Marcos Cabral Uso da Língua Tétum no ensino-aprendizagem do Português le na Universidade Nacional Timor Lorosa´e



Baixar 2,09 Mb.
Página36/44
Encontro21.06.2019
Tamanho2,09 Mb.
1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   ...   44

Anexo 5: Transcrição 4


Ficheiro: voz 29 e 30
NOTA: má qualidade de som
E1: obrigada pela disponibilidade da professora pela sua disponibilidade para esta entrevista. A primeira pergunta: quais são as suas habilitações literárias?

Prof: tirei o curso do ensino básico em Soibada depois frequentei, frequentei não, tirei o curso de formação de professores de língua portuguesa em 72 e depois fui professora de língua portuguesa até 75, em 76 até 1999 [---] como tive que fazer um curso de reciclagem durante dois anos, não, curso de formação em língua para poder ensinar até níveis... depois quando Timor teve a independência, fiz a licenciatura em ensino da língua portuguesa então em cinco anos fiz aqui um curso de licenciatura depois fiz a pós graduação especialização em ensino da língua portuguesa [….] depois tirei o mestrado em avaliação com a Universidade do Minho

E2: em que ano?

Prof: em 2010

E2: terminou em 2010 ou começou em 2011?

Prof: terminei em 2010 mas a graduação só em 2011 por motivos...

E1: Há quanto tempo leciona na UNTL e a que níveis de escolaridade é que ensina?

Prof: na UNTL propriamente dita como docente de língua portuguesa foi em 2004 2005 como docente e professora de português, mas antes de ensinar na UNTL já tinha ensinado nos cursos extracurriculares, de TNT as finanças... ah.. a alfandega, a saúde, era professora de língua portuguesa da escola de enfermagem, desde 2001, quando abriu o Instituto de Camões fui uma das primeiras responsáveis para o …. propriamente na UNTL como docente do departamento desde 2003/4 [….]

E1: obrigada, queria saber também: qual foi a sua experiência sobre a língua, antes de ensinar com a língua portuguesa

Prof: Ok, acho que a língua portuguesa para mim constitui como língua segunda, eu nasci num ambiente de multilinguístico, já a minha mãe fala [….] e o meu pai tétum, e o meu pai com a mãe makasae e com o pai tétum, já nasci num ambiente de multilinguístico. E assim que completei seis anos entrei para a escola das madres canossianas, a língua de aprendizagem era já a língua portuguesa e era uma educação muito severa e em casa também tínhamos que praticar a língua portuguesa, de maneira que a língua portuguesa não sei se posso chamar de segunda língua ou de língua de instrução não sei que nome lhe hei-de dar

E2: ou uma terceira ou quarta língua fala tantas outras

Prof: não falava propriamente mas ouvia sempre o meu pai e mãe dele em duas línguas diferentes, makasae é

E2: makasae é de que distrito?

Prof: de Baucau

E2: Baucau

Prof: que a minha avó é da #Bagia#, minha avó paterna, então já para em conversas secretas em coisas que nós não podemos ouvir então os dois falavam já em mocassai ou nauete

E2: e a mãe era de --

Prof: a minha mãe sim era de .....

E1: como é que a professora progrediu no português
Prof: acho que já respondi a essa pergunta quando falei nos níveis de ensino em português que passei e depois em casa também já tinha que praticar viver mesmo na imersão, nos colégios não há outra e em casa também se falar outra língua já palmatória, é, palmatória ou chicotada, é para escolher qualquer

E1: quando ensina na universidade quais são as áreas ou disciplinas que ensina?

Prof: desde o inicio era professora de língua portuguesa, no departamento de prtuguês, na escola de agropecuária hmmm já … depois na faculdade de engenharia […], mas aqui no departamento a principio era só português, porque nós temos língua portuguesa no departamento até ao sétimo, nos tínhamos até sétimo, depois com os novos currículos e depois a passagem de cooperação para cooperação ficou reduzido para quatro semestres, mas como vemos que os quatro semestres não dão nós estamos a fazer [….] porque muitos alunos não vão utilizar a língua para ter o seu trabalho vão utilizar a língua portuguesa para ensinar, em língua portuguesa. Nós temos uma carga horária maior para o ensino da língua portuguesa nas escolas, mas é não ensinei apenas língua portuguesa também tinha ensinado administração escolar, avaliação e desenvolvimento curricular , isso mais no tétum, mais na área [….]

E2: em que anos de escolaridade?

Prof: agora, que tenho introdução aos estudos literários é no primeiro ano, depois tenho literatura e cultura timorenses no segundo ano, depois literatura brasileira, literatura portuguesa também

E2: várias disciplinas

Prof: várias disciplinas, mas quase todas na área do português, a língua como meio de comunicação aqui é exclusivamente a língua portuguesa

E1: Obrigado. No processo de aprendizagem cria os seus próprios materiais didáticos? Em que se baseia?

Prof: sim sim, nós temos muitos livros de literatura, alguns professores que se queixam que há falta de materiais falta de tudo eu acho que agora ah ao principio sim havia falta de materiais mas desde que tivemos acesso à internet, uma coisa nova para nós porque nós nunca tínhamos trabalhado nessas áreas, mas há pesquisas nessas áreas e depois nós também quando há feiras de livros nós sempre compramos livros relacionados com as disciplinas que estamos a dar e, eu por exemplo, eu creio que quase todos os colegas têm uma mini biblioteca em sua casa, tem todos os livros, todos os livros não , pelo menos a maioria dos livros necessários para a matéria tem, se não tiverem então nós fazemos uma cooperação entre docentes quem tem este livro empresta, e os professores por exemplo nós temos , eu tenho agora um livro , eu prefiro que um professor leia, lê, a princípio ninguém sabia o que era literatura brasileira, então teve cá um brasileiro a ensinar o que era a literatura brasileira e quando foi embora deixou-nos aqui o livro

E2: quem era?

Prof: professor #Guto# se não me engano

E1: bem, queria saber também quais são as maiores dificuldades que encontram a ensinar português?

Prof: as maiores dificuldades, eu acho que a proficiência dos próprios estudantes, a proficiência em língua portuguesa, porque podemos dizer que aqui há um ciclo vicioso porque nós lamentamos que os alunos venham sem proficiência e sem preparação , porque vêm, também não podemos exigir mais porque nós conhecemos muito bem as capacidades e competências dos nossos professores nos níveis anteriores, por exemplo os professores que estão a ensinar no ensino secundário ou no ensino básico, uns sim tiveram um nível de língua apto para ensinar nas nossas escolas mas outros não formados em outras áreas e depois estão a ensinar a língua, por exemplo eu tenho experiência da da no estágio pedagógico neste ano de ensino os alunos de duas turmas, tinha quatro turmas, foram meus alunos estagiários, no primeiro trimestre nunca tiveram aula de língua portuguesa porque a professora de língua portuguesa daquelas quatro turmas teve uma licença ilimitada e então confiou-se a aula de língua portuguesa a outro professor, a outro professor dava a matéria, um conterrâneo...e ele era formado aqui na UNTL mas não na área de língua portuguesa, ficou a dar aulas e nunca deu, nunca deu aulas, então o primeiro trimestre os alunos das quatro turmas ficaram sem aulas, então as duas meninas coitadas tinham que assegurar as quatro turmas e antes disso primeiro três últimos eram os professores das turmas sem formação de linguística, porque assim que eles chegaram as turmas foram entregues ás duas e eles ficaram a trabalhar com as turmas, incumbidos com testes médios trimestrais, exames finais, atribuição de notas...

E2: e não havia possibilidades de recrutar mais um professor?

Prof: como que havia de recrutar mais um professor se aquele professor está ali a ganhar o vencimento sem

E2: exatamente, assim é complicado não é

Prof: é complicado, não sei se o diretor da escola já fez um relatório para o ministério da educação, e se o ministério da educação tomou alguma providência mediante este relatório...

E2: no processo de ensino e aprendizagem do português considera que conhecer a língua tétum pode ser um papel fulcral ou principal?

Prof: sim, porque muitos vocábulos de tétum são feitos do português, embora a ortografia é diferente nas muitos muitos, um, estudante fez uma monografia fez a recolha de quase as áreas e descobrimos que 52% das palavras da língua tétum são empréstimos do português, quanto há declarações de alguns escritores que dizem que era não sei 90 e tal por cento, fizeram uma pesquisa e descobriram que … profissão … etc

E2: são duas línguas muito próximas, embora o tétum também tenha as suas particularidades

Prof: sim, porque também o tétum que está a melhorar agora é o tétum praça

E1: quais sãs as línguas que fala em casa?

E2: falar falar fala

Prof: falar eu falo macassai, tétum …, português, malaio, inglês zero, inglês zero porque eu não me esforcei para estudar essa língua

E2: também tantas línguas que já sabe

Prof: quando ensinava em Baiqueno no meu segundo ano de ensino em 72/74 eu dominava o # unt# mas é claro a língua tem que ter a sua imersão, agora já ninguém fala, ninguém vem ter comigo, então já não me lembro, oiço alguma coisa mas já não falo, agora makassae sim porque...

E2: muita gente fala makassae, e bahasa

Prof: e bahasa sim

E2: fala mais cinco línguas

Prof: bahasa sim, mesmo que não haja pessoas que falam em bahasa toda a gente fala, sabe e eu tinha estudado, para ser professora tinha que estudar

E2: gostou dessa parte de ter de ensinar uma língua que não[ ...]

Prof: tinha que gostar [Risos], não gostar por gostar mas tinha que gostar para poder sobreviver na altura

E2: em casa continuou a falar português mesmo nesse tempo de ocupação da indonésia?

Prof: ah sim, nós temos nós entre amigos sempre nos comunicamos em português, entre amigos e entre colegas sempre nos comunicamos em português, eu por exemplo sou assinante da Cruzada Eucarística, da Família Cristã, são revistas portuguesas e vem tudo em português, e há em Motael eu moro na área de Motael e há uma missa das oito horas sempre tem conservado a língua portuguesa mesmo durante a ocupação, mesmo durante a ocupação, a missa das oito horas sempre funciona em português, e por isso agora também exigimos ao padre para que na missa quotidiana também faça mensagens em português, então foram distribuídos três dias quinta sexta e sábado em português, ao domingo em tétum mas a missa das oito horas sempre em português

E2: mas está a falar da igreja de Motael

Prof: sim a igreja de Motael, agora com o novo padre ele mudou de estratégia, as missas em português são apenas às quartas e quintas

E2: antes eram mais dias

Prof: eram mais dias, quinta, sexta e sábado, mas como aqui as pessoas tem devoção à Coração de Jesus Senhora, as primeiras sextas e primeiros sábados as igrejas enchem então o padre penso que seja a língua mais ...

E2: pois

E1: só queria saber algumas coisas sobre os distritos: se já ensinou português em outros distritos considera que há partes do país em que se encontra mais dificuldades em ensinar a língua portuguesa se sim quais?

Prof: por acaso eu não tenho experiência em ensinar língua portuguesa noutros distritos, com exceção de Baucau, tive um ano em Baucau, mas na altura em 73/74 , na altura a língua da administração a língua da escolaridade era a língua portuguesa de maneira que não havia muito dificuldade embora as crianças na altura falavam [waiumua makasae...]

E1: [iovana waimua]

Prof: raivada wengua, as crianças de Baucau falavam essas três línguas, então não havia muitas dificuldades porque a língua da escolaridade e eu ensinava na altura uma turma básica, segunda e terceira classe, eu ensinava uma turma básica na altura mas as crianças já vinham do ensino pré-secundário, pré-secundário não, ensino jardim infantil, na catequese não mas nos contatos com as outras pessoas as crianças já vinham com uma formação informal em língua portuguesa de maneira que não havia grandes dificuldades, agora o que sinto aqui na universidade a dificuldade dos estudantes é congénita, porque vem das escolas cujos professores têm uma formação insuficiente em língua portuguesa, os que mostram mais facilidades são os que vêm dos distritos mas das escolas católicas, esses é que têm menos dificuldades, mais facilidades mais facilidades em...

E2: em aprender português claro

Prof: das escolas católicas, mas das escolas estatais são um exemplo daqueles que…, mas depois não é por isso, são mais numerosos, são muito grandes, são setenta, setenta crianças em cada turma

E2: assim é difícil, o professor não consegue controlar o contato dos alunos

Prof: mas eu digo muitas vezes, vocês utilizem o método que eu utilizo convosco....

INTERRUPÇÃO

Prof: … trabalho individual, trabalhos em grupo porque assim facilita também o trabalho do professor, e principalmente na parte … o trabalho necessário é muito, a correção e é...

E2: não é só trabalho na escola mas também o de casa o trabalho que levam para casa

Prof: o professor nunca tem por isso é que exigem que o docente têm que assinar … e depois das doze e depois da dois e depois das cinco … no nosso departamento tem graduado semestralmente inglês... mas vinte e um ou vinte e quatro, só foi uma vez que o departamento graduou um número destes porque exigimos que houvesse um ano de português, um ano mudou bastantes, e não existe porque eles não quiseram , porque aqui há muitos departamentos e ninguém defende um ano de português só o departamento de português que defende e então

[SOM DE TELEMOVEL NÃO SE PERCEBE BEM]


E2: é uma minoria

Prof: uma minoria

E2: é uma pena, de facto fazia todo o sentido eles vêm mal preparados

Prof: e esse grupo de vinte e um graduados na altura foi todo recrutado pelo ministério do distrito, o ministério da justiça ficou com onze, agora temos um almo que está a trabalhar ai no gabinete dos ministros, no gabinete do primeiro ministro, ele concorreu com um mestrado, ele ainda não terminou o curso aqui só falta fazer uma disciplina, finalista, concorreu com um mestrado e ficou colocado, e agora o primeiro ministro não o larga, o contrato devia terminar agora em abril, mas o ministro não o larga, ele só sai quando deixar… tenho experiência com alguns que estão a trabalhar no ministério de instrução ensino recorrente, fomos participar num seminário no mistério, apareceram três, aí que bom finalmente o ministério da educação rentabiliza os nossos alunos, então eles vieram cumprimentar-nos – professora nós lá – dois ainda são finalistas agora é que estão a inscrever na UNTL – professora os professores dizem que nós não lemos nada mas aqui somos os melhores – e é essa a qualidade que nós temos, os diferentes não veem, porque no departamento nós dizemos que vocês são os melhores fora disso vocês não conseguem trabalhar nem escrever nem falar é uma pena, essa a qualidade que nós temos, muitas vezes eu recorro a esses exemplos - o que é que o departamento tem andado a fazer só dois... - você ou quer quantidade ou quer qualidade é só escolher, se quiser quantidade nós podemos graduar cinquenta sessenta cada trimestre

E2: pois entram muitos também não é, entram muitos alunos

Prof: e a seleção agora já não é feita por nós, mas inicialmente a seleção era feita pelo professores do departamento e não por professores timorenses mas por professores portugueses que faziam a seleção, e uma seleção com três, a seleção também já ...

E2: mas agora não

Prof: a seleção agora é feita por notas, tantos estudantes que nem querem ser professores e muito menos ter língua portuguesa, para serem professores de língua portuguesa está aqui .. O nível universitário tem que começar com o básico

E1: Em que situações de aprendizagem precisa de recorrer ao tétum?

Prof: eu só recorro ao tétum quando não há mesmo maneira de explicar em português, as minhas aulas inteiras são em português, eles também se esforçam para compreender … e também nem todos os estudantes têm o gosto pelo hábito de estudar… quando sentes dificuldades em acompanhar em vez de virem mais vezes faltam

E2: … quando sentem dificuldades começam a faltar

Prof: em vez de procurarem maneiras de solucionar o problema faltam fogem, mas no exame enchem a sala toda, às vezes no exame não há carteiras

E2: muito obrigado professora, queria saber também... na sala de aula a professora notou ou deparou-se com algum ou alguns alunos que não conseguiam comunicar em nenhuma das línguas que domina?

Prof: não conseguia não conseguia comunicar não, então tentam comunicar primeiro em língua materna depois em tétum, só que para formular para expressar as suas ideias é que têm dificuldades, por isso eles próprios têm dificuldades em formar frases as suas ideias têm dificuldades também na escrita na produção em português, saber a língua sabem, mas para se expressar têm dificuldades.

E2: Obrigado. Na sua opinião quais lhe parecem ser as maiores motivações dos seus alunos em aprender português?

Prof: agora com as bolsas de estudo com ofertas de trabalho, então são as motivações, os nossos alunos muitos não vão terminar, estão no terceiro ano e são recrutados ehh porque embora tenham muitas dificuldades embora tenham pouco domínio de língua são os que têm mais contato com a língua portuguesa e então com a exigência profissional de ter a língua portuguesa então eles são nas concorrências eles ganham sempre, ganham são mais escolhidos que os outros então já não conseguem gerir o tempo entre o estudo e o trabalho

E1: Ultima pergunta: acredita que haverá interesse por parte da nova geração de jovens estudantes ou aprendentes em aprender português? Porquê?

Prof: eu acho que também já foi dada alguns comentários sobre isso, no que se refere aos nosso estudantes recrutados para as profissões tanto de estado como privadas, na radio televisão, nós temos, esse … ainda não terminou mas está sempre em que lado é? O primeiro-ministro foi visitar não sei fora do país ele fez toda a reportagem, mas ainda não terminou o curso, desde o segundo ano foi recrutado

E2: é uma mais valia entrar e saber língua portuguesa

Prof: agora a maior motivação que nós esperamos era de ter a graduação. O ministério da educação sei que tem que substituir mil e quinhentos professores que são para reforma

E2: quer substituir por esta forma

Prof: e o ministério da educação não está a fazer o correto

E2: infelizmente, cai muitos alunos formados não é, eu por exemplo recebi agora umas orientações, monografias, do departamento de língua portuguesa, e vi dois ou três alunos muito bons, que vi o estágio acompanhei o estágio que estava em perfeitas condições para começar a lecionar numa escola

Prof: as minhas alunas que estão naquela escola que existe os professores já pediram

E2: pois mas será que conseguem ficar?

Prof: não, não querem porque as duas moram em Comoro e a escola é em […....]

E2: ah pois, essas alunas era uma delas … deu aulas na escola de Vivalda e outra era Clarinha da Costa, os pais eram portugueses também são professores os pais, e e ela também era uma nota estudante, formou-se com uma as duas com muito boas foram as primeiras graduações a correr muito bem, eram duas alunas excelentes, mas como sei que terão que esperar para é uma questão, não estão ainda a exercer a profissão estão paradas infelizmente, é uma pena

Prof: o ministério da educação tem que fazer não sei uma parceria ou o quê com a Universidade e também com o departamento. Nos temos aqui dois departamentos não sei curso de ensino de língua portuguesa e outro é formação de professores do ensino básico, é claro que são muitos profissionais que estão aqui a estudar, são muitos professores, atualmente parece que só professores universitários estão a dar, mas a antigamente haviam outros funcionários de outras instituições que estudaram aqui, os outros não, são [….], depois do curso não têm

E2:mas se perguntássemos à professora esses alunos qual será a melhor forma de se candidatarem a emprego, como é que podem fazer? A internet ainda não é um meio onde se possa procurar trabalho em Timor, mas por onde é que podem começar a procurar

Prof: as vagas são todas anunciadas em jornais

E2: em jornais

Prof: nós temos, quantos estudantes finalistas ali o parlamento como redatores, como interpretes como … muitos ainda não terminaram o curso

E2: mas também a parte má que é aqueles que terminam e que são muito bons mas que também não conseguem trabalho, também acontece, acontece muito

Prof: sim acontece mesmo

E2:os três alunos que eu recebi que são muito bons, são um nível de alunos que nunca encontrei em Timor, e já estou cá desde 2011, estão só três ainda à procura de trabalho , ainda não conseguiram arranjar trabalho, também não sei se será da parte deles alguma preguiça, pouca procura talvez, mas também o nosso papel também é esse é incentivá-los e eu muitas vezes procuro incentivá-los mas não é assim propriamente fácil, não sei se por exemplo nós em Portugal muitas vezes vamos ao sítio diretamente, batemos à porta deixamos o currículo, aqui também se calhar era uma boa

Prof: aqui também é assim, deixam o currículo todo fotocopiado em várias partes

E2: tenho que os incentivar para fazer isso também, essa menina a Clarinha de que estava a falar vou também a motivar para fazer isso também, foi mãe há pouco tempo isso também pode não ajudar, mas para já ainda não, eles defenderam a monografia também agora em Dezembro, em Novembro, defenderam em Novembro, portanto é recente ainda, arranjar trabalho num mês também seria mas esperemos que em breve consigam arranjar, por que senão estão desperdiçado

Prof: ...[...] muitos já trabalham desde o terceiro,
NÂO CONSIGO OUVIR BEM O FINAL





    1. Compartilhe com seus amigos:
1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   ...   44


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal