Grupos de Apoio Psiconutricional



Baixar 10,12 Kb.
Encontro11.06.2018
Tamanho10,12 Kb.


Grupos de Apoio Psiconutricional

Autora: Luiza Franco Dias

Orientadora: Nelma Campos Aragon

Instituto de Psicologia Social Pichon Riviéri

Email: luhh21@hotmail.com


  1. Introdução

O trabalho sobre Grupos de Apoio Psiconutricional surgiu da necessidade de se trabalhar de forma interdisciplinar, somando saberes da Psicologia e da Nutrição para intervenção em casos de obesidade, compulsão alimentar, sedentarismo e maus hábitos comportamentais.  

Propõe-se mostrar o funcionamento do Grupo de Apoio Psiconutricional por meio de uma perspectiva de Pichon Riviéri sobre Grupos Operativos.

No Grupo de Apoio Psiconutricional, as tarefas explícitas se constituem de dinâmicas grupais, atividades reflexivas, diálogos que fomentem o pensamento, amadurecimento emocional e melhora na qualidade de vida. A tarefa implícita surge para trabalhar ansiedades, medos e resistência à mudança.




  1. Objetivo

Este trabalho tem como objetivo dissertar acerca da Intervenção Psiconutricional em Grupo, bem como apontar a funcionalidade de Grupos Operativos no tratamento da obesidade.

  1. Metodologia

Foram utilizadas revisões bibliográficas de livros e artigos para discursar sobre o trabalho. A população alvo para realização dos Grupos de Apoio Psiconutricional deve ser composta por pessoas adultas, com sobrepeso, de ambos os gêneros, respeitando o número máximo de oito integrantes.

Os grupos são fechados, com periodicidade dos encontros semanais e duração de 1h 20 minutos. As intervenções são compostas de dinâmicas de grupos, análise e interpretação do conteúdo trazido pelos membros, pesagens e plano alimentar realizados quinzenalmente com a nutricionista de forma individual em horário extra grupal e atividades que propiciem a reflexão, o autoconhecimento e o amadurecimento emocional.


  1. Resultados

Conseguiu-se observar que os processos terapêuticos em grupo surtem mais efeitos na conquista dos objetivos de reeducação alimentar, mudança de hábitos e perda de peso do que as intervenções individuais. Muitos modelos grupais auxiliam neste processo como grupos operativos reflexivo com base psicanalítica, psicodrama, cognitivo comportamental, interdisciplinar, psicoeducacional, vigilantes do peso, de acompanhamento no pré e pós operatório de cirurgia bariátrica, entre outros.

Foi possível compreender que o objetivo comum possibilitou maior empatia entre os membros do grupo, aumentando os fatores motivacionais em adotar comportamentos mais saudáveis, como por exemplo, a realização do exercício físico aliado a redução calórica.


  1. Contribuições

Concluiu-se que ao trabalhar com grupos e de forma interdisciplinar nos transtornos da obesidade cria-se um leque de intervenções que possibilitam melhores resultado. Observa-se que existe uma grande procura para métodos rápidos de perda de peso, que muitas vezes são realizados de forma independente sem acompanhamento médico, nutricional ou psicológico adequado. Isso ocasiona um fácil reganho de peso, pois não existe uma internalização e amadurecimento no processo de tornar-se magro.

Percebeu-se que os indivíduos que buscam os Grupos de Apoio possuem conhecimento nutricional, pois na maioria das vezes já frequentaram de forma individual a um nutricionista, passando pelo processo de reeducação alimentar, mas sem sucesso. O grupo permite que existam trocas de experiências que sejam comuns aos membros do grupo, possibilitando a eles adquirirem novas atitudes internas, as quais possibilitam uma mudança real nos hábitos e condutas.

Busca-se, portanto, a criação de um grupo que funcione como um holding, já que possibilita suporte e espaço para troca de vivencias e conscientização de obstáculos que impedem o emagrecimento, induzindo a obesidade.



.


Compartilhe com seus amigos:


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal