Ideias chave das apresentações realizadas na aula teórica 23/11/2011 grupo 1



Baixar 14.2 Kb.
Encontro05.07.2018
Tamanho14.2 Kb.

Ideias chave das apresentações realizadas na aula teórica 23/11/2011


GRUPO 1

O grupo 1 teve como missão expor numa linha de tempo, do mais antigo até a atualidade, os diferentes tipos de educação.

Começaram em 600 a.C., passaram pela Grécia, Roma (educação militarista), época dos descobrimentos, revolução industrial, século XIX e século XX.

GRUPO 2

Este grupo falou mais aprofundadamente sobre a educação no período Antes de Cristo.

Iniciaram com o Período Primitivo, em que a educação era dada pelos chefes de família e através da aquisição de experiências. A Educação Física era através do jogo e da imitação de atividades de tecelagem.

Não havia espaço para a inovação, originalidade ou criatividade pessoal.



Confúcio remete-nos para a ideia de “Tau”, que significa: procura da verdade. Confúcio tinha quatro pilares fundamentais: formação, família, sociedade e estado. Os contributos deste autor para a EF são:

  • Transmissor de valores e ideias da sociedade: “Escola como agente educativo.”

  • Postura do professor perante o aluno.

Sócrates foi um dos fundadores da atual filosofia ocidental. É autor da seguinte expressão: “Conhece-te a ti mesmo”. Diz que a virtude não pode ser ensinada às pessoas e que os erros são consequência da ignorância humana. Os seus contributos para a EF são:

  • Culto do corpo;

  • Devemos criar as nossas próprias conceções;

  • O professor é o orientador do conhecimento;

  • “Torna-te consciente da tua ignorância e serás sábio!”

Platão criou a teoria das ideias/formas. Falou-se sobre o Mito da Caverna, onde as principais ideias a reter são a existência de dois mundos, o inteligível (fora da caverna) e o sensível (dentro da caverna). O principal contributo deste autor para a EF é:

  • Os nossos alunos não podem como os homens acorrentados dentro da caverna, ou seja, não os podemos limitar, mas sim potenciar a descoberta.

Aristóteles brindou-nos com a seguinte expressão: “A educação como um caminho para atingir a vida pública”. Salienta ainda a importância do movimento para as crianças, os jogos como terapia de bem-estar e a ginástica moderada para a não perturbação do desenvolvimento natural do corpo! Além destas ideias chave relacionadas com EF o autor destaca o desenvolvimento global, ou seja, desenvolvimento ao nível físico, cultural, social e intelectual.

O último autor deste período tempo é Epicuro que usa a filosofia como um meio para atingir a felicidade (ausência de dor). Enfatiza a busca pelo prazer – saúde e fala de dois desejos: os naturais (necessários e naturais) e frívolos (artificiais e irrealizáveis). OS seus contributos para a EF são:



  • Desporto como componente lúdica;

  • Prazer no desporto;

  • Corpo firme;

  • Meio para atingir a felicidade;

  • Meio comunicativo.

GRUPO 3

Este grupo remete-nos para autores até ao Século XIX.

No Período Romano fala-nos de dois autores, Sêneca e Quintiliano.

Sêneca refere a educação como treino para a prática e regala-nos com a seguinte expressão: “Aprendemos melhor ensinando”.

Quintiliano diz que existem diferenças entre os alunos e que devemos agir sobre elas. Fala pela primeira vez dos intervalos na escola e da sua importância. O seu contributo para a EF prende-se com a necessidade de estruturar a educação física por patamares.

No Período Medieval temos também dois autores, Tomás de Aquino e Carlos.



Tomás de Aquino aparece como seguidor da Teoria do Conhecimento e afirma que a vontade e a iniciativa levam-nos ao aperfeiçoamento.

Carlos fala da reforma da educação e que esta deve dar ao sujeito ferramentas para desenvolver a capacidade de raciocínio.

No Período Renascentista, Michel Montaigne diz que o sujeito tem consciência e reflete sobre as suas ações.



Martinho Lutero era padre, mas devido às suas ideias opostas às da igreja, deixou de o ser! Fundou o Luteranismo que era nada mais nada menos que uma corrente protestante.

Por fim, no Período Moderno, são-nos presenteados dois autores também.



Jean-Jacques Rousseau, refere que o Homem é bom por natureza, mas a sociedade corrompe os homens. Relativamente à educação: a criança é cativada a exprimir-se de forma natural e não obrigada. O seu contributo para a EF centra-se na exemplificação que deve ser dada aos alunos.

Johann Heinrich Pestalozzi afirma que a criança primeiro deve ser estimulada em casa e só depois na escola. Chama a atenção para a importância dos valores e das habilidades e diz que o corpo é importante e devemos promovê-lo.

GRUPO 4

Este grupo fala de vários especialistas do século XX.

O primeiro especialista é Jean Piaget, com a Teoria Psicogenética. São referidos os vários estádios da teoria e deixa-nos com a expressão: “O professor não ensina, mas ajuda o aluno a aprender.”

Outro autor é Levi Vigotsky com a teoria Construtivista – aquisição de conhecimentos nas interações sociais. O Homem é interativo, visto que se relaciona com os outros. Fala-nos da Zona Desenvolvimento Aproximada, do Estado Desenvolvimento da Criança (pensamento – linguagem)



Carl Rogers remete-nos para o Ensino Centrado no Aluno – é o centro do processo, participação ativa do aluno. Os seus contributos para a EF são:

  • Um clima de confiança e compreensão proporciona uma maior produtividade;

  • Aceitação incondicional do aluno (interação professor – aluno);

  • Poder sob o aluno (expert);

  • “Aprender é lindo, ensinar é ridículo, agora pensem!”

Maria Monteori fala-nos da autoeducação em vez da transmissão de conhecimento. Afirma que a educação vai mais além do acumular de informação. Diz que os alunos não tinham livros e que aprendiam a pesquisar.

Benjamim Bloom fala-nos da Taxonomia dos objetos educacionais. A sua obra está dividida em 3 domínios:

  • Cognitivo (conhecimento…)

  • Afectivo (recepção, resposta e valorização)

  • Psico-motor (Percepção, automatismos, resposta complexa)

De salientar que cada nível é mais específico e complexo que o anterior e que estes domínios são interligados.

Por último, Eduard, aparece como um psicólogo desenvolvimento da criança. A sua psicologia é funcionalista e é salientada a pedagogia experimental. Diz que as atividades da aula devem ser apresentadas como um jogo e que só mais tarde deve haver uma passagem do jogo para o trabalho. Diz ainda que deve haver uma redução do currículo para no tempo restante o aluno escolher o que quer fazer! Fala ainda das classes paralelas: uma para alunos mais inteligentes e outra para alunos menos inteligentes. O seu contributo para a EF é:



  • O lúdico não como recurso, mas sim como método (adaptar a prática ao contexto!)

CONCLUSÃO/REFLEXÃO

Durante a aula, estes foram os apontamentos que consegui tirar e que achei mais importantes! O facto de ser uma aula expositiva proporcionou que por vezes eu não conseguisse “apanhar” alguma informação, talvez até, importante. Contudo consegui ficar com uma ideia bastante generalizada acerca do que foi apresentado pelos meus colegas e certamente ser-me-á útil no futuro como professor de Educação Física.
Baixar 14.2 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa