ConsolidaçÃo da legislaçÃo material trabalhista


SEÇÃO II DAS CONDIÇÕES PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL



Baixar 1,96 Mb.
Página208/308
Encontro04.12.2019
Tamanho1,96 Mb.
1   ...   204   205   206   207   208   209   210   211   ...   308
SEÇÃO II
DAS CONDIÇÕES PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL
Art.1285. É livre o exercício da profissão de músico, em todo o território nacional, observados o requisito da capacidade técnica e demais condições estipuladas em lei;


  1. aos diplomados pela Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil ou por estabelecimentos equiparados ou reconhecidos;

II - aos diplomados pelo Conservatório Nacional de Canto Orfeônico;


III - aos diplomados por conservatórios, escolas ou institutos estrangeiros de ensino superior de música, legalmente reconhecidos, desde que tenham revalidados os seus diplomas no país na forma da lei;
IV - aos professores catedráticos e aos maestros de renome internacional que dirijam ou tenham dirigido orquestras ou coros oficiais;
V - aos alunos dos dois últimos anos, dos cursos de composição, regência ou de qualquer instrumento da Escola Nacional de Música ou estabelecimentos equiparados ou reconhecidos;
VI - aos músicos de qualquer gênero ou especialidade que estejam em atividade profissional devidamente comprovada, na data da publicação da Lei 3.857, de 22 de Dezembro de 1960; e
VII - os músicos que forem aprovados em exame prestado perante banca examinadora, constituída de três especialistas, no mínimo, indicados pela Ordem e pelos sindicatos de músicos do local e nomeados pela autoridade competente do Ministério do Trabalho e Emprego.
§ 1º Aos músicos a que se referem as alíneas f e g deste artigo será concedido certificado que os habilite ao exercício da profissão.
§ 2º Os músicos estrangeiros ficam dispensados das exigências deste artigo, desde que sua permanência no território nacional não ultrapasse o período de 90 (noventa) dias e sejam:


  1. compositores de música erudita ou popular;

b) regentes de orquestra sinfônica, ópera, bailado ou coro, de comprovada competência;


c) integrantes de conjuntos orquestrais, operísticos, folclóricos, populares ou típicos; ou
d) pianistas, violinistas, violoncelistas, cantores ou instrumentistas virtuoses de outra especialidade, a critério da Ordem dos Músicos do Brasil.
Art.1286. Os músicos profissionais para os efeitos deste capítulo, se classificam em
I - compositores de música erudita ou popular;
II - regentes de orquestras sinfônicas, óperas, bailados, operetas, orquestras mistas, de salão, ciganas, jazz, jazz-sinfônico, conjuntos corais e bandas de música;
III - diretores de orquestras ou conjuntos populares;
IV - instrumentais de todos os gêneros e especialidades;
V - cantores de todos os gêneros e especialidades;
VI - professores particulares de música;
VII - diretores de cena lírica;
VIII - arranjadores e orquestradores; e
IX - copistas de música
Art.1287. Incumbe privativamente ao compositor de música erudita e ao regente
I - exercer cargo de direção nos teatros oficiais de ópera ou bailado;
II - exercer cargos de direção musical nas estações de rádio ou televisão;
III - exercer cargo de direção musical nas fábricas ou empresas de gravações fonomecânicas;
IV - ser consultor técnico das autoridades civis e militares em assuntos musicais;
V - exercer cargo de direção musical nas companhias produtoras de filmes cinematográficos e do Instituto Nacional de Cinema Educativo;
VI - dirigir os conjuntos musicais contratados pelas companhias nacionais de navegação;
VII - ser diretor musical das fábricas de gravações fonográficas;
VIII - dirigir a seção de música das bibliotecas públicas;
IX - dirigir estabelecimentos de ensino musical;
X - ser diretor técnico dos teatros de ópera ou bailado e dos teatros musicados;
XI - ser diretor musical da seção pesquisas folclóricas do Museu Nacional do Índio;
XII - ser diretor musical das orquestras sinfônicas oficiais e particulares;
XIII - ensaiar e dirigir orquestras sinfônicas;
XIV - preparar e dirigir espetáculos teatrais de ópera bailado ou opereta;
XV - ensaiar e dirigir conjuntos corais ou folclóricos;
XVI - ensaiar e dirigir bandas de música;
XVII - ensaiar e dirigir orquestras populares; e
XVIII - lecionar matérias teóricas musicais a domicílio ou em estabelecimentos de ensino primário, secundário ou superior, regularmente organizados.
§ 1º É obrigatória a inclusão do compositor de música erudita e regente nas comissões artísticas e culturais de ópera, bailado ou quaisquer outras de natureza musical;
§ 2º Na localidade em que não houver compositor de música erudita ou regente, será permitido o exercício das atribuições previstas neste artigo a profissional diplomado em outra especialidade musical.
Art.1288. lncumbe privativamente ao diretor de orquestra ou conjunto popular:
I - assumir a responsabilidade da eficiência artística do conjunto;
II - ensaiar e dirigir orquestras ou conjuntos populares.
Parágrafo único. O diretor de orquestra ou conjuntos populares, a que se refere este artigo, deverá ser diplomado em composição e regência pela Escola Nacional de Música ou estabelecimento equiparado ou reconhecido.
Art.1289. Incumbe privativamente ao cantor:
I - realizar recitais individuais;
II - participar como solista, de orquestras sinfônicas ou populares;
III - participar de espetáculos de ópera ou operetas;
IV - participar de conjuntos corais ou folclóricos;
V - lecionar, a domicílio ou em estabelecimento de ensino regularmente organizado, a matéria de sua especialidade, se portador de diploma do Curso de Formação de Professores da Escola Nacional de Música ou de estabelecimento do ensino equiparado ou reconhecido.
Art.1290. Incumbe privativamente ao instrumentista:
I - realizar recitais individuais;
II - Participar como solista de orquestras sinfônicas ou populares;
III - integrar conjuntos de música de câmera;
IV - participar de orquestras sinfônicas, dramáticas, religiosas ou populares, ou de bandas de música;
V - ser acompanhador, se organista, pianista, violinista ou acordeonista;
VI - lecionar, a domicílio ou em estabelecimento de ensino regularmente organizado, o instrumento de sua especialidade, se portador de diploma do Curso de Formação de Professores da Escola Nacional de Música ou estabelecimento equiparado ou reconhecido.
§ 1º As atribuições constantes das alíneas c, d, e, f, g, h, k, o e q do art. 1287 são extensivas aos profissionais de que trata este artigo.
§ 2º As atribuições referidas neste artigo são extensivas ao compositor, quando instrumentista.
Art.1291. Ao diplomado em matérias musicais teóricas compete lecionar a domicílio ou em estabelecimentos de ensino regularmente organizados, a disciplina de sua especialidade.
Art.1292. Somente os portadores de diploma do Curso de Formação de Professores da Escola Nacional de Música, do Curso de Professor do Conservatório Nacional de Canto Orfeônico ou de estabelecimentos equiparados ou reconhecidos poderão lecionar as matérias das escolas primárias e secundárias.
Art.1293. Somente os portadores de diploma do Curso de Formação de Professores da Escola Nacional de Música ou estabelecimentos equiparados ou reconhecidos poderão lecionar as matérias das escolas de ensino superior.
Art.1294. Ao diplomado em declamação lírica incumbe, privativamente, ensaiar, dirigir e montar óperas e operetas.
Parágrafo único. As atribuições constantes deste artigo são extensivas aos estrangeiros portadores de diploma de metteur - en - scène ou régisseur.
Art.1295. Incumbe privativamente ao arranjador ou orquestrador:
I - fazer arranjos musicais de qualquer gênero para coral, orquestra sinfônica, conjunto de câmera e banda de música;
II - fazer arranjos, para conjuntos populares ou regionais;
III - fazer o fundo musical de programas montados em emissoras de rádio ou televisão e em gravações fonomecânicas.
Art.1296. Incumbe ao copista
I - executar trabalhos de cópia de música;
II - fazer transposição de partituras e partes de orquestra.
Art.1297. É condição essencial para o provimento de cargo público privativo de músico o cumprimento pelo candidato das disposições deste Capítulo.
Parágrafo único. No provimento de cargo público privativo de músico terá preferência, em igualdade de condições, o músico diplomado.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   204   205   206   207   208   209   210   211   ...   308


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal