Clínica Psicodinâmica do Trabalho: Análise das vivências de colaboradores da limpeza



Baixar 79.98 Kb.
Página1/6
Encontro23.08.2018
Tamanho79.98 Kb.
  1   2   3   4   5   6


Clínica Psicodinâmica do Trabalho: Análise das vivências de colaboradores da limpeza
JULIANY GONÇALVES GUIMARÃES DE AGUIAR1

GLEYCE KELLY GOMES RAMOS VILA VERDE²

MARCELO DA SILVA ARAÚJO TAVARES³

Resumo: Este estudo analisa as vivências de prazer e sofrimento no âmbito organizacional baseado na proposta da clínica Psicodinâmica do Trabalho, onde o foco é a análise psicodinâmica das situações de trabalho. Foi realizado em uma instituição de ensino superior privada, com 14 colaboradores da limpeza. Foram realizadas sessões coletivas baseadas nos seguintes eixos norteadores: Organização do Trabalho, Mobilização Subjetiva e Sofrimento, defesas e patologias, visando orientar as discussões, avaliadas através da análise de conteúdo. Os resultados indicaram que o sofrimento está centralizado na sobrecarga de trabalho, porém o grupo utiliza a reflexão-ação como meio para enfrentar o sofrimento.


Palavras-chave: Psicodinâmica do trabalho. Prazer. Sofrimento.

INTRODUÇÃO


Este artigo pretende compreender as vivências de prazer e sofrimento dos colaboradores de uma organização. Justifica-se no contexto da extensão universitária, visto que, seus gestores, coordenadores, equipes de atendimento e outros profissionais de apoio são líderes, formadores de opinião em todas as instâncias sociais. Avaliando a relevância que tem a prática psicodinâmica, particularmente em um contexto de trabalho, na possível emancipação ativa dos trabalhadores, considerou-se que esses profissionais extensionistas podem auxiliar na formação de uma rede de enfrentamento da exploração do trabalhador e na consequente, formulação de políticas de prevenção do fenômeno.

A primeira etapa das pesquisas em Psicopatologia do Trabalho evidenciava-se pelo método clínico, doenças mentais provocadas pelo trabalho. Existia, então, a busca pelo nexo causal entre determinadas organizações e condições de trabalho e o adoecimento mental. Essas pesquisas estavam orientadas por um pressuposto científico em virtude do qual as doenças mentais seriam o efeito de uma causa inerente aos constrangimentos do trabalho (LANCMAN & UCHIDA, 2003). O contexto era caracterizado por conhecimentos dominados pela patologia profissional somática resultante dos danos físico-químico-biológicos do posto de trabalho. Esperava-se, então, que dadas certas condições ambientais, as pessoas iriam necessariamente descompensar psiquicamente. Em seguida, as pesquisas em psicopatologia do trabalho conheceram, um período de paralisia quase total, até que se procedeu uma mudança teórica que permitiu formulação diferente de questões levantadas sobre a relação entre saúde mental e trabalho. Dejours passa a chamar seu novo campo de pesquisa e teorias de Psicodinâmica do Trabalho (DEJOURS, 2004), onde o foco é a análise psicodinâmica das situações de trabalho.

Segundo Dejours (1999a), a psicodinâmica do trabalho é antes de tudo uma clínica. A clínica do trabalho busca desenvolver o campo da saúde mental e trabalho, ligando a intervenção à pesquisa pautando-se nos princípios da pesquisa-ação. Nesse sentido, o objetivo da pesquisa em clínica do trabalho é a real escuta do sofrimento e sua elaboração, que proporcionam meios ao trabalhador de recuperar sua capacidade de pensar e agir, corroborando para o resgate de sua emancipação como sujeito.

Essa emancipação pode vir a surgir a partir do momento em que o sujeito é instrumentalizado pela palavra (Lancman & Sznelwar, 2011). Assim, do confronto entre as crenças, os desejos, a resistência a essas crenças e a esses desejos imposto pelo real, no atual cenário do trabalho, nasce uma vivência de sofrimento. Diante disso, Dejours (1993), propõe uma atividade de escuta atenta à fala dos trabalhadores. Não só a fala individual, mas principalmente a coletiva. Isso, porque, para a Psicodinâmica do Trabalho, se o sofrimento é de ordem do singular, sua solução é coletiva. Este fato nos leva então a compreender que o interesse da psicodinâmica, então, é mais pela fala do que pela realidade em si, uma vez que interessa-se mais pela versão do que pelo fato (LANCMAN & SZNELWAR, 2011).

Para tanto, o objetivo deste trabalho, partindo do universo da clínica psicodinâmica, é analisar as vivências de prazer e sofrimento dos colaboradores da equipe auxiliar de limpeza de uma instituição de ensino superior privada, instrumentalizando-o, por intermédio da fala, de modo a possibilitar a reflexão-ação de um grupo.

Os princípios metodológicos foram norteados pelo que preconizam Mendes e Araújo (2011) onde três etapas são definidas: a primeira é chamada de pré-pesquisa, onde é feita a análise da demanda. A segunda é a pesquisa propriamente dita, sendo este o momento onde se coloca em pauta, coletivamente, a relação entre organização do trabalho e vivências de prazer e sofrimento. Por fim, a terceira etapa é a validação dos resultados.


procedimentos metodologicos da pesquisa
Participaram deste estudo, voluntariamente, 14 pessoas, integrantes da equipe de limpeza de uma instituição de ensino superior privada no ano de 2014, sendo três do sexo masculino e 11 do sexo feminino, com idades entre 26 e 65 anos. A maior parte dos participantes possui Ensino Fundamental Incompleto e faz parte de uma classe socioeconômica baixa.

Para a condução da clínica do trabalho fez-se uso de um roteiro elaborado por Demito (2012) baseado na ACT (Análise Clínica do Trabalho) contendo questões norteadoras para a investigação da dinâmica de trabalho do grupo em estudo. Também utilizou-se para a análise dos resultados um memorial, contendo o que havia sido discutido e percebido nas discussões e um diário de campo, confeccionados após cada encontro. Ressalta-se ainda o uso da fala dos participantes, objetivando a compreensão de como o coletivo estrutura sua relação com o trabalho (DEJOURS, 1992).

A escolha dos participantes foi feita a partir de uma demanda espontânea e por meio de observações diretas da rotina de trabalho da equipe, sendo a solicitação para a realização da pesquisa requerida junto ao Departamento de Recursos Humanos da instituição.

Para a organização da pesquisa, realizou-se análise documental sobre o processo de trabalho da equipe de limpeza, averiguando a quantidade de colaboradores na equipe, a organização da divisão dos turnos e o conteúdo do trabalho desempenhado. Essas etapas iniciais promoveram a compreensão do que os participantes falaram no decorrer das sessões coletivas.

Em um primeiro momento foi feita uma reunião para a apresentação da proposta de pesquisa para o grupo convidando-os a entender do que se tratava a Psicodinâmica do Trabalho e a participar das sessões semanais. Durante as sessões coletivas tudo o que os participantes falavam estava sendo gravado e ao final de cada sessão registrava-se suas percepções no diário de campo no intuito de desenvolver a observação clínica, que, segundo Dejours (1992), facilita a análise das descrições que acontecem nas narrativas durante as sessões.

A partir da segunda sessão, o que havia sido elaborado na anterior era retomado com a leitura de um memorial, contendo tudo o que havia sido discutido e percebido, permitindo que os participantes entrassem em contato com o que eles mesmos haviam pensado e elaborado.

A organização do material coletado nas sessões coletivas foi feita através da Análise Clínica do Trabalho (ACT), sendo esta uma técnica baseada na qualidade e no significado do discurso (MENDES & ARAÚJO, 2011). O conteúdo do que é trazido pelos participantes nas sessões é analisado no coletivo, não sendo relevante a identificação individual de falas ou sentimentos, nem de aspectos pessoais que fujam da esfera do trabalho (DEJOURS, ABDOUCHELI & JAYET, 2011). Todas as sessões são analisadas objetivando identificar a evolução, o aprofundamento e as especificidades das sessões coletivas.

Foi realizado um último encontro após três sessões para a entrega, leitura e discussão do relatório final, além de objetivar a validação deste relatório. Após esse último encontro com o grupo, com considerações relevantes para a finalização do relatório, foi feita a devolutiva para o Recursos Humanos da organização, a fim de apresentar os resultados alcançados com o trabalho, sugerir pontos percebidos passíveis de melhora e reconhecer o espaço que foi concedido para a realização do mesmo.


Resultados e discussões
Os resultados foram obtidos com base na Análise Clínica do Trabalho (ACT). Através dos diários de campo e dos memoriais foi possível à pesquisadora reformular questões partindo tanto das descrições de vivências dos colaboradores quanto de explicações sobre as causas e as consequências dessas vivências.

A classificação das falas dos colaboradores realizou-se utilizando os três eixos propostos pela ACT. Os respectivos eixos são subdivididos em alguns itens para uma análise mais precisa dos dados. O Eixo I se subdivide em Conteúdo das tarefas, Normas e controles, Relações sócio profissionais, Comunicação, Modos de gestão e Condições de trabalho. O Eixo II é composto por Inteligência prática, Espaço de discussão, Cooperação e Reconhecimento. Por fim, o Eixo III abarca os itens Sobrecarga, Falta de autonomia, Falta de reconhecimento, Defesas, Tipos de patologias e Danos físicos e psicossociais. Foi feita então, a análise de conteúdo das três transcrições referentes às sessões coletivas, possibilitando mensurar a frequência com que as falas apareciam, classificando-as nos itens de cada eixo da ACT.



A Tabela 1 mostra a frequência da fala dos participantes durante todas as sessões nos seis itens que compõe o Eixo I. Observa-se que é predominante a fala voltada para as Condições de trabalho (27,6%), uma vez que estas condições são precárias e os colaboradores, na maioria das vezes, precisam efetuar um trabalho de qualidade mesmo diante desse quadro. O item Conteúdo das Tarefas (20,7%) também aparece com ênfase na fala dos participantes, o que mostra o quanto o trabalho na empresa é pesado, repetitivo e desgastante para o grupo.


Baixar 79.98 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa