Curso superior de tecnologia em eventos



Baixar 1,24 Mb.
Página1/84
Encontro15.06.2018
Tamanho1,24 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   84





ADMINISTRAÇÃO CENTRAL

CESU – Unidade de Ensino Superior de Graduação


CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM EVENTOS

FATEC Itu
também implantado nas Unidades de

Barueri, Cruzeiro, Ipiranga, Jundiaí, Presidente Prudente



Reestruturado em 2014, para 2015


Justificativa


Nos últimos 15 anos e em âmbito mundial, o trabalho com eventos tornou-se um conjunto de habilidades amplamente reconhecido e altamente valorizado, oferecendo oportunidades únicas, interessantes e variadas em um ramo em rápida expansão, o que configura um olhar de gestão. Essa gestão de eventos é um setor diversificado, que abrange muitos aspectos da vida moderna e dos negócios. Ocupa-se igualmente tanto de funções locais e mesmo pessoais de pequena escala, caso de uma festa de aniversário, quanto de megaeventos, como Jogos Olímpicos ou Copa do Mundo.

Recentemente, somente um hotel no centro do Rio de Janeiro abrigava, em um dia considerado normal, não menos de 14 eventos simultaneamente. Esses eventos eram de treinamento, de congraçamento, vendas, workshops, técnicos, acadêmicos e científicos. Havia alguns que ocupavam uma única sala e mais de um tinha lugar em salões com capacidade para várias centenas de participantes. Esse microcosmo empregava diretamente um contingente significativo de pessoas, e cada um dos eventos precisou de ao menos um profissional para planejar, organizar e conduzir. Segundo pesquisa do Centro Universitário Senac de São Paulo, os eventos são a segunda maior motivação das visitas à capital paulista e só naquela cidade somam 90 mil ao ano.

Vários fatores têm proporcionado a rápida expansão da indústria da organização e gestão de eventos:


  • Expansão de organizações governamentais e de ONGs, juntamente com uma necessidade crescente de reuniões entre os setores público e privado.

  • Crescimento das empresas brasileiras, expansão dos investimentos estrangeiros, que precisam de mais reuniões interdepartamentais e inter-regionais.

  • Salto qualitativo e quantitativo do agronegócio no Brasil, com criação de vários tipos de eventos, desde rodeios até convenções de negócios, passando por feiras em que são mostrados e comercializados diversos produtos, com ênfase crescente em tecnologia avançada de vários tipos.

  • Surgimento de uma infinidade de pequenos negócios, que precisam se tornar conhecidos e estabelecer, reforçar ou ampliar suas redes de contatos.

  • Evolução e amadurecimento dos interesses de cooperativas, grupos profissionais e mesmo grupos de pressão.

  • Aperfeiçoamentos das técnicas de vendas, multiplicidade de lançamentos de produtos e de reuniões de promoções de vendas.

  • Necessidade de atualizar as informações e os métodos por meio de treinamento in-company, desenvolvimento profissional contínuo e participação em reuniões ad hoc ou agendadas.

  • Desenvolvimento de assuntos especializados por meio de conferências com especialistas habilitados para transmitir informações.

  • Expansão das igrejas evangélicas e do catolicismo carismático, que, por definição, têm nos eventos um aspecto importante de sua atuação.

  • Aumento da classe média brasileira, com consequente abertura de novos mercados para eventos festivos, musicais e de lazer em geral. Nesse aspecto, o mercado de eventos está certamente bastante ligado ao turismo.

Em resposta a esse avanço do mercado de eventos, muitas cidades em todo o país – na verdade o fenômeno é mundial – ao reconhecer os benefícios econômicos potenciais, passaram a se equipar com os chamados centros de convenções, construídos para acolher eventos locais, nacionais e internacionais capazes de atrair milhares de pessoas. Itajaí, em Santa Catarina, por exemplo, cidade com menos de 200 mil habitantes, conta desde 2012 com um centro de eventos muito bem equipado e capacidade para 15 mil pessoas em vários eventos em paralelo. Do mesmo modo, a rede hoteleira no Brasil está em expansão, o que aumenta consideravelmente a oferta de espaços para eventos.

Um dos aspectos do mercado para o profissional dessa área é o crescente reconhecimento da necessidade de comercializar essas instalações profissionalmente, em um contexto cada vez mais competitivo.

Assim, torna-se necessário preparar profissionais capacitados, com habilidades gerais e específicas para esse mercado de trabalho empreendedor, desafiante e que permanecerá em expansão por todo o futuro previsível.

O gestor de Eventos é um profissional de quem se requer capacitação técnica, estratégica e criativa que, como as experiências brasileira e internacional indicam, são requisitos profissionais de um mercado em expansão e exigem profissionalismo e dedicação.

Este cenário demonstra a necessidade de revisão de conteúdos do Curso Superior de Tecnologia em Eventos, pois o profissional, atualmente, tem necessidades tais como ligações claras com turismo, esporte, patrimônio histórico, negócios, relações públicas e cultura, entre vários outros; o que o trabalho de reestruturação desenvolvido pelo Núcleo Docente Estruturante do curso procurou atender.

Estão, assim, postas as razões que amplamente justificam a reestruturação deste curso, bem como de implantação do mesmo em novas Unidades. As ferramentas para atrair os alunos também estão colocadas: o mercado é amplo, promissor e o curso está estruturado de acordo com as exigências do mercado unindo teoria e prática.





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   84


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal