Marcos Cabral Uso da Língua Tétum no ensino-aprendizagem do Português le na Universidade Nacional Timor Lorosa´e



Baixar 2,09 Mb.
Página33/44
Encontro21.06.2019
Tamanho2,09 Mb.
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   ...   44

Anexo 2: Transcrição 1


Ficheiro: Voz 024

E1: Boa tarde, desde já agradeço a disponibilidade do Srº Doutor que se permitiu ..., e aqui eu preciso ter informações uma informações para completar o meu estudo, por isso , lhe queria .. faço uma pergunta com o senhor. Em primeiro lugar quais são as habilitações literárias?

Prof: eu, fiz a minha licenciatura ... nesta universidade...Universidade de Timor Lorosae, e depois tive uma bolsa e fui fazer o meu mestrado... precisamente na área do ensino do português como língua segunda/língua estrangeira na Universidade Nova de Lisboa. Minha licenciatura começou em 2001 e conclui a parte teórica em 2005, depois a graduação por vários motivos, técnicos, a graduação só foi realizada em mil, 2007, o mestrado, fui... arranquei para Portugal em 2008 e conclui em 2010, depois regressei a Timor.

E2: a licenciatura do Professor também é em Português língua segunda/língua estrangeira?

Prof: o nosso curso o nosso curso era.. português, não foi português língua estrangeira, ensino do português, hmmm, ensino do português e culturas lusófonas.

E2: Ah, muito bem.

Prof: Ensino do português e culturas lusófonas.

E2: Em que ano é que foi a licenciatura?

Prof: Em 2001.

E2: Em 2001.

Prof: Entrei nessa Universidade em 2001.

E2: depois voltou para Timor...

Prof: Não foi aqui, a licenciatura foi aqui … para cumprir ooo a licenciatura é que fui continuar o mestrado em Lisboa, na Universidade Nova de Lisboa.

E2: Muito bem.

E1: Pronto, muito bem. Ah... bem a seguir vamos continuar com uma pergunta. Qual a língua ou línguas que usa para ensinar?

Prof: hmmm... aqui na universidade ou …

E1: na Universidade.

E2: Podemos começar pela universidade, apesar que já sabemos a a resposta.

Prof: Como estou num departamento de língua portuguesa então a língua que nós usamos, ou eu usava ou até uso até agora para ensinar é o português, mas de vez enquanto […] os estudantes assim um pouco não assim tão... tão bem um domínio assim tão fraco, nós temos que, de vez enquanto, usar o tétum como língua para...

E: língua intermediária

Prof: sim língua intermediária

E2: para ajudar

Prof: para ajudar a situação de dificuldade

E2: muito bem . Mas deixe-me só fazer uma pergunta que também é um pouco parecida com estas que temos aqui, mas antes de poder estar na universidade deu aulas noutros lugares noutras escolas?

Prof: sim sim sim. Antes de ir para a universidade, eu era Professor de língua portuguesa na escola... antigamente chamava-se pré-secundário mas agora é ensino básico terceiro ciclo...

E2: sim sim

Prof: ah, em Comoro desde Dezembro, dava língua portuguesa.

E2: e aí também ensinava em língua portuguesa?

Prof: ensinava sempre em língua portuguesa e o tétum de vez em quando como língua intermediária.

E2: mais uma pergunta Professor?

E1: ah … acho...

E2: podemos aproveitar perguntar também quando começou a lecionar português não é?

E1: sim

E2: em que ano é que começou a lecionar português



E1: quando começou a lecionar português e em que escola?

Prof: pois, isto foi em 2000, em 2000 comecei a lecionar português

E2: hmm

Prof: na escola pré-secundária ou seja terceiro ciclo



E2: exatamente

Prof: agora terceiro ciclo, e depois 2001 vim para a universidade continuar os meus estudos, e antes de terminar o curso em 2006 eu dava aulas extracurriculares de português, de DPA dava curso central, e depois de ciências sociais e políticas.

E2: ah muito bem

Prof: foi em 2006

E2: 2006… Depois de depois de 2006

Prof: depois de 2006 fui chamado contratado para dar lecionar aqui na universidade, lecionava português, depois a primeira turma que eu tive foi [….] depois disto fui continuar os estudos

E2: depois está cá praticamente dezasseis anos, teve uma pausa

Prof: sim sim uma pausa

E2: do mestrado, esteve em Lisboa

Prof: dois anos quase dois anos

E2: quase dois anos

Prof: um ano e dez meses

E2: tirou uma licença para

Prof: fui enviado como bolseiro

E2: pois como bolseiro

E1: queria saber também … a que níveis de escolaridade que ensina? Acho que já

E2: de certa forma já respondeu quer dizer não sabemos, aqui na universidade ensina o ano

E1: que níveis de anos primeiro ano terceiro ano, queria saber isto

Prof: na Universidade eu dava primeiro ano, mas ultimamente estou a assegurar … as disciplinas de linguística do tétum e de língua tétum

E2: muito bem

Prof: a linguística do tétum eu uso português como língua de ensino, mas língua tétum praticamente tétum porque é a língua tétum

E2: claro exatamente. E o departamento é de língua portuguesa não é?

Prof: o departamento é de língua portuguesa, mas tem uma disciplina de linguística do tétum e língua tétum porque o tétum também é língua oficial então os alunos também

E2: e quem está dar o português então é outra Professora?

Prof: sim aqui temos português 1, primeiro ano, português um dois, de uma Professora, Professora Hirta, chama-se Professora Hirta, português três é o colega Francisco Fernandes, português três e quatro, português cinco a Professora Maria Verde, que dá língua portuguesa.

E1:tá bem, ah aqui por outro lado aqui sobre … a relação do conhecimento da língua, nós também queria, quero também quero saber também qual foi a sua experiência ah a língua que utiliza para ensinar? Ah este também já...

E2: já respondeu... se calhar poderíamos era perguntar...

E1: ... perguntar mais experiência...

E2: …. se alguma vez teve dificuldade por exemplo se teve alguma vez dificuldade em ensinar em língua portuguesa, neste tempo em 2000 2001 já ensina em português

Prof: eu acho que dificuldades talvez não, tive sempre muitas dificuldades

E2: sim

Prof: porque eu aprendi português um pouco antes da guerra, depois depois da guerra deixei o contato com do português, então tinha quê, depois o português que eu aprendi foi um português já... não é o português de agora, tive muitas dificuldades, a primeira dificuldade não tínhamos livros na altura em 2002, 2000 não tínhamos livros



E2: pois

Prof: então, nós o único livro que tínhamos era o Português em Timor

E2: hmm hmm

Prof: Português em Timor, nós tínhamos que desenrascar digamos assim, para poder, às vezes utilizávamos os jornais para dar também a aula de português … portanto dificuldades sim tivemos muitas dificuldades em termos de língua em termos de materiais didáticos

E2: exatamente

Prof: muitas dificuldades

E2: e a esse propósito tínhamos uma pergunta também para lhe fazer, que é esta mesmo, sobre os materiais didáticos

E1: nós também quer saber sobre... a experiência do Professor, é o Professor que prepara os seus próprios materiais didáticos? Em que se baseia?

Prof: claro que o Professor, como Professor tem que preparar os seus materiais didáticos agora, nós como já tinha dito que às vezes nós... ainda bem que o Instituto de Camões nos cedeu uma biblioteca, nós de vez em quando utilizamos os livros os livros que podemos encontrar na biblioteca de do Instituto de Camões para depois tirarmos alguns testes depois nós para fazermos o plano de aula

E2: e utiliza algum material algum manual específico em particular, tem algum manual que costuma assim consultar mais vezes alguma gramática

Prof: a gramática … sim a gramática que utilizámos mais é a Gramática Ativa 1 e 2

E2: que está mais relacionada com o português como língua estrangeira

E1: hmmm... para saber outras informações, quais são as maiores dificuldades que encontra a ensinar o português?

Prof: as maiores dificuldades, como Professor também tenho dificuldades mas agora, não é uma dificuldade quê… às vezes os alunos não compreendem mesmo português porque assim? A maioria dos Professores principalmente o secundário e... pré-secundário são formados em língua mambae a maioria nem todos, então, o Professor de língua de língua portuguesa entra ensina em português, mas depois entra o Professor de outra disciplina ensina em baiqueno, em tétum, isto constitui das dificuldades ou como um dos obstáculos obstáculo para o ensino da língua portuguesa. O Professor de português ensina em português, mas entra outros outros Professores de outras disciplinas já não ensina em português, então constitui uma dificuldade para os alunos poderem aprender

E2: e o que é que acha que podia ser feito nesse sentido Professor Valente?

Prof: eu sugeria que os.. pelo menos os Professores, todos os Professores quer seja da língua portuguesa quer seja de outras disciplinas pelo menos tem que ser o português como língua de ensino língua oficial língua de ensino, os Professores têm que dominar português, não 75% mas pelo menos 50%, depois tem que ter formação continua

E2: continua pois

Prof: formação continua

E2: cursos intensivos não é, para os Professores… atualização de conhecimentos

Prof: principalmente... por que às vezes já… fizemos uma pesquisa que os Professores às vezes escrevem no quadro os alunos copiam depois não explica

E2: pois

Prof: nem o aluno não pode … não não tem aquela capacidade para fazer perguntas e também o Professor não tem conhecimentos o domínio da língua para poder explicar

E2: uma pergunta

E1: sim... através desta dificuldades, enfrentar estas dificuldades … então aqui, considera que a língua tétum pode ser um fator fulcral ou principal no processo de ensino e aprendizagem do português?

Prof: Eu não considero que a língua tétum como papel fulcral, mas... a ... língua tétum, podemos dizer que todos os timorenses que falam tétum falam português, porque a maioria das ...do léxico do tétum vem do português, mas agora eu até sugiro para que o ministério , mais uma vez dá mais formação continua aos Professores. Porquê? Porque se continuarmos com o tétum, quando que os alunos podem e Professores e alunos podem aprender português. O tétum pode ser como língua de intermédio, mas tem que esforçar mais no português

E2: mas mas mesmo o Professor diz que muitas vezes ahm para os alunos compreenderem é preciso recorrer ao tétum, senão é muito difícil que eles consigam perceber só em português não é

Prof: sim sim sim, mas muitas vezes também o tétum não há termos que há palavras que não há no tétum

E2: que não encontra no tétum

Prof: porque “obrigado”, eu já consultei a palavras de makasae, fataluku, bunak, e baiqueno até, ninguém sabe como se diz “obrigado” em tétum mesmo em ------, não sabe, não há outra

E2: não há outra forma

Prof: não há outra forma, não há outra palavra para dizer igreja obrigado messa até

E1: a pessoa escreve que a palavra, só escreve que parece diferente

E2: a escrita a escrita é diferente

E1: a escrita

Prof: a pronúncia …

E2: mas não acha que um dia mais tarde se calhar hmm...haverá mais vocabulário, portanto, a língua tétum está a crescer,

Prof: está a crescer

E2: … e provavelmente essas palavras que vão buscar ao português deixará de acontecer e o próprio tétum criará novas palavras, ou não?

Prof: acho que não

E2: acha que ...não tem possibilidades de ser uma língua que...

Prof: vai ser difícil … ah mas também depende dos nossos linguistas

E2: pois


Prof: depende dos nossos linguistas em criar novas pa... novos termos

E2: novas palavras claro

Prof: talvez daqui a anos não sei mas por enquanto

E2: mas apesar de ter essa parte que é muito parecida ao português a estrutura já é muito diferente não é? A estrutura da gramatica

Prof: da gramática

E2: a maior diferença é não a flexão verbal não é

Prof: a flexão verbal

E2: porque não existe, por isso é que eles têm muitas dificuldades

E1: podemos saber também, quais são as línguas que fala em casa?

Prof: eu em casa … falo duas línguas só... tétum e mombae

E1: mombai é a língua do distrito...

Prof: é a língua língua da mãe

E1: sim que é do distrito?

Prof: distrito cinco distritos

E1. ah cinco distritos

Prof: ainaro …Eermera … [não percebi nomes] 16,45 mm

E2: e o Professor é de que distrito?

Prof: eu sou de Ainaro

E2: ai de Ainaro

Prof: a minha mulher só fala mambae

E1: a língua mambae é a língua materna

E2: e tem filhos?

Prof: tenho claro

E2: e e fala com eles em mambae

Prof: em mambae, eles falam compreendem mas falam mais em tétum

E2: hmmm... estão a estudar?

Prof: sim, dois estão na Indonésia

E2: ah já são grandes


Prof: um acabou terminou agora acabou o... secundário agora vai entrar na universidade, um já vai para o secundário, uma está no terceiro ciclo e a última está no sexto ano

E2: os filhos que estão a estudar na Indonésia é porque aqui num num não há os cursos que eles querem ou é por vontade própria?

Prof: não foi assim, é assim eles são preguiçosos, … por isso não obtiveram notas suficientes para poder entrar aqui na universidade, então em vez de estar aqui nas universidades privadas, para a Indonésia escolheram um curso que aqui talvez não exista aqui nestas universidades

E2: ah ah muito bem, mas estava a dizer que falava em casa tétum, mambai e o português, português raro se calhar

Prof: português... podemos dizer português porquê? Quase a maioria dos nomes dos objetos, às vezes dizemos bom dia boa tarde

E2: exato exato, mas o Professor fala outras línguas fala mais línguas, fala bahasa também?

Prof: bahasa sim, fui Professor de bahasa numa faculdade durante dezasseis anos

E2: nessa altura foi Professor de bahasa

Prof: bahasa sim

E2: no tempo da indonésia … ah foi sempre Professor

Prof: sim eu fui sempre Professor até hoje

E1: mas antes da Indonésia foi sempre Professor

Prof: sim era Professor desde dezasseis anos, fui Professor em 1983 até 1999, depois uma pausa de uns anos

E2: ai era Professor de português?

Prof: não era Professor de bahasa e indonésio

E1. mas antes disso também era ...

Prof: não não, era estudante

E2: estudante pois aí também era mais novo

Prof: fiz o curso de Professor do ensino básico de três anos

E2: no tempo português

Prof: não, no tempo da indonésia

E2: ah já no tempo da indonésia

Prof: depois fui Professor quase dezasseis anos, depois da independência tornei a ensinar em 2000

E2. e nesse tempo da Indonésia o que fez para não esquecer o português, é que foi muito tempo sem falar português, muito tempo sem

Prof: o português estava mesmo proibido

E2: pois


Prof: mas como aprendi português

E2: mas falava com alguém havia alguma possibilidade de ler alguma coisa

Prof: não … só às vezes fazia contato por escrito com os do mato, os guerrilheiros e de vez em quando encontrava alguns livros em português gostava de ler poder para relembrar

E2: relembrar mas foi muito tempo sem falar

Prof: muito muito tempo, 24 anos sem falar, então por isso que no inicio tinha muitas dificuldades, tava com Professores de Portugal que eram Professores portugueses, então eu pedi ajuda delas, livros depois, conversava sempre com elas

E2: e ensinar e a experiência de ensinar bahasa, foi uma experiência boa, gostou também de ensinar bahasa?

Prof: e... eu acho que, eu gostei.. sim gostei porque aprendi uma outra língua,

E2: sim claro há sempre vantagens

Prof: e outra razão tinha que trabalhar para sobreviver, e comparar bahasa com com mesmo com o tétum, o bahasa é um pouco assim não é assim tão difícil quanto o nosso tétum, eu só falar o tétum e considero o tétum um pouco difícil

E2: porquê?

Prof: não sei porquê, nós nunca aprendemos tétum, parte do léxico morfologia, aprendemos a falar

E2: exato, é quase sensorial, há coisas que não são muito claras

E1: queríamos saber também sobre, como é? Ah sobre, sobre os distritos sobre os distritos que considera haver que há partes do país que encontra mais dificuldade a ensinar a língua portuguesa

E2. eu não sei se o Professor, basicamente se teve outras experiências

Prof: essa pergunta é difícil de responder porque eu só tenho experiência em Díli

E2: claro esteve sempre em Díli

E1: pronto, vamos continuar com outra pergunta, em que situações de aprendizagem precisa de recorrer ao tétum? Por exemplo na interação oral entre Professores e alunos na sala de aula, na explicação de vocabulário em exercícios, na compreensão da leitura ou na produção escrita de um texto

E2: são só alguns exemplos

Prof: eu costumava... utilizar o tétum principalmente na explicação de alguns vocabulários de alguns vocábulos, às vezes nós dizemos em português eles não compreendem então damos o exemplo em tétum, isto quer dizer em tétum isto isto assim, para eles compreender melhor

E2: e se calhar em alguns casos até pode recorrer também ao bahasa

Prof: sim sim muitas vezes, porque alguns sabem bahasa, nunca aprenderam bahasa mas sabem bahasa

E2: exatamente, e esta pergunta vem no sentido do que o Professor está a dizer

E1: ah sim sim,

E2: mas podia perguntar

E1: ah também, em algumas destas situações de aprendizagem deparou-se com algum ou alguns alunos que não conseguiam comunicar em nem algumas das línguas que ensina ai que domina?

Prof: situações não sei

E2: eles nem sempre falam tétum não é, às vezes há alguns alunos que não falam tétum porque

E1: a relação da acompanhar os alunos dentro da sala …

E2: a pergunta é se, a nossa pergunta é se existe às vezes algum aluno na sua turma que não consegue dominar nenhuma das línguas que o Professor fala, se já existiu alguma vez esse problema

Prof: isso nunca aconteceu comigo porque ultimamente o tétum tornou-se uma língua assim, uma língua nacional

E2: quase todos falam né

Prof: quase todos falam todos, ou apenas entendem tétum, antigamente sim, a parte de leste muitas pessoas, nenhumas sabiam falar tétum nem, ultimamente não porque com o nosso contato com a língua nunca aconteceu

E2: pois porque a nossa pergunta vinha no sentido de por exemplo um aluno não saber falar tétum o Professor também não conhecer a língua materna do aluno não é, e aí teríamos um problema, é porque que não conhecendo a língua materna e o aluno também não sabendo o tétum seria difícil seria difícil de ensinar

Prof: mas agora não

E2: mas falam, mas há uma diferença há duas variantes do tétum não é assim?

Prof: sim sim há duas variantes do tétum, ah... o tétum que é utilizado aqui em Díli é o Tétum Praça

E2: Tétum Praça

Prof: em Díli tétum praça, uma outra variante falam em Viqueque

E1: tétum Terik

Prof: sim tétum

E2: mas faz muita diferença uma variante da outra há muitas

Prof: não assim tanto, há certos termos que às vezes não compreendemos. O tétum terik tem as conjugações verbais e o tétum Díli não sei

E2: hmmm interessante, muito bem mais uma pergunta Marcus, vamos terminar

E1: A seguir … aqui queria saber a opinião do senhor doutor: na sua opinião quais lhe parecem ser as maiores motivações dos seus alunos para aprender português?

E2: se é que eles têm alguma motivação, se é que acha que eles estão entusiasmados e que têm vontade de aprender português

Prof: ultimamente os alunos os jovens até, não só os alunos mas os jovens estão interessados em aprender português. Porque num outro tempo, em 2000, 2001 … mas ultimamente já não, ninguém fala ninguém tá contra o português, todos estão entusiasmados porque agora há cursos em todos os lados e os alunos estão entusiasmados em aprender português, só que têm muita dificuldade, por causa do ambiente, porque o português agora é só português da sala de aula, não é português da rua não é português do mercado, é só português falado aqui na aula. Motivação eu acho que tem.

E2: mas por exemplo eu tenho ideia, eu já tive aqui em 2011, eu tenho ideia que o inglês por exemplo não era tão requisitado como agora, eu acho que os alunos agora se interessam se calhar um pouco mais pelo inglês do que pelo português, também é da mesma opinião ou acha que, não sente grande... eu acho que eles agora parecem mais entusiasmados a aprender inglês

Prof: ahhhh, é que.... eu não digo isto porquê... agora o português é uma coisa que é certa que o português não há cursos como o inglês, o inglês agora tá tem cursos em todo o lados.

E2: pois
Prof: português parece que não há investimentos para cursos, mas uma das … ahhh, o que é que obriga os alunos os jovens até os jovens eu digo, a interessar-se a aprender português, para poder preencher uma vaga o mínimo tem que ter um domínio de português

E2: pois uma vaga de trabalho em Timor

Prof: uma vaga de trabalho

E2: só por isso já é uma motivação muito grande para aprender

E1: acredita que haverá interesse por parte da nova geração de jovens estudantes em aprender português? Porquê?

Prof: acredito nisto... estou cero que os jovens da nova geração vão aprender português porquê? Começados já em no ensino básico com o português, com certeza que têm que continuar essa língua que já aprenderam no ensino básico, porque se...chegados no ensino secundário pré-secundário acho que não pode aprender mais outra língua porquê, o português é nossa língua oficial então quer queira quer não temos que aprender

E2: mas a nossa pergunta vinha no sentido de como as pessoas mais antigas são aquelas que falam bem português e que e depois em casa os jovens também ouvem português por conta dos avôs dos pais não é, a pergunta vem nesse sentido se essas gerações mais novas que já não têm os avós que falam português que já estão mais longe das pessoas que viveram o tempo do português se ainda se interessarão? Não é, porque não ouvindo em casa português deixando de ouvir será que haverá ainda motivação de aprender português mesmo sendo a língua oficial?

Prof: eu pessoalmente digo...

E2: … por exemplo os netos do professor os bisnetos do professor acha que

Prof: vão vão vão continuar aprender porquê agora mesmo nas ruas nas lojas a gente a ouvir as pessoas a tocar músicas do português

[toque de telemóvel – interrupção]

E2: então acha, dizia o professor que achava que os seus bisnetos ainda terão interesse em aprender português

Prof: acho que sim

E2: esperemos que sim

Prof: porque o tétum não vai não vai, está a desenvolver mas o tétum, o português vai manter-se. Agora cabe a nós e ao... o Estado o governo criar condições para isso continuar.

E2: eu só queria saber, um pouco sobre o papel do tétum no processo de aprendizagem queria o doutor contar um pouco sobre isso

Prof: o tétum é como as outras línguas, é como, antes de tudo é língua oficial, o tétum é como uma língua, mas é difícil de utilizar o tétum como língua de ensino para todas as disciplinas porquê, porque precisamos criar termos, principalmente pra... os termos de matemática, os linguistas precisam criar termos para isso portanto. O tétum agora é apenas como língua, como língua oficial temos que aprender, embora sabemos falar temos que ter um padrão … insistir mais na escrita, tem que ter um padrão senão cada escreve …

E2: há muitas dúvidas na forma de como escrever as palavras, mas por exemplo professor, eu uma das perguntas, há muitos colegas e eu própria sou uma delas, nós professores estrangeiros que estamos cá, muitas vezes também nos vemos com algumas dificuldades em ensinar português, e eu por exemplo tenho considerado que saber tétum poderá ser uma mais-valia para ensinar português, e não concorda que por exemplo os professores que estão cá também deveriam tentar aprender, chegar perto do tétum, ter um curso, ter algumas aulas, tentar ter algumas noções do que é a língua tétum para poder ensinar também o português

Prof: eu acho que sim... acho que deviam, deviam aprender tétum para comunicar melhor com os estudantes. Porque ultimamente a reforma a reforma do currículo do ensino básico tudo está em tétum, o professor também tem que saber o tétum, ter algum conhecimento sobre a língua do aprendente.

E2: exatamente sim, faz toda a diferença para o processo da língua estrangeira.


[Agradecimentos finais]




    1. Compartilhe com seus amigos:
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   ...   44


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal