EstruturaçÃo de grupo balint júnior: relato de uma experiência inovadora



Baixar 6,99 Kb.
Encontro25.04.2018
Tamanho6,99 Kb.


ESTRUTURAÇÃO DE GRUPO BALINT JÚNIOR: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA
Mateus Joacir Benvenutti; Brenda Souza De Oliveira Reis; Alex Bertolazzo Quitério; Jonathas Jiuliano Domingos; Marlene Rodrigues De Novaes
Universidade Estadual de Maringá
Intodução: São muitos os problemas enfrentados pelos estudantes de medicina no transcorrer do curso: dramas pessoais; competição interpares; conflitos com docentes; contato com a morte; exposição às dores e ao sofrimento de pacientes, entre outros. Tais fatos interferem na aprendizagem e impactam negativamente a relação médico-paciente. Objetivo: Criar um ambiente favorável à discussão das experiências vivenciadas por alunos, contribuindo para a formação de uma identidade médica humanista e melhor relação médico-paciente. Relato de experiência: Relata-se a construção de Grupo Balint Júnior, uma adaptação dos Balint tradicionais, como iniciativa de alunos da graduação em Medicina. Seguindo a configuração tradicional, optou-se pelas discussões em quatro fases com coordenação por parte de um profissional da saúde mental. Porém, diferentemente do modelo original, que trata apenas da relação médico-paciente, decidiu-se tornar o Balint Júnior um espaço que aborda, também, as questões relacionadas ao cotidiano dos estudantes. Abrir-se para os acadêmicos de psicologia representou outra inovação. O Grupo funciona quinzenalmente sobre supervisão de um psicólogo. Resultados: O volume de questões vertidas e a intensidade emocional que carregam comprovam a importância da criação de ambientes de discussão e amparo de vivências. Neles, acadêmicos podem compreender-se e melhor absorver seus encontros com a alteridade, com seus pares, docentes e com os pacientes. Conclusão: A maior amplitude dos temas abordados, o intercâmbio de ideias com acadêmicos da psicologia; as intervenções coordenadas por parte do psicólogo; a franqueza e dedicação dos alunos participantes reforçam a confiança no potencial do Grupo Balint Júnior. A melhoria da qualidade de vida do aluno, a ampliação de sua capacidade de produzir enfrentamentos, a criação de habilidades de escuta de si mesmo e dos outros são ganhos que indiscutivelmente resultam na formação da identidade médica de caráter humanista.
Palavras-chave: educação médica; humanização da assistência; psicologia médica.


: 2014 -> anais -> trabalhos
trabalhos -> ManipulaçÃo de modelos cromossômicos lúdicos no ensino da genética humana – relato de experiência de iniciaçÃo a docência
trabalhos -> O grau de estresse dos estudantes de medicina submetidos ao osce
trabalhos -> Disciplina de psicologia médica: importante ferramenta na formaçÃo dos estudantes de medicina
trabalhos -> OrientaçÕes sobre asma para pacientes e acompanhantes em salas de espera
trabalhos -> A psicologia médica aplicada no estudo e na prática da semiologia na universidade federal do tocantins
trabalhos -> Aprendizado em psicologia médica: visão do estudante
trabalhos -> Tele-pet-redes – a utilizaçÃo do ambiente virtual de aprendizagem como espaço de comunicaçÃo e reflexão no pet-saúDE/redes de atençÃO
trabalhos -> Introdução: o psicanalista húngaro M. Balint criou nos anos 50 do século passado uma teoria e uma metodologia de trabalho em grupos visando à formação psicologia de médicos e a humanização da relação médico paciente. Objetivo
trabalhos -> Bioética e humanizaçÃO: avaliando e discutindo a formaçÃo acadêmica
trabalhos -> PromoçÃo da saúde em combate ao tabagismo por membros da liga acadêmica de otorrinolaringologia e cirurgia de cabeça e pescoço da ufc em campanha relativa ao dia mundial sem tabaco no município de sobral-ceará


Compartilhe com seus amigos:


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal