Lygia lumina pupatto



Baixar 338 Kb.
Página1/33
Encontro05.06.2018
Tamanho338 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   33


Projeto Político-Pedagógico

Institucional


- UEM -

Maringá, 2009

ROBERTO REQUIÃO DE MELLO E SILVA



Governador do Estado do Paraná
LYGIA LUMINA PUPATTO

Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

DÉCIO SPERANDIO



Reitor
MÁRIO LUIZ NEVES DE AZEVEDO

Vice-Reitor
EDNÉIA REGINA ROSSI

Pró-Reitora de Ensino
MARCELO SONCINI RODRIGUES

Pró-Reitor de Administração
NEUSA ALTOÉ

Pró-Reitora de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários
NILSON EVELAZIO DE SOUZA

Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação
WÂNIA REZENDE SILVA

Pró-Reitor de Extensão e Cultura

A UEM desejada

Uma Universidade integrada, ousada, crítica, democrática, pública, gratuita, universal que tenha o objetivo de formar um cidadão crítico e competente, técnica, humana e socialmente, preocupada com a educação permanente da comunidade universitária, e que valorize igualmente o ensino, a pesquisa e a extensão.

(V Fórum de Política de Ensino, dezembro de 2003)

SUMÁRIO


Apresentação 6

Introdução 7

Histórico da Instituição 9

Missão e Visão de Futuro 15

Mecanismos de Inserção Regional 15

Âmbitos de Atuação 16

Princípios Filosóficos Gerais 17

Avaliação Institucional 18

Políticas de Gestão 23

Ensino 23

Graduação 23

Pós-Graduação 26

Pesquisa 29

Extensão 30

Cultura 31

Recursos Humanos 34

Planejamento 36

Programas 37

Concepções de Processos 39

Currículo 39

Ensino Aprendizagem 41

Avaliação de Ensino 43

Linhas de Ação 47

Referências Bibliográficas e Documentais 49

Objetivo

O Projeto Político-Pedagógico da Universidade Estadual de Maringá é um documento que tem por objetivo estabelecer a identidade pedagógica de nossa universidade e apontar as mudanças que se avizinham como necessárias para o nosso futuro.


APRESENTAÇÃO


Pensar no Projeto Político-Pedagógico Institucional da Universidade Estadual de Maringá (PPI) é pensar na construção de sua identidade, revelar as características das inter-relações existentes na Instituição, nos cursos e entre os cursos. A sua elaboração e implementação exigem esforço coletivo e comprometimento, tanto no âmbito acadêmico quanto no administrativo. Esta concepção de PPI não permite que ele seja elaborado isoladamente, sem a participação dos demais envolvidos no processo educativo.

A instituição universitária está marcada pela pluralidade de áreas, de idéias e de concepções. Nela convivem diferentes formas de conceber o mundo, o homem e a educação. Na construção de um PPI essas divergências se acirram na forma de debates, conflitos e contradições, até que se alcancem determinados consensos que guiarão o fazer acadêmico sem extirpar as diferenças.

O PPI que ora se apresenta, representa a síntese das discussões realizadas dentro da Universidade Estadual de Maringá (UEM), em instâncias e momentos variados. Sua gênese está nos relatórios elaborados por duas comissões, bem como pela proposta preliminar elaborada pela Pró-Reitoria de Ensino (PEN) no ano de 2006. A primeira comissão foi nomeada pela PEN (Portarias nºs 001/2002-PEN, 002/2002-PEN, 008/2002-PEN e 033/2002-PEN) e a outra, nomeada pelo Gabinete da Reitoria (GRE) (Portaria nº 1548/2006-GRE), sendo esses relatórios atualizados pela PEN em 2009.



INTRODUÇÃO


A complexidade da vida universitária exige um planejamento calcado na descentralização acadêmico-administrativa, na contínua capacitação dos quadros dirigentes, na produção e disseminação da informação, na valorização da ética. Entretanto, embora possa parecer contraditório, ao mesmo tempo em que exige planejamento, exige também capacidade de mudança permanente, como requisito para a almejada estabilidade institucional.

A UEM, desde a sua criação, vem representando papel decisivo na transformação econômica, social e cultural de Maringá e do noroeste do Paraná. Sua atuação foi fundamental na transformação do município de centro econômico cafeeiro no atual pólo de serviços e de produção de conhecimento. Foi também responsável, em grande parte, pela renovação da cena política paranaense. Isso não significa que a posição da Universidade no cenário do Paraná e do Brasil tenha ocorrido sem crises, embates e enfrentamentos.

Tais debates, na maioria das vezes, partem das múltiplas e crescentes expectativas em relação à instituição universitária, sejam elas provenientes de professores, alunos, pais de alunos, empresários, governos, organizações não-governamentais, sindicatos, ensino fundamental e médio, entre outros setores. O desafio é, conforme lembram constantemente os administradores, como responder a infinitos anseios quando os recursos são finitos.

Ainda que seja uma Universidade dinâmica, no interior da qual são desenvolvidas atividades inovadoras, desafios decorrentes da pressão da sociedade têm sido colocados para a UEM, como: aumento do número de vagas nos cursos de graduação; criação de novos cursos, tanto de graduação quanto de pós-graduação; maior acesso aos serviços universitários; maior participação da universidade no desenvolvimento científico, tecnológico e cultural da região; e pela cobrança interna em torno de mais transparência, maior eficiência e eficácia em suas ações.

Em face às políticas públicas sociais e do Estado, e às demandas sociais e tomando ainda por horizonte a filosofia, a história, a característica, o perfil e a missão da Instituição, a UEM sinaliza para um redimensionamento do ensino superior, consciente do seu papel enquanto agente de transformação e orientado, sobretudo, por princípios éticos e democráticos.

Nesse contexto, PPI da UEM, documento central que estabelece políticas para o fazer acadêmico, norteará as ações educacionais para a consolidação da sua missão, de seus objetivos, de seus princípios e de suas diretrizes, propiciando a qualidade de suas ações, visando à qualificação para o trabalho e a ampliação dos direitos de cidadania para a população brasileira. Neste sentido, o PPI cumpre uma função para além de mera formalidade, podendo constituir-se numa ação maior de reflexão envolvendo o ensino, a pesquisa e a extensão, como constituinte do processo de participação na educação superior, na produção e socialização do conhecimento.

Nesse sentido, o documento apresentado aponta diretrizes e orientações gerais para a efetivação de programas, projetos e planos de ações a serem desenvolvidos nesta Instituição.



Baixar 338 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   33




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
ensino médio
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
Curriculum vitae
oficial prefeitura
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
outras providências
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
secretaria municipal
Dispõe sobre
Conselho municipal
recursos humanos
Colégio estadual
consentimento livre
ResoluçÃo consepe
psicologia programa
ministério público
língua portuguesa
público federal
Corte interamericana