Gay espancado na rua em são paulo


GAY É DOPADO COM O GOLPE "BOA NOITE CINDERELA"



Baixar 463,88 Kb.
Página5/85
Encontro17.03.2018
Tamanho463,88 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   85

3. GAY É DOPADO COM O GOLPE "BOA NOITE CINDERELA"


Eu Mauricio resolvi me expor e relatar o que me aconteceu no último sábado, dia 20/03, porque acredito que todos devemos estar atentos e unidos contra este tipo de gente que anda agindo por aqui. No carnaval, no Rio de Janeiro, conheci um rapaz bem apessoado, chamado “Leandro”, que ficou no meu pé para sair comigo. Pediu meu telefone de São Paulo, dizendo que morava aqui e que queria um relacionamento sério. Passei o número do meu celular e esqueci a estória. O carnaval terminou e ele ligou perguntando se ainda estava no Rio.

Como eu já havia voltado ele ficou de me ligar quando retornasse de lá. Sumiu. No sábado ele reapareceu, ligando para o meu celular e pedindo para marcar encontro no Frans Café, da Aclimação. Eu disse que já tinha uma festa para ir e que poderia encontrá-lo no centro, no Vermont Bear caso ele quisesse. Ele fez de tudo para não me encontrar na porta, mas não levei a mal e marcamos na frente da Padaria Nova Vieira.

Cheguei lá e ele estava com um amigo surgido do nada. Saímos e fomos até o Chopp Escuro. Como não bebo eles tomaram só um chopp cada e fomos para o Espetinho (bar da Lilian Ramos que fica na rua Canuto du Val). Lá pediram sangria e como não bebo também, só tomei poucos goles do copo deles mesmo. Por isso não acredito que tenham me drogado assim. Começou a rolar um papo de sacanagem pesada e eu logo vi que era fria. Disse então que iria embora. Fizeram-me ficar e levá-los até a padaria na Haddock Lobo. Antes me deram um chiclete de canela tipo bubaloo (com líquido dentro). Lembro somente de ter chegado lá e de ter me despedido deles. Depois tudo cai no esquecimento. Fui vítima do “Boa Noite Cinderela”, e soube por outro amigo que me viu no Autorama já no banco do carona do meu carro indicando o caminho da minha casa. Levaram-me até lá, me drogaram mais, levaram objetos da casa, bem como do banco. Meus amigos só me encontraram no domingo à noite, depois de muita procura. Fui hospitalizado e eles ACHARAM NA MINHA CASA OUTRA VÍTIMA DO MESMO GOLPE, que foi pego na Alameda Lorena, num bar, com outros dois indivíduos. Acredito ser, assim, uma quadrilha. E se eles me contataram no Rio, podem ter escolhido outras vítimas lá. E não agem em bares especificamente gays, nos levando a outros lugares onde não possamos encontrar amigos. Por isso estou mandando este e-mail, para que vocês fiquem espertos e repassem ao maior número de pessoas possíveis, principalmente as que estiveram no carnaval no Rio. O Leandro é de pele moreno claro, 1.87m, cabelos pretos encaracolados, olhos pretos. O Márcio tem 1.70m, olhos verdes, cabelos castanhos e se diz parecido com o cantor Leonardo. Ambos disseram ser de Vitória – ES. Cuidado com bebidas, balas, chicletes, enfim, com qualquer tipo suspeito. [Fonte: Cássio - cassioros@bol.com.br, São Paulo/Sp, 17/1/2004]




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   85


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal