File Edit View Tools Help


Meu povo trocou cauim por cachaça [...] E assim roubaram a alma do nosso



Baixar 220,42 Kb.
Página9/17
Encontro05.12.2019
Tamanho220,42 Kb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17

TEXTO 3

Meu povo trocou cauim por cachaça [...] E assim roubaram a alma do nosso povo. E sem sua alma, sem seu riso, sem sua terra, índio morreu. [...] Quando homem branco veio, disse que índios falavam com espíritos maus e índio deixou de escutar a voz de dentro.”


ZOTZ, Werner. Apenas um curumim. 20 ed. Rio de Janeiro: Editorial Nórdica, 1995, p. 21, 27, 38.



Questão 13

Com base no TEXTO 3 e na obra de Werner Zotz, é CORRETO afirmar que:


01. na obra, há dois narradores (o pajé e o curumim). No excerto, aparece a voz do pajé que faz uma reflexão a respeito da aculturação de seu povo.


  1. o trecho faz uma crítica à destituição da cultura indígena, que pode ser representa-da pela troca de “cauim por cachaça”
    (linha 1).

04. o narrador afirma que roubaram a alma do seu povo, como metáfora para explicar a perda de identidade do povo indígena.


08. em “Quando homem branco veio, disse que índios falavam com espíritos maus e índio deixou de escutar a voz de dentro” (linhas 4-7), os verbos destacados indicam, respec-tivamente, uma ação concluída e uma ação habitual no passado.
16. em “meu povo” (linha 1) e “nosso povo” (linha 2), os dois pronomes são de primeira pessoa e fazem referência aos indígenas.
32. a forma “Quando homem branco veio” (linhas 4-5) pode ser substituída por “Enquanto homem branco veio”, sem perda de valor semântico, já que as duas expressões são marcadores temporais de ação ocorrida no passado.
64. a frase “E assim roubaram a alma do nosso povo” (linhas 1-2) pode ser reescrita, mantendo o significado, da seguinte forma: “E entretanto eles roubaram a alma do nosso povo”.


1


5

10







Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal