Cosmovisão cristã o que é uma cosmovisãO? Introdução


Uma Breve História do Conceito de “Cosmovisão Cristã”



Baixar 120,48 Kb.
Página2/27
Encontro17.10.2018
Tamanho120,48 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27
1.1. Uma Breve História do Conceito de “Cosmovisão Cristã”

O termo alemão Weltanschauung foi cunhado por Kant e veio depois a ser uma palavra chave na mentalidade do idealismo alemão e do romantismo, sendo transmitido via Fichte para Schelling, Schleiermacher, Schlegel, Novalis, Hegel e Goethe. Por volta de 1840, segundo Albert Wolters, o termo tinha se tornado "um item padrão no vocabulário do Alemão educado" (p.15). Na década de 30 ele penetrou em outras línguas, e desde Kierkegaard os filósofos tem buscado relacionar a nova idéia ao conceito mais antigo de "filosofia".

Devido à sua origem, o termo traz uma carga idealista-romântica bastante forte. Uma característica importante do período foi o "nascimento da consciência histórica", marcada pela oposição ao intelectualismo grego-iluminista e pela ênfase no particular, temporal e concreto.

Assim enquanto o termo "filosofia", de origem grega, pertence a uma mentalidade orientada para o universal e essencial, o termo alemão weltanschauung pertence a uma mentalidade dominada pela relatividade histórica.

O primeiro a utilizar a noção de weltanschauung para expressar a visão de um cristianismo integral abarcando todas as dimensões da cultura foi o teólogo escocês James Orr (1884-1913). Suas palestras nas Kerr Lectures para 1890-91 foram publicadas com o titulo The Christian View of God and Things. Nessa obra Orr afirma que o modernismo deve ser enfrentado através do desenvolvimento de uma cosmovisão abrangente, na qual princípio deve ser ordenado contra princípio. Declara também que

"... a visão cristã das coisas forma um todo lógico que não pode ser ... aceito ou rejeitado por partes, mas permanece ou cai em sua integridade, e que pode apenas sofrer com tentativas de amálgama ou compromisso com teorias que se apóiam em bases totalmente distintas." (p. 95)

Nessa época Abraham Kuyper já era o líder inquestionável do neo-calvinismo. Através de suas atividades como teólogo, jornalista, político e líder cultural Kuyper já vinha desenvolvendo uma ampla reforma da sociedade holandesa a partir do calvinismo e em combate com o modernismo. Mas segundo Peter Heslam, um estudioso de Kuyper, foi o contato com a obra de James Orr que levou Kuyper adotar o conceito de "weltanschauung" como forma de descrever sua visão do cristianismo. Diferentemente de Orr, no entanto, ao invés de traduzir o termo como "visão de mundo", Kuyper preferiu a expressão "sistema de vida", uma expressão bem mais orientada para a prática. Ricardo Gouveia traduziu a expressão como "biocosmovisão".

Para Kuyper o calvinismo, que seria simplesmente a forma mais consistente de cristianismo, não era exatamente uma teologia ou um sistema eclesiástico, mas uma cosmovisão completa com implicações para todas as áreas da vida, incluindo politica, arte, etc. O calvinismo deveria assim resistir a aliança com outros "ismos" culturais opostos como o socialismo, o darwinismo, o positivismo e o liberalismo e desenvolver-se a partir de seu princípio singular em busca da liderança cultural.

Entre as tarefas a serem realizadas estaria o desenvolvimento de uma filosofia distintamente calvinística. Tanto Kuyper como Herman Bavinck e seu discípulo Valentinus Hepp defendiam esse projeto.

Mas coube a D.H.T. Vollenhoven e Herman Dooyeweerd desenvolverem um sistema maduro de filosofia reformada. Vollenhoven sempre seguiu Kuyper em sua noção de que "filosofia não é o mesmo que visão de mundo e da vida; é sua posterior elaboração cientifica." (p. 22)

Dooyeweerd divergia um pouco. Inicialmente identificava a wetsidee como a caracteristica da cosmovisão que poderia “se tornar operacional como um fator regulativo na formação de teorias cientificas”. Mas a partir da publicação de sua obra principal em 1935 ele defendeu que a filosofia deveria ser guiada pela religião sem a mediação da cosmovisão. Mas muitos acreditam que sua doutrina dos "Ground-Motives" ele reintroduz subrepticiamente o papel determinante da cosmovisão.




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal