Escola de educaçÃo especial lions club



Baixar 281,97 Kb.
Página4/4
Encontro11.10.2018
Tamanho281,97 Kb.
1   2   3   4
MARCO OPERACIONAL

Sabemos que a educação é entendida como o ato de produzir, direta e intencionalmente, em cada individuo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens. Em outros termos, isso significa que a educação é entendida como mediação no seio da prática social global. A prática social se põe, portanto, como o ponto de partida e o ponto de chegada da prática educativa. Daí decorre um método pedagógico que parte da prática social onde professor e aluno se encontram igualmente inseridos, ocupando, porém, posições distintas, condição para que travem uma relação fecunda na compreensão e encaminhamento da solução dos problemas postos pela prática social, cabendo aos momentos intermediários do método identificar as questões suscitadas pela prática social(problematização), dispor os instrumentos teóricos e práticos para a sua compreensão e solução(instrumentação) e viabilizar sua incorporação como elementos integrantes da própria vida dos alunos.

Sendo assim, é por isso que nos baseamos na pedagogia histórico crítica onde de acordo com Saviaini (2003,p.13), “a essência do trabalho educativo consiste no ato e produzir, direta e indiretamente, em cada individuo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens.” Tal concepção considera o problema da seleção dos conteúdos humano-genéricos necessários à formação e ao desenvolvimento do educando no contexto da prática social, assim como o problema das formas, dos métodos e processos que tornarão possíveis a transmissão e a assimilação dos mesmos.

Nesse sentido, o trabalho educativo é uma atividade mediadora entre o individuo e a cultura humana. Deve ser realizado de forma intencional e regido pela finalidade de garantir a universalização das máximas possibilidades geradas pelo processo histórico de desenvolvimento do gênero humano a todos os indivíduos, indistintamente, de modo a contribuir de forma afirmativa para a prática social dos educandos.




  1. Organização Pedagógica:

1- Etapas da Educação Básica:

Esta escola oferta Educação Básica na Modalidade de Educação Especial nas seguintes etapas:



Educação Infantil

Estimulação Essencial – de 0 a 03 anos e 11 meses;

Pré-escola – de 04 a 05 anos e 11 meses.

Ensino Fundamental - anos iniciais:

Escolaridade – de 06 a 15 anos e 11 meses.



Educação Profissional / Inicial: 16 anos:

Iniciação Profissional;

Qualificação Profissional;

Habilitação Profissional.


EDUCAÇÃO INFANTIL:

* Objetivo Geral da Educação Infantil:



  • A educação infantil tem como finalidade promover o desenvolvimento integral da

criança em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a

ação da família e da comunidade.

* Concepção Da Educação Infantil:

A criança da Educação Infantil na escola especial apresenta atrasos no

desenvolvimento psicomotor, ou seja, com problemas evolutivos decorrentes de fatores

genéticos orgânicos e/ou ambientais (défcit intelectual associado ou não a outras

deficiências, como: altismo, psicoses, etc).

Esta fase é fundamental no desenvolvimento da criança onde ocorre a formação da

personalidade e construção da inteligência do ser humano, sendo assim, faz

necessário suporte nos aspectos: motores, cognitivos, sociais, afetivos, emocionais por

meio de interações no contexto familiar, escolar e social ressaltando a importância do

brincar e educar.

* Avaliação na Educação Infantil:

A avaliação na Educação Infantil é um processo de fundamental importância, pois permite ao professor descobrir em que fase de desenvolvimento a criança se encontra. Seu objetivo principal é a constituição de um ponto de partida para a tomada de decisões de aperfeiçoamento da prática pedagógica, atendendo assim as reais necessidades das crianças de acordo com seu ritmo e conhecimento prévio, sendo ela processual, continua, diagnóstica, descritiva, onde o professor procura conhecer e compreender a situação individual de cada aluno.


ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS INICIAIS

* Objetivos do Ensino Fundamental – Anos Iniciais:



  • Desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança

em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação

pessoal e de inserção social para agir com perseverança na busca do

conhecimento.


  • Compreender a cidadania como a participação social, política, assim como o

exercício de direitos e deveres políticos, sociais e civis, adotando no dia – a dia

atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeito ao outro e

exigindo para si mesmo respeito;


  • Utilizar as diferentes linguagens- verbal, matemática, gráfica, plástica e corporalcomo

meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias, interpretar e

usufruir as produções culturais em contextos, públicos e privados, atendendo a

diferentes intenções e situações de comunicação;


  • Perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente;

  • Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes

situações sociais.

* Concepção do Ensino Fundamental:

O Ensino Fundamental, segunda etapa da Educação Básica é indispensável para a nação e obrigatoriedade a todos e a cada um, sendo a magnitude de sua importância envolver todas as dimensões do ser humano em suas relações individuais, civis e sociais.

O exercício do direito à Educação Fundamental supõe também todo o exposto no art. 3º da lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, no qual os princípios da igualdade, da liberdade, do reconhecimento do pluralismo de idéias e concepções pedagógicas, da convivência entre instituições públicas e privadas estão consagrados.

O Ensino Fundamental está voltado para o desenvolvimento da capacidade de aprender tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo, compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade, desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância.

* Avaliação no Ensino Fundamental – Anos Iniciais:

A Avaliação é processual, continua, diagnóstica, descritiva, onde o professor procura conhecer e compreender a situação individual de cada aluno, diagnosticando os avanços que teve, como um momento evolutivo no processo educativo.
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - INICIAL

* Objetivo Geral da Educação Profissional:



  • Proporcionar ao educando o máximo de independência e ou autonomia pessoal, social, e na preparação para o mundo do trabalho no desenvolvimento dos conhecimentos básicos, específicos e de gestão.

* Concepção da Educação Profissional:

O atendimento às necessidades das pessoas portadoras de deficiência nas instituições vem crescendo cada vez mais, necessitando de um suporte teórico aos serviços

prestados. As próprias pessoas portadoras de deficiência, como resposta ao atendimento recebido, começam a solicitar seu lugar no mundo do trabalho competitivo. Surgiu, assim, a necessidade de acrescentar serviços e programas, em especial no campo da educação profissional, incluindo a preparação para o trabalho, a qualificação para o trabalho e a colocação no mercado de trabalho.

A atual discussão sobre a cidadania e a inclusão social exige que se repense a questão do trabalho do portador de deficiência. O trabalho é o momento que vai finalizar o atendimento ao portador de deficiência e que vai permitir a sua participação na sociedade. O atendimento clínico ou pedagógico não terá realmente alcançado seu objetivo último desejado, se a pessoa portadora de deficiência continuar excluída da sociedade sem a possibilidade de participar ativamente como um sujeito produtivo.

A Educação Profissional, ou seja o trabalho, parte integrante da Educação Especial, sempre mereceu relevante atenção pelas escolas especiais. Na maioria dos casos, muitos anos são necessários para que uma pessoa com algum tipo de deficiência incorpore hábitos de trabalho e seja capaz de se incorporar à força de trabalho.

Entretanto, nem sempre o perfil biopsicológico permite o desenvolvimento da autoindependência necessária para o exercício profissional. Por isso, nossas entidades

vêm se preocupando com modalidades alternativas de trabalho inclusivo em grupo de

supervisão .

Também é preciso dar continuidade ao processo educacional de educandos que possuam significativo comprometimento intelectual ou associado e que demandam de apoios contínuos e intensos, através do desenvolvimento de um currículo funcional que favoreça e facilite sua participação social.

* Avaliação na Educação Profissional – Inicial:

Considerando que a avaliação é processual, continua, diagnostica, descritiva, o aprendiz deverá ser avaliado ao longo da execução do seu plano. Esta avaliação tem como objetivo principal identificar o quanto cada etapa está trazendo benefícios ao aprendiz. Os dados levantados pela avaliação irão permitir a retro-alimentação do plano para melhor atender às necessidades e potencialidades do aprendiz. Por outro lado, a avaliação contínua propiciará o aprimoramento do Processo.


2- Áreas do Conhecimento e do Desenvolvimento:

          Na Educação Infantil, as áreas de conhecimento precisam ser entendidas numa perspectiva interdisciplinar, já que a contribuição de todas é fundamental para a não fragmentação do conhecimento e para respaldar o entendimento e a organização dos contextos educativos. As áreas de conhecimento aqui propostas são as seguintes:



  • Língua Portuguesa;

  • Matemática;

  • Ciências;

  • História;

  • Artes;

  • Educação Física;

  • Coordenação motora ampla;

  • Coordenação motora fina;

  • Cognição;

  • Área Emocional;

  • Brinquedoteca;

  • Socialização;

O Objetivo maior da Educação Infantil é o de desenvolver a criança como um todo nos seus aspectos: físico, motor, social, afetivo e cognitivo.

A nossa finalidade será reconhecer os múltiplos processos pelos quais cada um dos educandos facilita e acelera, ou inibe e frustra o desenvolvimento, separadamente, e em conjunto. Não há ordem de prioridade entre eles, nem ênfase ou preferência por um deles. Todos são de igual importância. Refletindo sobre essa concepção, optamos por uma estrutura curricular que ressaltasse esses aspectos do desenvolvimento, os quais devidamente trabalhados pelo professor, ajudarão a criança a desenvolver certas habilidades, pré-requisitos para o desenvolvimento.



No Ensino Fundamental a conquista dos objetivos propostos depende de uma prática educativa que tenha como eixo a formação de um cidadão autônomo e participativo. Nessa medida, as áreas a serem desenvolvidas são:

  • Língua Portuguesa;

  • Matemática;

  • Ciências;

  • Historia;

  • Geografia;

  • Ensino Religioso;

  • Artes;

  • Educação Física.

Viabilizar atividades que desenvolvam no aluno aptidões necessárias adquiridas através destas áreas, é um de nossos objetivos, com a finalidade de desenvolver suas habilidades propondo a interação do saber escolar com o cotidiano, possibilitando a formação de indivíduos plenos para o exercício da cidadania.

A Educação Profissional dos educandos com deficiência intelectual de alta especificidade, na medida do possível e preferencialmente deve se processar no âmbito da comunidade escolar sendo as mesmas desenvolvidas nas seguintes áreas:



  • Salas de atividades de formação ocupacional;

  • Salas de atividades pedagógicas;

  • Sala de oficina protegida terapêutica;

  • Oficina protegida de produção;

  • Sala de atividades para o desenvolvimento a acadêmico;

  • Processo de encaminhamento para o mundo de trabalho.

A Educação Profissional visa o desenvolvimento da capacidade de aprender e a formação de atitudes e valores para a vida, ampliando a autonomia, o crescimento pessoal e social, bem como a melhoria da comunicação, organização e aprimoramento ocupacional, promovendo o conhecimento e a aquisição de habilidades especificas de determinada profissão ou ocupação, através de atividades praticas que facultam, em nível mais formal e sistematizado o encaminhamento ao trabalho formal e/ou informal.
3 – Organização do Trabalho:

O trabalho pedagógico compreende todas as atividades teórico–práticas desenvolvidas pelos profissionais da escola para a realização do processo educativo.

A organização democrática no âmbito escolar fundamenta-se no processo de participação e co-responsabilidade da comunidade escolar na tomada de decisões coletivas, para a elaboração, implementação e acompanhamento deste projeto.

A organização do trabalho pedagógico é constituída pelo Conselho Escolar, Equipe de Direção, Equipe Pedagógica, Equipe Docente, Conselho de Classe, Agente de Execução e de Apoio, Equipe Multiprofissional, representante dos pais e alunos.

O Conselho de Classe é órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógicosda escola, com a responsabilidade de analisar as ações educacionais, indicando alternativas que busquem garantir a efetivação do processo ensino e aprendizagem.

A finalidade da reunião do Conselho de Classe, após analisar as informações e dados apresentados, é a de mediar o processo de ensino e aprendizagem.

Ao Conselho de Classe, cabe verificar se os objetivos, conteúdos, procedimentos metodológicos (intervenções pedagógica), avaliativos e relações estabelecidas na ação pedagógico-educativa, estão sendo cumpridos de maneira coerente com o Projeto Político-Pedagógico da escola.

É da responsabilidade da equipe pedagógica organizar as informações e dados coletados a serem analisados no Conselho de Classe.

O Conselho de Classe constitui-se em um espaço de reflexão pedagógica , onde todos os sujeitos do processo educativo, de forma coletiva, discutem alternativas e propõem ações educativas eficazes que possam vir a sanar necessidades/dificuldades apontadas no processo ensino e aprendizagem.

Ele é constituído pelo(a) diretor(a), pela equipe pedagógica e por todos os docentes e equipe multiprofissional.

O Calendário Escolar é elaborado anualmente, pela escola apreciado e aprovado pelo Conselho Escolar e após, enviado ao Núcleo Regional de Educação de Apucarana para análise e homologação, ao final de cada ano letivo anterior à sua vigência.

O calendário escolar atende ao disposto na legislação vigente, garantindo o mínimo de horas e dias letivos previstos., que são 200 dias letivos e 800 horas trabalhadas.

A matrícula é o ato formal que vincula o aluno a escola, conferindo-lhe a condição de aluno.

Esta escola assegura matrícula inicial ou em curso, conforme normas estabelecidas na legislação em vigor.

A matrícula deve ser requerida pelo responsável, sendo necessária a apresentação dos seguintes documentos:


  1. Certidão de Nascimento

  2. Carteira de Identidade – RG, e CPF, para alunos maiores de 16 (dezesseis) anos, cópia e original;

  3. Comprovante de residência, prioritariamente a fatura de energia elétrica, cópia e original;

  4. Carteira de Vacinação;

  5. Cartão do SUS

  6. RG e CPF dos responsáveis

Na impossibilidade de apresentação de quaisquer documentos citados neste artigo, o responsável pelo aluno, é orientado e encaminhado aos órgãos competentes para as devidas providências.

A matrícula do aluno na Escola de Educação Especial, nas etapas da Educação Básica, é efetivada somente após a avaliação diagnóstica realizada pela Equipe Multiprofissional.

A matrícula é deferida pelo diretor, conforme prazo estabelecido na legislação vigente.

No ato da matrícula, o responsável é informado sobre o funcionamento da escola e sua organização, conforme o Projeto Político Pedagógico, Regimento Escolar, Estatutos e Regulamentos Internos.

O período de matrícula, para todas as etapas, será a qualquer tempo de acordo com a demanda e vaga.

Ao aluno não vinculado em qualquer estabelecimento de ensino assegura-se a possibilidade de matrícula em qualquer tempo, desde que se submeta a processo de avaliação por equipe multiprofissional, para determinar a etapa/processo de desenvolvimento.

A escola poderá cancelar a matricula do aluno:

I – por solicitação da família;

II – por orientação de profissionais da escola;

III – por ausência do aluno à escola nas atividades educacionais pelo período de 50% de dias consecutivos sem justificativa;

Quando a família solicitar o cancelamento da matricula na escola especial para seu ingresso no ensino comum, sem que o mesmo esteja apto, deverá assinar um termo de responsabilidade.

A matrícula por transferência ocorre quando o aluno, ao se desvincular de uma escola, vincula-se, ato contínuo, a outra, para prosseguimento dos estudos em curso.

A matrícula por transferência é assegurada na escola, aos alunos que se desvinculara e outra.

Os registros da escola de origem são transpostos a esta escola, sem modificações.

Antes de efetivar a matrícula, se necessário, é solicitado à escola de origem os relatórios pedagógicos e da equipe multiprofissional para a interpretação das intervenções pedagógicas a serem realizadas com o aluno.

O aluno, ao se transferir da escola, recebe a documentação escolar necessária para matrícula na escola de destino, devidamente assinada.

No caso de transferência em curso, é entregue ao aluno:


  1. Avaliação da equipe multiprofissional (ficha descritiva e/ou relatório com desempenho escolar do aluno).

  2. Ficha Individual.

Na impossibilidade da emissão dos documentos, no ato da solicitação da transferência, este estabelecimento fornece Declaração de Escolaridade e compromisso de expedição de documento definitivo no prazo de 30 (trinta) dias.
É obrigatória, ao aluno, a freqüência mínima de 75% do total da carga horária do período letivo, para fins de continuidade do desenvolvimento das atividades pedagógicas propostas.

É assegurado o abono de faltas ao aluno que apresente atestado médico.

A relação de alunos, que apresentarem quantidade de faltas acima de 50% do percentual permitido em lei, é encaminhada ao Conselho Tutelar do Município, ou ao Juiz competente da Comarca e ao Ministério Público, através da Ficha de Comunicação do Aluno Ausente - FICA.

A escrituração e o arquivamento de documentos escolares têm como finalidade assegurar, em qualquer tempo, a verificação de:



  1. identificação de cada aluno;

  2. regularidade de seus estudos;

  3. autenticidade de sua vida escolar.

Os atos escolares, para efeito de registro e arquivamento, são escriturados em livros e fichas padronizadas, observando-se os Regulamentos e disposições legais aplicáveis.

Os livros de escrituração escolar contêm termos de abertura e encerramento, imprescindíveis à identificação e comprovação dos atos que se registrarem, datas e assinaturas que os autentiquem, assegurando, em qualquer tempo, a identidade do aluno, regularidade e autenticidade de sua vida escolar.

Esta escola dispõe de documentos escolares para os registros individuais de alunos, professores e outras ocorrências.

São documentos de registro escolar:



  1. Requerimento de Matrícula;

  2. Relatório de Avaliação de Ingresso;

  3. Parecer Descritivo Parcial e Final da equipe pedagógica e multiprofissional;

  4. Ficha Individual;

  5. Livro Registro de Classe.

A estrutura do plano de trabalho docente, implica no registro escrito e sistematizado do planejamento do professor, antecipando a ação do mesmo, organizando o tempo e o material de forma adequada, sendo o mesmo um instrumento político e pedagógico, que permite a dimensão transformadora do conteúdo.

Ele é formalização dos diferentes momentos do processo de planejamento com a apresentação sistematizada e justificada das demais decisões tomadas, permitindo um avaliação do processo de ensino e aprendizagem possibilitando compreender a concepção de ensino aprendizagem e de avaliação do professor.

O mesmo orienta, direciona o trabalho do professor pressupondo a reflexão sistemática da pratica educativa estruturado em :


  • Conteúdo;

  • Objetivo;

  • Metodologia;

  • Avaliação.

4 – Avaliação:

A avaliação é uma prática pedagógica intrínseca ao processo ensino e aprendizagem,com a função de diagnosticar, acompanhar, redirecionar e orientar o desenvolvimento cognitivo e da apropriação do conhecimento pelo aluno.

A avaliação é processual, continua, diagnostica, descritiva devendo refletir o desenvolvimento global do aluno e considerar as características individuais deste no conjunto dos componentes curriculares trabalhados.

A avaliação é realizada em função das áreas do desenvolvimento e do conhecimento, utilizando métodos e instrumentos diversificados, coerentes com as concepções e finalidades educativas expressas no Projeto Político Pedagógico da Escola.

Os critérios de avaliação do aproveitamento escolar são elaborados em consonância com a organização curricular e descritos no Projeto Político-Pedagógico.

Para a avaliação são utilizados procedimentos que assegurem o acompanhamento do pleno desenvolvimento do aluno, evitando-se a comparação dos alunos entre si.

A avaliação proporciona dados que permitam a reflexão sobre a ação pedagógica, contribuindo para que a escola possa propor novas intervenções pedagógicas.

Na avaliação do aluno são considerados os resultados obtidos durante todo o período letivo, num processo contínuo, expressando o seu desenvolvimento escolar, tomado na sua melhor forma.

Os resultados das atividades avaliativas são analisados durante o período letivo, pelo professor e pela equipe multiprofissional, observando o desenvolvimento e as necessidades detectadas pela escola, para a elaboração e re-elaboração de novas ações pedagógicas.

Os resultados das avaliações dos alunos são registrados em relatórios a fim de que sejam asseguradas a regularidade e autenticidade de sua vida escolar.

A promoção é o resultado da avaliação do aproveitamento escolar do aluno, aliada à apuração da sua freqüência.



Sendo assim, concluímos que a avaliação é um processo amplo e continuo e que oferece dados ao professor para acompanhar e compreender o desenvolvimento do aluno, é realizada através de atividades diárias, sondagens e relatórios semestrais, buscando o desenvolvimento global do aluno e realizando as intervenções necessárias, bem como as adaptações curriculares.
5-Outros Documentos: (EM ANEXO)

  • Proposta Pedagógica Curricular;

  • Regimento Escolar;

  • Plano de Ação da Escola;

  • Plano de Trabalho Docente;

1






Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal