Do Estigma à Humanização: práticas, dinâmicas e vivências No caminho da reinserção social



Baixar 418,6 Kb.
Página29/35
Encontro06.04.2018
Tamanho418,6 Kb.
1   ...   25   26   27   28   29   30   31   32   ...   35
8.1. Acolhimento da Doente

Na chegada ao internamento da Clínica Feminina do CHPC, as doentes são recebidas pela equipa de enfermagem. São estes os profissionais que vão orientar, integrar e acompanhar, permanentemente, a doente durante todo o tempo do internamento.

Quando uma doente chega ao internamento, seja em que horário for, é submetida a uma entrevista de acolhimento/avaliação por parte de um elemento da enfermagem. Nesta entrevista pretende-se averiguar qual a perspectiva da doente em relação à sua doença, como ‘sente’ a doença. É feita a colheita de dados, na qual se pede sempre um contacto telefónico do familiar mais próximo. Se o doente à chegada vier acompanhado por um familiar, é realizada, igualmente, uma entrevista de avaliação com objectivos específicos (saber como vê a doença do seu familiar). Caso o doente chegue sozinho, a equipa de enfermagem fala com a família na primeira visita. Com estas duas entrevistas, esta equipa consegue fazer uma avaliação da relação doente-familiar.

Após esta primeira entrevista, a enfermagem regista os pontos-chave de intervenção (orientações de focagem), elabora um plano de tratamento. De seguida, a utente é encaminhada para a Unidade de Curto Internamento e Triagem (UCIT), onde permanecerá cinco dias. Esta unidade situa-se no r/c, na enfermaria C. A UCIT tem como finalidade a doente ser avaliada pela equipa multidisciplinar (psiquiatra, enfermagem, serviço social), procedendo-se à sua alta, no caso de não se justificar o internamento; ou passando a utente para o internamento normal. O objectivo desta equipa de triagem é evitar internamentos desnecessários e perceber porque acontecem as recaídas.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   25   26   27   28   29   30   31   32   ...   35


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal