Lucia terezinha zanato tureck


A Entrevista Semi-Estruturada



Baixar 440 Kb.
Página12/19
Encontro03.03.2019
Tamanho440 Kb.
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   19

3.1.2 A Entrevista Semi-Estruturada

Considerada como a técnica por excelência na investigação social por muitos autores, segundo Gil (1995, p. 113), a entrevista tem por característica a flexibilidade, possibilita um maior número de respostas e a captação de expressões corporais do entrevistado. As desvantagens da utilização da entrevista, como desinteresse dos entrevistados ou fornecimento de respostas falsas, dentre outras, podem ser superadas pela própria flexibilidade da entrevista, preparo e habilidade do pesquisador.


Dentre as várias formas de entrevista, a semi-estruturada se destaca por possibilitar melhores resultados quando se trabalha com grupos diversos de pessoas. Partindo de questões básicas para a pesquisa, abre-se para perspectivas de análise e interpretação das idéias em questão, favorecendo ”não só a descrição dos fenômenos sociais, mas também sua explicação e a compreensão de sua totalidade, tanto dentro de sua situação específica, como de situações maiores” (TRIVIÑOS, 1987, p. 152).
Para as entrevistas semi-estruturadas desta pesquisa contemplaram-se categorias previamente definidas, as quais nortearam as questões para atender aos objetivos propostos. Os grupos de pais e professores tiveram as categorias: participação, mediação e conhecimento, assim explicitadas:

  • concepção de filho/ aluno com deficiência visual

  • concepção de ensino e aprendizagem para filho/aluno com deficiência visual

  • decisões a respeito do filho/aluno nas questões escolares

  • o filho/aluno com deficiência visual e o conhecimento

3.2 OS SUJEITOS DA PESQUISA


Os sujeitos desta pesquisa são alunos com deficiência visual que freqüentam classes de Ensino Fundamental, do município de Cascavel, Paraná, seus pais e seus professores das classes comuns e os professores especializados. Esses alunos recebem atendimento especializado nos CAEDVs, procedimento já explicitado no segundo capítulo.
Para compor o primeiro grupo de pesquisa, selecionaram-se os alunos com deficiência visual que freqüentam o ensino fundamental e que necessitam de material didático adaptado, ou seja, escrita no sistema braile, cálculos no sorobã, mapas e figuras em relevo para cegos, e ampliação gráfica ou uso de auxílios ópticos para ampliação de mais de vinte dioptrias11 (lupas manuais, lupas eletrônicas, telelupas, óculos com lentes especiais) para alunos com visão reduzida. O outro requisito para a escolha foi que o aluno não tenha outra deficiência associada, pois quando isto ocorre os alunos freqüentam classes especiais ou outros programas nos CAEDVs.
Desta forma, esse primeiro grupo de pesquisa compôs-se de doze alunos, sendo cinco cegos e sete com visão reduzida, os quais freqüentam da 1ª a 6ª série do ensino fundamental, em escolas municipais, estaduais e particulares. Esses alunos freqüentam um CAEDV no turno contrário ao de suas aulas e compõem a totalidade dos alunos com deficiência visual do ensino fundamental de Cascavel, de acordo com os critérios citados.
É importante ressaltar que a deficiência visual, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem uma incidência de 0,5 % dentro dos 10 % da população que possui alguma forma de deficiência, nos países em desenvolvimento (CORDE; CVI, 1994). O número de pessoas com deficiência visual em Cascavel, cidade do oeste do Paraná, cadastradas na ACADEVI, é de aproximadamente quatrocentas, abaixo do que indica a estimativa da OMS (mil e duzentas e cinqüenta pessoas). Todavia, se comparados com outras regiões do Paraná, e mesmo do país, o número de crianças e jovens escolarizados em Cascavel pode ser considerado significativo.
As principais características do primeiro grupo pesquisado podem ser apresentadas da seguinte forma:




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   19


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa