Julianna pereira gandra


– USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS: UMA BREVE ABORDAGEM



Baixar 246,74 Kb.
Página7/14
Encontro16.01.2020
Tamanho246,74 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   14
1 – USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS: UMA BREVE ABORDAGEM



    1. A SOCIEDADE E AS DROGAS

O uso de drogas é um fenômeno bastante antigo na historia da humanidade e a sua utilização de forma abusiva constitui um grave problema de saúde pública, com sérias consequências pessoais e sociais no futuro de jovens e de toda a sociedade.

O uso de drogas sempre fez parte do cotidiano das sociedades. Richard Bucher, psicanalista, doutor em Psicologia pela Universidade Católica de Lovaina, Bélgica, enfatiza que

em todas as sociedades sempre existiram drogas, utilizadas com fins religiosos ou culturais, curativos, relaxantes ou simplesmente prazerosos. Graças às suas propriedades farmacológicas, certas substâncias naturais propiciam modificações das sensações do humor e das percepções. Na verdade, o homem desde sempre tenta modificar suas percepções e sensações, bem como a relação consigo mesmo e com seus meios naturais e sociais. Recorrer a drogas psicoativas representa uma das inúmeras maneiras de atingir este objetivo, presente na história de todos os povos, no mundo inteiro. Antigamente, tais usos eram determinados pelos costumes e hábitos sociais, e ajudaram a integrar pessoas na comunidade, através de cerimônias coletivas, rituais e festas. Nessas circunstâncias consumir drogas não representava perigo para a comunidade, pois estava sob o seu controle. Posteriormente, as drogas passaram a ter outra conotação, devido ao desregulamento destes costumes, em consequências das grandes mudanças sociais e econômicas. (1994:10)

Já no período chamado das Grandes Navegações, séculos XV e XVI, o conhecido aguardente (cachaça), rum e genebra, não eram estragados nas embarcações, permitindo assim que as bebidas tornassem uma mercadoria de grande valor no comércio mundial.

No mesmo período estas especiarias foram se tornando matérias primas em vários continentes distantes e grande parte era constituída das chamadas “plantas mágicas”, tais como: café, tabaco, açúcar, pimenta, ópio, coca e maconha. Estas plantas possibilitavam alteração no comportamento de quem as consumia, principalmente a não percepção da realidade. Neste período do incremento comercial e alteração dos sentidos de valor de uso dessas substâncias, o consumo das mesmas era marcado pelo pharmacon2.




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   14


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal