Leia os dois poemas de Manuel Bandeira



Baixar 1,26 Mb.
Página1/60
Encontro09.08.2018
Tamanho1,26 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   60




UFPR  PROCESSO SELETIVO 2004  NC




PRIMEIRA ETAPA



PORTUGUÊS

LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA

REDAÇÃO

PORTUGUÊS
Leia o texto abaixo.
Os conceitos de "público" e "privado" podem ser interpretados como a tradução em termos espaciais de "coletivo" e "individual".

Num sentido mais absoluto, podemos dizer: pública é uma área acessível a todos a qualquer momento; a responsabilidade por sua manutenção é assumida coletivamente. Privada é uma área cujo acesso é determinado por um pequeno grupo ou por uma pessoa, que tem a responsabilidade de mantê-la.

Esta oposição extrema entre o público e o privado – como a oposição entre o coletivo e o individual – resultou num clichê, e é tão sem matizes e falsa como a suposta oposição entre o geral e o específico, o objetivo e o subjetivo. Tais oposições são sintomas da desintegração das relações humanas básicas. Todo mundo quer ser aceito, quer se inserir, quer ter um lugar seu. Todo comportamento na sociedade em geral é, na verdade, determinado por papéis, nos quais a personalidade de cada indivíduo é afirmada pelo que os outros vêem nele. No nosso mundo, experimentamos uma polarização entre a individualidade exagerada, de um lado, e a coletividade exagerada, de outro. Coloca-se excessiva ênfase nestes dois pólos, embora não exista uma única relação humana que se concentre exclusivamente em um indivíduo ou em um grupo, ou mesmo que se concentre de modo exclusivo em todos os outros, ou seja, no "mundo externo". É sempre uma questão de pessoas e grupos em inter-relação e compromisso mútuo, ou seja, é sempre uma questão de coletividade e indivíduo, um em face do outro.
(HERTZBERGER, H. Lições de arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 1999. p. 12.)



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   60


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal