Estudo de caso: rabelados em espinho branco s. Miguel, ilha de santiago



Baixar 313,99 Kb.
Página1/48
Encontro16.08.2018
Tamanho313,99 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   48


Universidade de cabo Verde

Departamento de Ciências Sociais e Humanas


Teresa Lúcia Mendes Cardoso

PROBLEMA DE FREQUÊNCIA DO PRÉ-ESCOLAR NA COMUNIDADE DOS RABELADOS

ESTUDO DE CASO: RABELADOS EM ESPINHO BRANCO S. MIGUEL, ILHA DE SANTIAGO.




Teresa Lúcia Mendes Cardoso



PROBLEMA DE FREQUÊNCIA DO PRÉ-ESCOLAR NA COMUNIDADE DOS RABELADOS EM ESPINHO BRANCO S. MIGUEL – ILHA DE SANTIAGO.


















Teresa Lúcia Mendes Cardoso autora da monografia intitulada “Problema de Frequência do Pré-Escolar na Comunidade dos Rabelados em Espinho Branco S. Miguel – Ilha de Santiago”, declaro que, salvo fontes devidamente citadas e referidas, o presente documento é fruto do meu trabalho pessoal, individual e original.





Cidade da Praia, aos 3 de Setembro, de 2009

Teresa Lúcia Mendes Cardoso






Memória Monográfica apresentada à Universidade de Cabo Verde como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Licenciatura em Educação de Infância




Sumário
A exploração dos resultados do estudo revela que tanto a informação como o trabalho monográfico que hora se apresenta espelha um estudo elaborado no quadro do curso de Educação de infância da Universidade de Cabo Verde, como uma das exigências para obtenção do grau de Licenciatura, sob a temática “Problema de Frequência do Pré-Escolar na Comunidade dos Rabelados em Espinho Branco S. Miguel – Ilha de Santiago”.

Procura-se neste trabalho trazer para debate a problemática de frequência do pré-escolar na Comunidade, bem como o que pensem os pais que não matricularam os seus filhos nesse jardim,ou seja que perspectivas futura para essas crianças e comunidade em geral,visto que há crianças estão dentro do sistema do ensino pré- escolar e que moram em “funcos” tradicionais, assim como outras que se encontram fora do sistema. Convém referir ainda que cinquenta por centro das crianças inscritas no pré- escolar estão registadas e outras não, numa perspectiva de melhoria das prestações auferidas.

Centrada em duas abordagens, uma teórica e outra prática, este trabalho projecta de forma resumida alguns pensamentos cujo relevância está na sua estreita ligação com a temática que aqui se desenvolve, sempre em perfeita harmonia com a realidade, objecto do estudo. Conhecer o papel do pré-escolar no desenvolvimento das crianças; conhecer o pensamento dos pais sobre a problemática em estudo. Entre os diversos autores citados, registam-se os trabalhos desenvolvidos por FREDERICO FROEBOL (1783-1852), e Maria Montessori (1870-1952) que proponham peculiares para o desenvolvimento do trabalho pedagógico com crianças; por alguns clássicos psicólogos e sociólogos tais como Piaget (1946-1983), Erickson (1976). Esta rica explanação culmina com uma exploração dos dados resultante de observações, entrevistas cuja pretensão era de auscultar e analisar as opiniões dos diversos intervenientes quanto ao problema de frequência do pré-escolar na comunidade dos rabelados em Espinho Branco S. Miguel – Ilha de Santiago.

A frequência do pré-escolar revela como de essencial a contribuir para melhoria de uma comunidade, como tal a dos rabelados em espinho Branco, S. Miguel – Ilha de Santiago.

Palavras-chave: Frequência do Pré-Escolar; Inserção Social; Comunidade dos Rabelados.


Agradecimentos

Na elaboração deste trabalho monográfico, foi importante e necessário a colaboração e a sinergia de outros intervenientes. Visto que, sem essa colaboração poderia comprometer a sua realização. Nesta óptica, é com imenso prazer e satisfação que agradeço a todos que contribuíram para que esta monografia se tornasse uma realidade.

De uma forma especial, agradeço à minha família, designadamente as minhas queridas filhas, Dircelena Lúcia Martins e Márcia Eviline Martins que ao longo destes anos esteve sempre ao meu lado incentivando-me e dispensado toda a paciência, o apoio e carinho nesta longa caminhada, cheio de desânimos e tristezas, paixões e alegrias, para vencer mais este desafio.

Aos meus pais pelo carinho e apoio que me tem dispensado ao longo da minha vida.

Ao orientador deste trabalho, Professor DR. Carlos Jorge Spínola, pela disponibilidade e paciência que teve comigo, disponibilizando-me bibliografias, bem como o acompanhamento deste trabalho.


De forma muito especial, merece destaque a pessoa do meu irmão José Maria Cardoso, pelo seu apoio na disponibilização de artigos e outros materiais relacionados com o tema.
Aos demais professores pela transmissão dos seus conhecimentos e pela ajuda que me tem dado quando solicitado.
Aos meus colegas de turma, destacadamente as minhas colegas (Gorrete e Marlene), que nas horas mais difíceis esteve sempre presente.

Enfim os meus agradecimentos são extensivos à todos aqueles que de uma maneira ou de outra tomaram e fizeram parte deste trabalho, contribuindo para a sua qualidade e utilidade.



Índice





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   48


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal