Curso de formaçÃo de conselheiros de desbravadores


) RELATÓRIO DE VISITAÇÃO DO CONSELHEIRO



Baixar 239,38 Kb.
Página14/14
Encontro11.10.2018
Tamanho239,38 Kb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14
3) RELATÓRIO DE VISITAÇÃO DO CONSELHEIRO

CLUBE CIDADE SORRISO

CONSELHEIRO :

UNIDADE :

MÊS :


META DO CONSELHEIRO

UMA VISITA POR MÊS

DESBRAVADOR VISITADO




DATA DA VISITA










DADOS SOBRE O DESBRAVADOR







Nome Completo




Idade




Data de Nascimento




Telefone




Endereço










Área Educacional










Colégio que estuda




Série que está cursando




Matéria que mais gosta










Área Espiritual










É Adventista




E Batizado




Tem lição da Escola Sabatina




Tem Bíblia




Se não é batizado , tem interesse na Classe Bíblica ?










Área Social / Financeira










Residência

Razoável Boa Excelente

Padrão de Vida

Razoável Bom Excelente

Tem mesada

Sim Não







Área Emocional










Pais moram juntos

Sim Não

Pais separados

Sim Não

Conhece o pai

Sim Não

Algum trauma emocional

Sim Sim







Dados pessoais do desbravador










Esporte preferido




Lazer preferido




Problemas de saúde




Serviços domésticos




O que mais gosta de fazer em casa






4) PONTUAÇÃO DESBRAVADORES CIDADE SORRISO 1999

MÊS:



UNIDADE :

CONSELHEIRO:

CAPITÃO:

MÊS:

PONTUAÇÀO : CADA ITEM 5 PONTOS



DESBRAVADOR

PONTUAL

PRESENÇA

UNIFORME

MENSALIDADE

TOTAL

1)
















2)
















3)
















4)
















5)
















6)
















7)















Avaliado por :



PONTUAÇÃO DESBRAVADORES CIDADE SORRISO 1999

MÊS:



UNIDADE :

CONSELHEIRO:

CAPITÃO:

MÊS:

PONTUAÇÀO : CADA ITEM 5 PONTOS



DESBRAVADOR

PONTUAL

PRESENÇA

UNIFORME

MENSALIDADE

TOTAL

1)
















2)
















3)
















4)
















5)
















6)
















7)















Avaliado por :



5) CLUBE DOS DESBRAVADORES CIDADE SORRISO FICHA DE INSCRIÇÃO

Dados Pessoais


Nome : 

Rua:  Nº: 

Compl:  Bairro: 

Cidade: Uf:  Cep: -

Fone: - Nascimento: // Cidade:

Cert.de Nasc:  R.G:  OE: /

Religião:  Batizado: Sim Não

Plano de Saúde :  Carteira nº: 



Filiação

PAI 


MÃE 

Informações para Primeiros Socorros e Uso Médico


1-Tipo sangüíneo / Fator RH  

2-Vacinação contra tétano Sim  Não

3- Sofro de:  Diabetes  Epilepsia  Coração  Hemofilia


  • Bronquite  ___________________

4- Sou alérgico à :  Penicilina  Soro  Antitoxinas

 _______________  ___________________

5- Tomo o seguinte remédio de uso contínuo : 

6- Em caso de acidente , ligue : - e chame por :

 ou por 

DADOS HISTÓRICOS DO DESBRAVADOR



Recebeu lenço em : //

Investiduras :
Classes Regulares: Classes Avançadas

 Amigo em / /  Amigo da Natureza em

 Companheiro em / /  Companheiro de Excursão

 Pesquisador em / /  Pesquisador de Campos e Bosques em / /

 Pioneiro em / /  Pioneiro de Novas Fronteiras em / /

 Excursionista em / /  Excursionista na Mata em / /

 Guia em / /  Guia de Exploração em / /



Liderança
 Curso Básico para Diretoria em / /  Líder em / /

 Agrupadas em / /  Líder Master em / /

 Líder Master Avançado em / /



Atividades Desenvolvidas no Clube :




Especialidades Camporees Acampamentos Desfiles Cursos Olimpíadas Feiras

Certificados Congressos Convenções Acantonamentos Excursões Outros





Atividade

Data

Local

Assinatura do Responsável









































































17. O Conselheiro e as atividades sociais da Unidade – Festa Anual da Unidade.

Nosso Clube tem promovido anualmente festas para as unidades e o que você verá abaixo são exemplos de atividades feitas com juvenis porém podem lhe dar uma boa idéia para você bolar suas próprias festas para a sua unidade.

“Se existe atividade que é sucesso de público e de crítica no trato com os juvenis, com certeza são as atividades sociais e principalmente as festas. Na idade juvenil muitos dos filhos da igreja são pressionados por colegas de escola para irem em festas nas casas dos amigos e como a maioria dos pais adventistas por natureza são cuidadosos nesse particular e não permitem que o filho vá, muitos deles se questionam que mal pode haver numa festa na casa de amigos.

Pensando numa saída para essa quase “crise existencial” que passa na cabeça de nossos juvenis, resolvi ao longo do trabalho com juvenis, marcar reiteradas vezes atividades sociais e que sempre tivesse algo para comer e beber ( coisas que juvenil nenhum dispensa). Me lembro com saudade dos sábados a noite que ia jogar futebol com os juvenis da Igreja Central do Rio de Janeiro e levávamos sempre um bolo, sorvete, salgados, guardanapos, sucos, copos e pratos descartáveis e depois do jogo preparávamos festas surpresas para eles.

Todo juvenil gosta de festas, de bater papo com os amigos, de ver um bom filme, de comer uma pizza, de tomar um suco ou refrigerante, de brincar enquanto está na festa e se você como professor utilizar estas atividades sociais como um complemento de seu trabalho, você verá que irás conquistar um lugar especial no coração dos seus juvenis.

Almoços na igreja após o Culto, pizzadas e sorvetadas no sábado à noite sempre serão bem vindas e você como professor deverá pedir a colaboração dos pais e da igreja para promover atividades tão interessantes para os nossos juvenis. Muitos alegam que igreja não é lugar para tais atividades, porém muitas dessas pessoas que dizem isso, simplesmente não tiveram tais atividades quando eram juvenis e num misto de frustração, saem atirando em cima dos professores dos juvenis. Creio firmemente que a programação de uma igreja deve ser muito atrativa para os seus membros e o grau de motivação de um juvenil é um e o de um adulto é outro. Cabe aos líderes da igreja que trabalham com crianças desde a professora do Rol A até o diretor dos desbravadores se especializarem constantemente para fazer da Igreja um local interessante e cativante para os seus liderados.

Gostaria de deixar neste material dois exemplos de atividades sociais feitas por dois diretores diferentes em localidades diferentes . A primeira delas foi um almoço realizado pela diretora dos juvenis da igreja de Botafogo, no Rio de Janeiro e o tema da atividade foi : “ Um almoço nos tempos de Jesus” . Neste Sábado a diretora e nós os professores com a ajuda dos pais, trouxemos, para a alegria eterna dos juvenis daquela igreja, uma série de iguarias e comidas típicas do tempo de Jesus. Nesse almoço tinha pães diversos, gergelim, frutas cítricas, frutas frescas, nozes, castanhas, azeitonas, iogurte, pão sírio, saladas, sucos naturais e até para a sobremesa fomos atrás de doces muito consumidos pelos povos

daquela região. Não precisa nem pensar na repercussão que o evento teve e muitos membros da igreja ficaram com uma inveja “santa” desta atividade para os juvenis.

A segunda atividade, esta já realizado por mim como diretor dos juvenis da Igreja do Portão, em Curitiba, foi uma festa cultural e tinha como tema: “Um Sábado na Suíça”. Reunimos os pais antes do planejamento do evento, pois como iria implicar em custos financeiros, não queria entrar numa canoa furada. Com o devido apoio financeiro dos pais e também o apoio logístico do Consulado da Suíça que nos emprestou a bandeira do seu país e nos deu impressos, fotografias e um vídeo sobre as belezas do seu país, podemos realizar uma festa que até hoje, passados já quatro anos, os agora adolescentes da Igreja do Portão se lembram com prazer.

Aluguei o salão de festas do prédio onde moro, marcamos para que cada juvenil chegasse na hora do por do sol para fazermos o culto juntos antes de começarmos a nos divertir. Algumas regras foram seguidas a risca e a primeira delas era: só entraria na festa da Suíça que trouxesse o passaporte que era uma bandeira da Suíça que eles deveriam fazer e traze-la em miniatura, utilizando papel, pano ou o que eles quisessem. Na porta do salão de festa um dos professores só deixava entrar os que tinham trazido o passaporte e o único que esqueceu foi correndo fazer uma bandeira para não perder o evento. Depois do culto, os juvenis receberam de nós a segunda regra da festa: eles não podiam tocar em nada da comida até a hora do festival de sanduíches. Tudo o que havia sido preparado para eles: pão de queijo, chocolate quente, pipoca, biscoitos típicos e outras guloseimas eram deixados na mesa deles por nós professores e diretores, sendo que o único trabalho que eles tinha era pedir e incuti na cabeça dos nossos professores que estávamos ali para servir os juvenis e que esta festa seria algo inesquecível na vida deles. Enquanto eles estavam se deliciando com esse pequeno lanche, o filme em vídeo estava sendo mostrado. Tão logo o filme acabou, os liberei para utilizar o salão de jogos do prédio enquanto minha equipe montava a mesa para o festival de sanduíches. Minha esposa caprichou e fez tantos pães croissants quantos foram necessários e forramos a mesa com inúmeros tipos de recheios, pastinhas, queijos diferentes, palmito, azeitona e complementos diversos para os sanduíches. Nesse intervalo, trancamos a porta do salão de festa exatamente para guardar a surpresa e na hora certa chamamos todos de volta ao salão de festa para conhecerem a terceira regra da festa que nada mais era de que um concurso para cada um montar o sanduíche dos seus sonhos. Eles simplesmente adoraram a idéia e com que alegria sentavam-se em mesas para quatro pessoas para curtirem algo que nunca ninguém tinha feito para eles. Terminaram de comer e mais jogos no salão de jogos para ajudar a fazer a digestão. Quando já eram 21:30 horas e os pais estavam chegando para buscá-los chamamos todos para o encerramento e tomarem

conhecimento da quarta regra, que nada mais era que degustar um estonteante bolo de coco recheado com pêssego e creme de leite. Dá para você visualizar a cena: quarenta e sete juvenis simplesmente não acreditando que na igreja tinha tudo isso de bom para eles.

Quem já passou pela oportunidade de fazer algo desse nível em prol dos juvenis, consegue deixar para você um incentivo: faça algo parecido e marque para sempre a vida de seus juvenis.” Extraído do Material “A Segunda Milha” do mesmo autor.

18.O Conselheiro nos Camporees de Associações/União/Divisão.


Do conselheiro num evento como Camporee solicita-se que ele esteja o tempo

quase que todo com a sua unidade. Os Camporee não avaliam conselheiros e unidades. Todas as avaliações são para o Clube como um todo, portanto cabe ao conselheiro mais seguir as orientações que virão dos diretores do que propriamente tomar a iniciativa. É preciso cuidar da unidade, andar com ela ( eventos muito grandes deixam diretores preocupados com a segurança dos seus desbravadores) sabendo responder a qualquer momento a pergunta : “Onde está a sua unidade?” , conferir se todos tomaram banho, se alimentaram e dormiram. Itens como fazer refeições, locomoção, programação, compras, reuniões de diretoria no evento não são preocupações para conselheiros, o que torna para os mesmos um evento bem prazeroso e até relaxante se comparado a um Camporee de Unidades por exemplo.


19. O Conselheiro e o seu maior desafio: O Camporee de Unidades
Se os Camporees são até certo ponto tranqüilos para os conselheiros, no Camporee

de Unidades as coisas complicam e muito . Depois de dirigir o Clube Cidade Sorriso por dois anos, implantando pouco a pouco nos conselheiros o sistema de unidade, no terceiro ano lançamos o desafio máximo para um conselheiro que aprendeu quase tudo sobre unidades: O Camporee de Unidades.


Mas como é o evento ?

Cada um dos conselheiros do nosso Clube recebeu uma lista com 31 tarefas a serem desempenhadas pelas unidades ao longo do ano. Minha função como diretor ao longo do ano foi repassar especialidades juntamente com os demais diretores, organizar um único acampamento no ano e deixar que eles tivessem todo o tempo do mundo para juntamente com seus diretores associados atingirem as metas de cumprir as atividades para o evento.

Como muitos conselheiros estavam assumindo a unidade no ano do Camporee, foi muito difícil para o mesmo conseguir fazer todas as atividades e era de se esperar que fosse assim, mas para quem já tinha dois anos de Clube como conselheiro e se propôs a chegar bem no evento, não foi muito difícil.

Neste tipo de evento, cada unidade funciona como um mini clube e tem que fazer seu planejamento anual e ir encaixando atividades nos sábados e domingos, as vezes na casa dos desbravadores e estar pronta para ir ao local do Camporee. Neste evento, cada conselheiro foi com antecedência de 2 ( dois) meses, ver o local do evento, demarcou sua área, fez um mapa do local do evento e ficou com a responsabilidade de levar sua unidade para o evento. Algumas unidades foram no carro de seus pais, outras se uniram e alugaram um ônibus e chegaram no evento. É importante ressaltar que como temos uma mensalidade para custeio de nossas atividades e como não cobramos o Camporee por fora, cada

conselheiro recebeu de seus desbravadores o equivalente a 3 (três) mensalidades para fazer o planejamento do cardápio, compras e locomoção. Unidades que acharam que foi pouco o

dinheiro, foram a luta e venderam flanelas, réguas , chaveiros e se viraram. Coube a direção do Clube utilizar 1 ( uma ) mensalidade e providenciar a estrutura do evento, que incluía : banheiros e chuveiro de campanha , o trunfo de participação, a camiseta do evento, fogos, coletânea e estrutura de arame com o lema do evento.

O evento se realizou num sítio maravilhoso, com tudo o que um desbravador gosta e precisa para um evento desse porte: local gramado para as barracas, mata, rio, bambu e muito espaço. Como cada unidade chegava a hora que podia e como podia, na quinta feira, dia 07/10/1999, a comissão de infra-estrutura do local chegou, montou o que foi necessário e já nesse dia alguns membros de unidade chegaram no local e começaram a adiantar detalhes de sua área de acampamento. A maioria de nossas unidades apareceram mesmo foi na sexta-feira (08/10/1999) pela manhã e partiram para o trabalho apenas com uma leve pausa para o almoço ou lanche ( preparados por eles mesmos). Eram 17:30 horas quando quase tudo estava pronto e todos os nossos desbravadores tomaram aquele especial banho de rio, colocaram seu uniforme de gala e às 19:00 horas foram se apresentando para a cerimônia de abertura do Primeiro Camporee de Unidades do Clube Cidade Sorriso em 31 anos de história.

Foi montada uma estrutura de arame com estopa embebida em óleo diesel com os dizeres do tema do evento: “Da Unidade para a Eternidade” e no momento certo ela pegou fogo contrastando com a quase noite no local. Nossa banda foi reativada e abrilhantou a cerimônia de abertura com três músicas especiais.

A programação deste evento foi bem mais leve do que a própria diretoria pensava. Nossa liderança pensava que iria se cansar em demasia, porém tudo foi planejado para seu um evento bem descontraído e alegre para todos.

No sábado pela manhã realizamos a inspeção nos uniformes, fizemos Escola Sabatina e antes da mensagem do Culto Divino, uma ligeira cerimônia de investidura para quem conseguiu se preparar para esta atividade ao longo do ano e cerimônia de investidura de lenço para todos os novatos. Sábado à tarde, o Clube se dividiu por setores ( Mirins, Desbravadores e Nova Geração ) e foram curtir inúmeras atividades sabáticas junto a natureza enquanto que parte do Clube trazia perante a direção do evento todas as fotos comprovando o que a unidade tinha feito ao longo do ano, tarefas estas que valiam pontos preciosos.

No planejamento do evento, deixamos todas as provas e atividades técnicas para a parte da manhã e na parte da tarde as unidades tinham livre para se recrear. Como tarefa da direção para o evento, coube-nos preparar o trunfo, montar a infra-estrutura e preparar a camiseta do evento. No sábado à tarde , todos os desbravadores utilizaram a camiseta do evento e no domingo foi um verdadeiro festival de camisetas em nossas atividades, pois uma das tarefas a serem cumpridas era exatamente a de providenciar uma camiseta para a unidade. Das quinze unidades, apenas uma não conseguiu cumprir esta tarefa e o que se viu no domingo o dia todo foi um misto de cor e arte, ao vermos quanta criatividade e quanto empenho por parte das unidades em cumprir as tarefas. No tocante a tarefa camiseta apenas

se pediu uma camiseta para cada desbravador, porém duas unidades trabalharam, juntaram dinheiro e chegaram no evento com um uniforme exclusivo com a marca da unidade e as cores da unidade.

Esse tipo de evento permitiu que as unidades fizessem provas técnicas como montagem de 3 tipos de fogo, prova de nós ( os básicos da classe de amigo), cada unidade teve oportunidade de fazer e mostrar para todos o seu próprio quadro de nós, demonstrações de ordem unida e trabalho manual . A liderança do evento avaliou a área de acampamento, as barracas, algumas mochilas, o portal e utensílios feitos com pioneria e na segunda feira (dia 11/10/99) foi feita uma avaliação criteriosa da alimentação feita pelas unidades, sendo observado com primordial a combinação adequada de alimentos e em segundo lugar o gosto e em terceiro a higiene com que a mesma nos era apresentada. Das quinze unidades apenas duas não tiraram nota máxima, o que surpreendeu a todos da comissão de inspeção.

O fogo de conselho como não podia deixar de ser realizado, foi montado apenas na noite de segunda feira, devido a garoa intensa das outras noites, porém foi um marco na vida de cada um de nossos desbravadores, pois foi uma cerimônia de despedida para cinco membros de nossa diretoria que no ano 2000 iriam fazer teologia em três diferentes universidades adventistas.

Todo o evento foi devidamente filmado e cada um dos 107 desbravadores presentes receberam o trunfo de participação e a camiseta oficial do evento.

Para concluir avaliando pontos possíveis x pontos alcançados e fazendo a média entre as unidades, encerramos o evento com média sete (7), o que não deixou de ser um resultado satisfatório levando em conta que muitos dos conselheiros assumiram suas unidades em 1999. As duas unidades que mais fizeram pontos ficaram com média 9,7 e 9,5, e só atingiram estas notas graças ao empenho dos respectivos conselheiros que não mediram esforços para ao longo do ano cumprir o que se esperava deles.

Será que um evento desse nível vale a pena ? Como resposta tenho a dizer-vos que conforme declaração de muitos membros de minha diretoria, alguns com vários Camporees no currículo e muitos anos de serviços prestados a causa desbravadora, a frase que mais se ouviu foi que o ano de 1999 foi o ano em que mais eles aprenderam em sua carreira desbravadora.
20. Avaliando o Curso de Conselheiros.

Agora que o material do Curso acabou, você pode estar se perguntando: “Nossa, quanta informação é necessária para ser um bom conselheiro. Acho que nunca vou conseguir chegar lá .”

O único conselho que posso te dar é que é possível ser bom ou muito bom quando se trabalha de coração para a causa de Deus. É muito importante que você se lembre que ninguém fica bom ou muito bom em um ano de trabalho liderando juvenis através do sistema de unidades. É preciso de alguns anos de experiência, de dedicação e consagração diária de sua vida a Deus para estar sempre pronto para fazer o melhor. Para te estimular nossos conselheiros não são super homens e nem super mulheres, mais pude presenciar o que jovens e adolescentes com 16 à 19 anos de idade conseguem fazer quando lhes é dada uma oportunidade de se desenvolver na causa de Deus. Praticamente 90% do evento acima foi realizado pelos conselheiros e seus desbravadores e os outros 10% coube a direção do nosso Clube.

Se nossos conselheiros, que estudam, alguns trabalham, outros tem mais atividades na igreja (coral, turma de bonecos e alguns são convidados a pregar em igrejas menores) conseguiram chegar lá, não é você que irá desanimar.

Conselheiros: um grande e maravilhoso trabalho lhe espera no Clube de Desbravadores e este trabalho se resume em marcar de tal forma a vida de nossos juvenis e adolescentes para que os mesmos nunca abandonem a causa de Deus.

Que o meu Líder e o seu Líder, Jesus Cristo, nos capacite cada dia mais para fazermos o melhor para ELE.


Robinson Huguenin Amorim





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal