«Christus vincit» (III)



Baixar 2,12 Mb.
Página1/97
Encontro08.10.2018
Tamanho2,12 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   97

« Christus vincit » (III)




Religiosos mártires

(Perseguição comunista na China)



Biografia

Irmão Joche-Albert


+ Sichang, 21 de abril de 1951

Escrita pelo



P. Eusebio Arnaiz Alvarez, C.SS.R.

1960
171, Boundary Street 3rd Fl. Hong Kong

Tradução


Tradução: Irmão de Oliveira Pereira, fms

Original em espanhol:

Religiosos Mártires, Hong Kong 1960.

Edição


Instituto dos Irmãos Maristas

Piazzale M. Champagnat, 2

00144 ROMA

Itália


Tel. +39 06 54 51 71

E-mail: publica@fms.it

Site: www.champagnat.org

Impressão


Irmãos Maristas – ROMA

Fevereiro 2006

© G. Bigotto fms

gbigotto@fms.it



Impresso na Itália


Irmão Joche-Albert Ly



Apresentação

Este livro apresenta um verdadeiro mártir: um mártir simpático, um mártir marista, o Irmão Joche-Albert Ly. Ele insere-se no quadro da imensa China e da Província Marista desse país que era extremamente próspera pelo número e pela qualidade dos seus Irmãos e dos seus colegas.


Se o Irmão Joche-Albert é o porta-bandeira, também aparecem outros Irmãos que, como ele, são mártires, pois conheceram a prisão, a fome, os trabalhos forçados, os julgamentos públicos... Esses estão apresentados nos anexos. Todos eles fazem nascer em nossos corações maristas o orgulho e a admiração.
Esses Irmãos, particularmente o Irmão Joche-Albert, foram os primeiros a enfrentar o comunismo virulento imposto na China pelas armas, que força todo mundo a entrar nesse projeto, particularmente através do que ficou conhecido como “lavagem cerebral”, a mudança de mentalidade. Se esta fracassa, resta a prisão, o julgamento público, a condenação à morte.

A leitura revela o valor histórico do livro. A primeira prova do documento data de 1953, dois anos somente depois do martírio. A edição final, em espanhol, foi publicada em 1960. O livro foi escrito por alguém que viveu com o Irmão Joche-Albert e que reuniu o testemunho de muitas pessoas que viveram muito tempo com o mártir, partilharam com ele a prisão, as dificuldades, os perigos. Existe, sobretudo, uma forte presença daqueles que lhe foram próximos durante a última etapa, aquela do martírio.


O livro, de agradável leitura apesar do estilo um pouco fora de moda, tem o mérito de nos revelar que entre nós existem santos admiráveis, algumas vezes ignorados, mas conhecidos. Eles consolidam nossa identidade marista e nos impulsiona para uma maior generosidade.

Ir. Giovanni Maria Bigotto, Postulador.