enfrentam várias dificuldades, essas dificuldades nomeadamente dificuldades a compreender o texto do próprio português em uso na comunicação didática, outro no uso e domínio da estrutura linguística e outro e essa dificuldade ainda maior falta de recurso disponíveis e recursos suportados para o nosso desenvolvimento na compreensão do português, sendo assim antes de ser professor de língua portuguesa desde 2005 para cá teve cursos de língua portuguesa desde 200 2001 até 2005, esse curso não é, é um curso de regularidade mas são cursos acidentais, no sentido de cursos superiores de três meses seis meses, então é isso condições mínimas para nós aprender português e ai por sua vez nós transmitimos esse conhecimento de português para os nossos alunos ou as novas gerações de timorenses

E1: muito obrigado pela explicação, relacionado com o conhecimento da língua, como é que o doutor progrediu no português?

Prof: neste contexto não é para mim apenas mas pra todos os timorenses, além como professor da UNTL também somos funcionários públicos significa que são pessoas patriotistas do país, então o quê que nós aspiramos a utilizar a desenvolver a capacitar os nossos órgãos com português é um compromisso nosso relativamente com o conteúdo da lei da RDTL ou da constituição da RDTL onde foi consagrado o português como língua oficial ao lado do nosso idioma tétum, então esse é o nosso compromisso, sim ou não, queira ou não é obrigação a língua portuguesa está consagrado na constituição todo o cidadão tem de cumprir e tem de se conservar e desenvolver o texto de comunicação seja de comunicação formal seja de comunicação formal ou seja não formal na sociedade onde estamos

E1: muito obrigado, aqui queria saber também, quais são as áreas disciplinares que ensina?

Prof: a minha experiência que eu utilizo utilizo utilizei o português para ensinar desde o início na disciplina de administração gestão e administração escolar, depois disso a disciplina introdução pedagógica, depois disciplina psicologia da educação além do mais também língua portuguesa, porquê? O currículo do departamento criado por nós, departamento de formação de professores muitas disciplinas, algumas disciplinas delas são nós inserimos português, 1 até português 8, 1 a 8, portanto português 1 no primeiro semestre, português 2 no segundo semestre e assim sucessivamente até ao fim do semestre então ai que eu utilizei a minha capacidade mínima em português a lecionar em português para os nossos alunos, porque? Naquele momento ainda não temos professores de português estrangeiros, sendo assim requer professores que nos ajuda a apenas alguns meses, dois meses três meses, um semestre, então na maioria dos tempos em lacunas então esse tempo de lacunas utilizo o português para lecionar a disciplinas as disciplinas da língua portuguesa, também utilizei a língua portuguesa na disciplina de história e geografia assim como na disciplina da filosofia da educação

E1: muito obrigado, é o professor que prepara os seus próprios materiais didáticos? Em que se baseia?

Prof: claro que o professor quando leciona as suas matérias que é o próprio professor que prepara os seus “” ou então sebentas ou então programa de ensino, se o professor leciona e outro professor que prepara a sua matéria o seu programa é claro que o professor não vai dominar a matéria preparada por outra pessoa, então a matéria preparada para ensinar o próprio mim próprio eu e a base que assegura a minha preparação é tenho os livros doados pelos colegas portugueses tanto na área da educação na área da língua e também tenho pouco conhecimento em português então os livros da indonésia que até adora tem ainda tem traduzido em português para lecionar os alunos ao longo de um semestre

E1: muito obrigada, quais são as maiores dificuldades que encontra a ensinar português?

Prof: primeiro os materiais didáticos ou recursos didáticos não estão disponíveis no nosso gabinete de departamento e nossa faculdade, e até agora neste momento mesmo muitos livros em português mas aqueles livros apenas de histórias antigas então não dá para suportar a preparação da aula disciplinas recentes, então essa é a primeira dificuldade, outra dificuldade é preparação em aula hoje em dia exige preparação bem, esquemático, em eletrónico mas o que acontece não temos materiais para suportar a elaboração das matérias, temos não temos computadores, não temos impressoras próprias no nosso gabinete na nossa sala, quando imprimir as matérias preciso de pagar nos outros locais fora da universidade, e isso é são dificuldade, hoje são dificuldades que enfrentei e enfrento são nós comunicar as matérias aos estudantes em português mas a maioria dos estudantes que não entendam bem as matérias transferidas, então a dificuldade não é por parte nosso como professores mas sim também por parte dos estudantes devido às faltas de recursos materiais, e essa falta uma fraqueza minha uma fraqueza nossa que temos que tentar continuar desenvolver continuar a capacitar a nossa capacidade em termos de estudo de línguas ou então a capacitação pessoais só que ainda não tem boas condições suficientes para isso mas eu acredito que daqui para à frente pouco a pouco temos de ter auxílios dos nossos colegas portugueses brasileiros para nos ajudar a capacitar o português para superar as dificuldades que enfrentamos

E1:em relação com a língua tétum, considera que conhecer a língua tétum pode ser um facto fulcral ou principal no processo do ensino aprendizagem do português?

Prof: sim senhor, o tétum como grande facto […] como tinha dito anteriormente língua tétum e língua portuguesa é como um casal, um casal com estatuto de língua oficial, então para ensinar o português compreender o tétum é um conceito vice-versa a compreensão a misturação dos vocábulos do tétum e do português, quando ensinar o tétum falta ao nível didático ao nível cientifico então precisa de emprestar os vocabulários científicos do português e assim quando nós ensinamos o português em Timor-Leste nós ainda menos de introduzir a matéria para os alunos que eles não compreender então precisamos do vocabulário do tétum para a ajudar a explicar é essa matéria que nós utilizamos pra as nossas crianças os nossos alunos, então o facto importante no processo de ensino aprendizagem do português que é português é uma segunda língua para os timorenses e o tétum é a primeira língua do português, para os povos timorenses seja legalmente ou formalmente na constituição da RDTL, quanto na comunicação quotidiana, então o facto importante de conhecer compreender o tétum no ensino- aprendizagem é uma ferramenta de introdutor do ensino do português aos timorenses.

E1: muito obrigado, além de isso com a relação com a língua, quais são as línguas que fala em casa?

Prof: propriamente eu e a minha família, em último, primeira a minha língua materna é a língua makasai, quando eu comunicava ou falava com os meus colegas de origem da minha aldeia, da minha família no caso os povos da minha aldeia, então utilizo a minha língua materna na comunicação, no nível da comunicação diária, no nível da comunicação cultural, no nível da comunicação … assuntos privados familiares. Quando com os meus filhos, eram nascidos em Díli, então quando me comunicar com os meus filhos é maioritariamente tétum, tétum nacional, também um pouco entendo com a língua tétum teri quando encontro os colegas do tétum terik, no caso de Alas um pouco utilizo o tétum teri na comunicação informal além do mais hoje em dia aqui em Timor-Leste é uma população pluralistas, existem povos timorenses próprios, estrangeiros no caso de indonésios que têm necessidade grande de chegar de comércio cá em Timor-Leste então quando nós fizemos as compras nos mercados as vendas dos indonésios, porque era formado na área da língua malaia tendo a comunicar com os indonésios em língua indonésia, provavelmente em inglês muito básico quando encontro algumas pessoas internacionais que nunca sabia fala português ou indonésio

E1: outra pergunta, acho que o Sr.º Doutor não ensina outros distritos, mas quais são as maiores dificuldades a ensinar a língua portuguesa noutros distritos?

Prof: aqui em Timor-Leste temos doze distritos além de Díli, então a maioria dos professores que atuam no campo da educação têm bastante dificuldade de ensinar o português caso, os professores que estão no campo de educação atualmente eram formados na língua indonésia, assim o conhecimentos que eles têm é por base de língua indonésia agora ao facilitar para eles ensinar os alunos é língua indonésia pouco língua portuguesa em escrita mas a comunicação verbal em língua tétum maioritariamente, língua indonésia porque o conhecimento dele era formado na época da Indonésia eles com a base de conhecimento, agora hoje em dia os livros manuais de conhecimento é em português pode se apontar no quadro em português mas a explicação é em tétum e eles também não utilizam a maioria utiliza a língua indonésia para ensinar na sala de aula, e a maioria em tétum porque os alunos que aprendam na sala de aula maioritariamente não entende a língua indonésia então eles têm conhecimento de língua indonésia mas não pode utilizar essa língua indonésia para comunicar aos alunos, então o único meio que utiliza para ensinar é o português e o tétum como língua introdutória no processo de ensino-aprendizagem, seja que a base dele é bahasa indonésia ou língua indonésia, agora a expressão do português para ele porque a sua base de formação não é em português, então essa dificuldade para superar temos de que formação formação formação continuada e faseada para superar aquelas dificuldades ao futuro

E1: muito obrigado, ainda em relação com o tétum, em que situações de aprendizagem precisa de recorrer ao tétum?

Prof: maioria em ensino, em situação informal e não formal, agora somos aqui da ILL desde 2005 já formamos muitos professores em tétum só que acontece um desequilíbrio na comunicação, isto é, a facilidade de recurso de livros manuais do tétum ainda não estão bem espalhados pelos professores então ainda grande dificuldade para eles o uso do português e do tétum para eles ensinar a matéria no contexto científico

E1: em algumas destas situações de aprendizagem deparou-se ou notou-se com algum ou alguns alunos que não conseguia comunicar em nenhuma das línguas que domina?

Prof: caso em Timor-Leste eles aprendem indonésio mas não conseguem comunicar profissionalmente porque aprendem a língua indonésia através do meio televisão mas não entende o seu contexto o seu conteúdo do que eles falam, então é difícil que comunicar, o tétum, o tétum, digamos assim, ou digo assim, podem utilizar o tétum no contexto bruto para comunicar em tétum mas em contexto cientifico também é difícil comunicar em tétum nós conhecemos tudo isso na pratica da comunicação diária, agora o português a situação de expressar o português na verdade os jovens alguns têm grande capacidade para interpretar só que o sentimento do uso do português, dou um exemplo, se há algum miúdo que utiliza o português fluentemente no meio de dois que nunca tem capacidade de português então disse que aquele menino o uso do português demonstra a sua atitude de arrogância mas na verdade esse é um preconceito negativo, um preconceito negativo. Então esse conceito é que está amarrado aqueles aprendizangm para interpretar essa língua aprendizado, na verdade tem capacidade, só que o conceito de preconceito dos outros que quem utiliza português fluentemente no meio dos outros que nunca tem capacidade de interpretar então diz-se que essa pessoa é arrogante , e essa pessoa de é... com tantos preconceitos negativos. È esse conceito que oprime os jovens a interpretar o português assim como o tétum mais lógico ou cientifico

E1: na sua opinião quais lhe parecem ser as maiores motivações dos seus alunos em aprender português?

Prof: muito bem, as motivações dos jovens em aprender português provavelmente o Timor-Leste geograficamente, os nosso vizinhos que rodeiam a nossa situação geográfica não são portugueses, no lado o gigante australiano em inglês no outro lado o gigante indonésio em malaio. Essas condições não impedem as motivações dos jovens dos jovens timorenses, os jovens timorenses têm grandes motivações em aprender português por um conceito que o português hoje em dia não é português regional e não é português local, não é português de Portugal mas hoje em dia o português já atingiu um nível mais alto é uma das maiores línguas mais faladas do mundo, quanto mais o Timor-Leste assim que atingiu a nossa independência já se integrou na comunidade de países que falam português CPLP, então o jovem que sai de Timor-Leste para a Indonésia menos dignificado quando ele saiu mais longe de Timor para Portugal para o Brasil, um grande elogio um a grande motivação para os jovens aprender o português, a realidade que estamos agora a maioria jovem aprende português em Portugal tanto no nível ensino secundário, ensino superior de graduação e pós graduação, assim como estão eu via que muitos jovens estão em disputa por vaga para continuação do seu estudo na pós graduação ao Brasil quase todos os anos, então essa é uma evidência de motivação para os jovens aprender português. Eu dou um exemplo, era o meu departamento próprio que foi criado em 2005, mas o produto da minha aluna era do meu departamento hoje já frequentou o curso de mestrado no Brasil e agora está m curso de doutoramento no Brasil, isso é uma das evidências e hoje em dia quase por ano entre trinta a quarenta jovens que procuram a vaga para continuar o seu estudo no Brasil, isso é uma evidencia que comprova a maiores motivações para os jovens timorenses aprender o português. Para sublinhar Quando eles saem de Timor para a Indonésia é apenas uma saída regional, mas quando saem de Timor-Leste para Portugal para Brasil claro que uma deslocação tão longe da sua região significa que é muito dignificativo uma viagem estrangeira.

E1: última pergunta Sr.º doutor, acredita que haverá interesse por parte da nova geração de estudantes em aprender português? Porquê?

Prof: a base primeiro é ao longo da resistência da nossa constituição nunca mudaria os jovens sempre aprender português para procura dos empregos, porque todas as públicas utiliza o português na empregarão do jovens para trabalhar ou no campo de trabalho, segunda base que é, como foi dito, que é quando os jovens timorenses têm conhecimento de português profundo sai da sua região de Timor-Leste para Portugal para Brasil é mais dignificado então o filho de uma família sai para Portugal então é uma outra motivação da família de outro para aprender ou continuar ou procura a ciência nos países que falam português na África, na Europa, no Brasil, um dos exemplos, o senhor que faz a entrevista comigo, também nós os colegas, eu também, era nós aprender o português fora no Brasil e Portugal, então os senhores também ainda continuam a seguir o nosso percurso para aprender português em Portugal no Brasil, isso é um caso da evidência da motivação para aprender português e uma das bases para a procura do melhoramento do nosso emprego no futuro e para a nossa geração

E1: Muito obrigado pelas suas explicações ….
AGRADECIMENTOS FINAIS




    1. Compartilhe com seus amigos:
1   ...   33   34   35   36   37   38   39   40   ...   44


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal