História das ideias pedagógicas: contribuiçÕes da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica para o ensino de crianças pequenas



Baixar 78,17 Kb.
Página1/8
Encontro13.03.2018
Tamanho78,17 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8

HISTÓRIA DAS IDEIAS PEDAGÓGICAS: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL E DA PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA PARA O ENSINO DE CRIANÇAS PEQUENAS.
Janaina Cassiano Silva- UFSCar

janacassiano@hotmail.com

FAPESP
Merilin Baldan – FCLAr/UNESP



merilinbaldan@gmail.com

FAPESP
Palavras-chaves: Ensino. Ideias Pedagógicas. Materialismo histórico-dialético.



Introdução
O presente trabalho está pautada no referencial teórico das Ideias Pedagógicas, que partilha do materialismo histórico-dialético e das duas primeiras gerações da Escola dos Annales; os procedimentos metodologicos para a sua realização está ancorado nas categorias de análise propugnadas por Dermeval Saviani (2007):

  • Princípio de Caráter Concreto: Esta categoria tem a finalidade de investigar a relações dos aspectos da realidade investigada e, nesse caso, nossa investigação incide na defesa na negação do Ato de Ensinar na Sociedade Contemporânea.

  • A Perspectiva de Longa Duração: Demonstra a preocupação de captar os movimentos orgânicos/estruturais do período investigado, considerando sua circularidade, continuidade e ruptura. Desse modo, abordamos a discussão ao longo da Sociedade Moderna, no qual a partir dos movimentos da Revolução Francesa e do Iluminismo apresentaram o discurso da democratização do ensino, muito embora, realizaram duas propostas distintas para abarcar as diferentes classes sociais.

  • O Olhar Analítico-Sintético: A partir do levantamento da análise das fontes, permitimo-nos captar esse movimento, verifcando o contexto histórico, os discursos contemporâneos sobre o ato de ensinar e as ideias pedagógicas das correntes com as quais elencamos em nosso trabalho

  • A Articulação Entre o Singular e o Universal: Essa categoria auxilia-nos a compreender as relações de reciprocidade, determinação e subordinação entre as esferas local, nacional e internacional; desse modo, vericamos que o Estado Liberal, em sua concepção de sociedade, de homem e de educação, configura-se de modo distinto do paradigma no Estado Socialista Comunista. Nesse sentido, a problemática do ensino do Estado Liberal é contraposta a defesa do ensino pela sociedade Soviética, além de verificarmos a defesa do ensino na proposta pedagógica brasileira que se insere nas contradições do capital para (re)afirmar a igualdade de direitos (e deveres), bem como salientam a luta para a construção de uma sociedade com valores socialistas - comunistas.

  • A Atualidade da Pesquisa Histórica: A necessidade intencional da investigação histórica, apresenta-se como caracterista do materialismo histórico-dialético, no qual a história permite atentar-se a problemática do presente, observando pela analise retrospectiva as raizes do problema e as suas implicações, de modo a nos permitir galgar novos passos para o futuro.

Mediante nosso referencial teórico-metodológico, salientamos o objetivo geral de desvelar as implicações da negação do ato de ensinar e (re)afirmar a defesa do ensino, como forma de instrumentalizar o sujeito histórico e a promover as ferramentas necessárias para que estes possam construir uma sociedade “igualitária” de fato. Para tal, perscrutamos os objetivos específicos, a saber: investigar o ato de ensinar na sociedade contemporânea, verificar as implicações da sua negação e da sua defesa e, por fim, analisar as contribuições das correntes pedagógicas que defendem o ensino, das quais optamos por trabalhar com a Psicologia Histórico-Cultural e a Pedagogia Histórico-Crítico.

Desta forma, apresentaremos neste trabalho parte das discussões das pesquisas concluídas e em andamento investigadas por nós ao longo de nossa formação acadêmica, com financiamento da FAPESP. Organizamos o artigo da seguinte maneira: a primeira parte procura trabalhar com a problemática do ato de ensinar na sociedade contemporânea, ou seja, o debate em torno da defesa e da negação do ensino. A segunda parte, procura salientar a importância da defesa do ato de ensinar para se pensar uma práxis pedagógica calcada no materialismo histórico-dialético. Em seguida, apresentamos as contribuições das duas matrizes educacionais que fazem a defesa do ato de ensinar e da sociedade socialista comunista. Por último, tecemos algumas considerações a respeito da temática apresentada.


: novo -> congressos -> cbhe6 -> anais vi cbhe -> conteudo -> file
file -> Nova leitora
file -> A semiologia do escolar construída pelo dr. Ugo pizzoli
file -> Um livro proveitoso para a mocidade estudiosa da belém do pará no começo do século XX: alma e coraçÃO
file -> A escrita da História da Educação no Brasil: formando professores
file -> A psicologia Tradicional e o espontaneísmo na educação de crianÇas menores de 03 anos: uma análise dos Documentos Oficiais norteadores da Educação Infantil no Brasil (1998-2006)
file -> História da escola normal de natal (rio grande do norte, 1908-1971)
file -> Cláudia Maria Mendes Gontijo2
file -> O grêmio das Violetas, a Cruz Vermelha Paranaense e as discussões sobre a saúde infantil
file -> A educaçÃo dos sentidos na concepçÃo das escolas maristas em são paulo no início do século XX (1908-1931): o uso do


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal