E metodologia



Baixar 366,89 Kb.
Página1/43
Encontro19.03.2018
Tamanho366,89 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   43



UNIVERSIDAD DE LEÓN

TESE PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE DOUTOR EM PSICOLOGIA DE EDUCAÇÃO

PARTE I
CONCEPTUALIZAÇÃO

E METODOLOGIA



A Influência do Género no Comportamento da Criança, do Pré-Escolar, Perante o Conflito.

O caso do Jardim de Infância EB1 – JI do Fogueteiro”

AUTORA:

Lisa dos Santos Lopes Fonseca Monteiro

ORIENTADORA:

Professora Doutora Ana Maria de Caso

DEZEMBRO de 2011



“…Se podemos SONHAR,



Também podemos torná-lo REALIDADE
Walt Disney

Às que eu mais amo:

à minha mãe, Gracinda Santos,

à minha filha Sara da Graça.
AGREDECIMENTOS


À minha filha Sara, por ser filha e também inspiração em todos os momentos da minha vida.
Aos meus pais, pelos incentivos permanentes no retorno aos estudos, dando-me apoio incondicional a todos os níveis.
À Universidad de León e aos professores que me acompanharam ao longo desta formação, o meu reconhecimento.
A todos os meus colegas pela sã fraternidade e confraternização ao longo dos anos de estudo.
Ao Jardim de Infância EB1 – JI do Fogueteiro, através da sua directora, pela disponibilidade em ajudar, agora e no futuro e a todos os meus alunos pré-escolares.
Finalmente, e nem por isso em último, um agradecimento à minha mentora e orientadora, Professora Doutora Ana de Caso, que mesmo com a agenda sempre cheia, nunca deixou de corrigir o rumo do meu trabalho, orientando como deve fazer um orientador: criticando, elogiando, incentivando e mostrando o caminho, jamais fazendo o trabalho pelo orientando.
Qualquer situação que eventualmente venha a ser apontada como inadequada ao trabalho científico, ora iniciado, é e será sempre da minha inteira responsabilidade, devendo à minha pessoa ser imputada.



RESUMO
A personalidade tem vindo a assumir diferentes conceptualizações ao longo da evolução, análise e compreensão do comportamento humano.

Neste trabalho, nós definimo-la como uma organização dinâmica dos traços no interior do eu, formados a partir dos genes particulares que herdamos, das existências singulares que experimentamos e das percepções individuais que temos do mundo, capazes de tornar cada indivíduo único em sua maneira de ser, de sentir e de desempenhar o seu papel social.

O género (M/F) é a variável ou o fenómeno que abriga a personalidade, nas suas vertentes masculina e feminina, manifesta-a a todo o momento e dá-lhe sentido de interpretação e análise.

O conflito é o motor que interfere nas acções do género visando a orientação da personalidade humana dando-lhe formas diversas.

Se a esses ingredientes adicionarmos um outro, muito peculiar, crianças do ensino pré-escolar (0-6 anos de idade) em formação da personalidade, construímos um barril de pólvora, cujo rastilho vai ficando cada vez mais curto com “intrusões” da família, dos meedia e dos agentes de educação da infãncia (educadores de infância).

O terreno é deveras minado, mas é sobre ele que trabalhamos com esta tese, tendo, para tal, projectado os seguintes objectivos: Diagnosticar os constrangimentos inerentes ao comportamento das crianças no pré-escolar, perante o conflito, tendo em conta o género, explicar as razões que estão na base da assunção dos diferentes tipos de comportamentos e assumir novos horizontes de investigação neste campo específico da educação.

Considerando a natureza do trabalho e os objectivos do estudo, optamos pela estratégia de investigação descritiva, recorrendo à técnica de estudo de caso, numa abordagem qualitativa.

Estando o trabalho dividido em termos da sua execução em duas partes, uma primeira, conceptual e metodológica e uma segunda empírica e analítica, e, sendo esta a primeira parte, em que se andou à volta da definição do “estado da arte”, das variáveis em análise, chegamos às seguintes conclusões:

Terminada a revisão teórica, concluímos que a personalidade enquanto campo de estudo está muito desenvolvida, embora os principais investigadores não arrisquem verdades absolutas.

Uma outra conclusão é que há muitas conceptualizações à volta do tema, possibilitando um terreno fértil para futuras acções e tomadas de decisão no campo da investigação científica.



Uma terceira conclusão é que as respostas que encontramos na literatura, à volta do tema, se bem que a respondam, não são conclusivas. Isso obriga-nos a ir para o campo à procura de um outro perfil (empírico) que seja posto em confronto com o agora desenhado.
ÍNDICE







Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   43


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal