Fim de século a “belle époque” (período que vai de cerca de 1870 até cerca de 1920) a voz da história Atraente



Baixar 1,14 Mb.
Página1/7
Encontro24.06.2018
Tamanho1,14 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7

FIM DE SÉCULO - A “BELLE ÉPOQUE”

(período que vai de cerca de 1870 até cerca de 1920)
A voz da história

Atraente
(Chiquinha Gonzaga)

Rebola bola e atraente vai


Esmigalhando os corações com o pé
E no seu passo apressadinho, tão miúdo, atrevidinho
Vai sujando o meu caminho, desfolhando o mau me quer
Se bem que quer, seja se quer ou não
Bem reticente, ela só faz calar
Ela é tão falsa e renitente, que até,
Atrai só o seu pensar
Ilustração ao estilo Art Nouveau – Alfonse Mucha

Como é danada
perigosa
vaidosa
desastrosa
escandalosa
rancorosa
e rancorosa
incestuosa
e tão nervosa
e bota tudo em polvorosa, quando chega belicosa
bota tudo pra perder
Amour, amour
Tu jure amour, trè bien
Mas joga fora esta conversa vã
Não vem jogar fla-flu no meu maracanã
não sou Juju balangandã
Meu coração, porém, diz que não vai
Suportar esta maldita, inenarrável solidão
Se assim for, ele vai se esbudegar
E te ver se despinguelar numa desilusão
Definição

Com a descoberta do aço, em 1850, inicia-se a Segunda Fase da Revolução Industrial muito mais expressiva que a anterior, pois – além da rapidez com que conduzia as transformações - deu a motivação final para as realizações econômicas da burguesia. Essa época foi caracterizada pela utilização da eletricidade, do motor de combustão interna no lugar do vapor, o petróleo no lugar do carvão e o aço no lugar do ferro, além dos expressivos avanços nas comunicações e na crescente urbanização.

Com essas “Revoluções”, a vida urbana adquiriu novas expressões, fazendo a burguesia conquistar as lideranças no poder das cidades, terminando com algumas das últimas monarquias existentes, exemplo que pode ser aplicado ao Brasil. Por sua vez, as cidades estavam se tornando basicamente o espaço das indústrias que, com suas diversificadas tarefas e atividades, atraíam (como ainda atraem) inúmeras pessoas do campo na busca de “melhores condições de vida” e de conforto.

Todas essas rápidas transformações se realizaram em um curto período de tempo, sendo caracterizadas posteriormente como a “Belle Époque” (Bela Época), pois antes dela não se tinha vivido tão intensamente a expectativa de um futuro belo, facilitado pela difusão da ciência, da tecnologia e do progresso.

“Belle Époque” é, assim, a expressão francesa utilizada para indicar um período de (aparente) tranquilidade da sociedade, no qual se manifestou a supremacia burguesa nos grandes centros. Destaco a palavra “aparente” na frase acima, pois por baixo da “casca” de felicidade e progresso duas tragédias estavam sendo elaboradas: foram as conquistas econômicas desse período que contribuíram para o advento da 1ª Guerra Mundial, que por sua vez levou à Segunda Grande Guerra.

O historiador Eric Hobsbawm comenta que: “De meados dos anos de 1890 à (1ª) Grande Guerra, a orquestra econômica mundial tocou no tom maior da prosperidade (...). A afluência, baseada no ‘boom’ econômico, constituía o pano de fundo do que ainda é conhecido como ‘a bela época’ (Belle Époque).”

Com o desenvolvimento da produção industrial e o avanço científico-tecnológico, modificou-se a vida da burguesia (em especial a francesa) que serviria, posteriormente, de modelo para o novo estilo de vida das sociedades, pois, Paris dispunha da reputação de ser o centro universal do bem-estar, do conforto e da riqueza. Por conta disso, o mundo deste período (e consequentemente a arte) se torna mais “afrancesado”.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal