Caderno de



Baixar 0.77 Mb.
Página95/180
Encontro28.11.2019
Tamanho0.77 Mb.
1   ...   91   92   93   94   95   96   97   98   ...   180

TEXTO 19


Diretoria do ANDES-SN

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

TEXTO DE APOIO

Ao se realizar uma análise dos percentuais do PIB investidos pelo Governo em Ciência e Tecnologia, nos últimos oito anos, percebe-se que não ocorreu nenhum aumento significativo. Dados da Secretaria Executiva (SECEX)/MCT, revelam variações de 2000 a 2008 que oscilam entre 1,3% (2000) a 1,47% do PIB (2008), sendo que em 2003 e 2004 o investimento esteve entre 1,26% e 1,24% do PIB, demonstrando a queda na aplicação de recursos. A surpresa dos cortes em 18 % do orçamento para 2009, aprovado em 2008, veio aprofundar mais ainda a perspectiva de falta de investimento, quando os dados apontavam para um orçamento real em torno de 1,02% do PIB, o que coloca o país na contramão do desenvolvimento.

Fica evidente que no âmbito da Ciência e Tecnologia, a política governamental tem reafirmado a submissão de suas ações e programas aos interesses do mercado, fato esse corroborado principalmente com a implementação de editais de pesquisa subsidiados com fundos setoriais e na compra de tecnologias diversas para aplicação no país.

O quadro se tornou visível quando o Ministério da Ciência e Tecnologia apresentou seus objetivos a partir da PPP, focando o incentivo para as áreas das engenharias e “áreas estratégicas para o desenvolvimento”. Nesta política, iniciativas relacionam-se diretamente com o setor empresarial e produtivo, tais como: sistemas de informação, agronegócio, biotecnologia, biocombustível.

Outro fator de relevância para esta análise foi a lógica da Lei de Inovação Tecnológica e das parcerias público-privado, onde as ações governamentais induzem à utilização de recursos financeiros, estrutura física e pesquisadores públicos por empresas privadas, fortalecendo o sistema das fundações privadas ditas “de apoio”.

 É fato que a produção científica gerada principalmente nas universidades vem crescendo como anunciado amplamente pela mídia e pelas agências governamentais, mas o impacto desta produção sobre as demandas do país e do mundo são discutíveis, principalmente por estarem mais relacionadas aos quesitos para a obtenção de grau de mestrado e doutorado do que a apresentação real de resultados de projetos de pesquisa, fato também observado quando avaliamos numericamente o registro de patentes que ainda é mínimo no país, quando comparado a países cujo investimento em C&T é maior.

Em conjunto com esses dados, observamos que os últimos três anos foram de recrudescimento de investimentos governamentais nas empresas de pesquisa pública, ao contrário do anunciado com o PAC da EMBRAPA, e seus dez grandes projetos, que além de trazer enfraquecimento nos investimentos de pequenas empresas estaduais de pesquisa agropecuária, ainda submete aquelas que se vinculam a estes projetos à subordinação técnica da EMBRAPA, que passa a se tornar a mega empresa de pesquisa agropecuária do Brasil.

Esta proposta de alteração de função é estratégia visível nos principais centros de pesquisa como a FIOCRUZ, cuja transformação em laboratórios de referência para exames de grandes endemias contraria a vocação natural para a qual a FIOCRUZ foi criada.

Foi possível também observar a tentativa do governo de impor uma “visão sistêmica do estado” através de novas atribuições equivocadas da CAPES, por exemplo, que assumiu a formação e qualificação de docentes para a educação básica, cobrindo também a formação tecnológica, a pós-graduação e o pós-doutorado, e como afirmado pelo presidente da CAPES, “visando integrar a pesquisa realizada nas universidades com as demandas do setor produtivo”.

Finalizando, a política de C&T, implantada nos últimos oito anos, quando relacionada especificamente ao trabalho docente, gerou três consequências distintas. A primeira diz respeito à busca pela produtividade, o que leva a uma sobrecarga de trabalho, além de uma competição entre os pares e a instalação de um processo de submissão dos docentes a “grupos de pesquisa”. A segunda refere-se a uma quebra da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão decorrentes da opção pela pesquisa em grupos fechados e direcionada para a iniciativa privada. Outro aspecto a se destacar é a exclusão de um número considerável de docentes que, mesmo qualificados, não são “premiados” com o financiamento para a pesquisa, e são deslocados, principalmente, para o ensino. Este processo é agravado com o REUNI, que reafirma esta divisão, pressionando a ampliação das atividades docentes destinadas ao ensino. A terceira implicação relaciona-se à política de avaliação dos Programas e Docentes de Pós-graduação da CAPES que ampliam a sobrecarga de trabalho de docentes e culminam com a exclusão de jovens doutores desses mesmos programas.

 Portanto, é necessário o combate e a crítica desta política enviesada, mercantilizada e produtivista, que não prioriza a transformação das condições sociais e, de forma mais grave, não aponta para a autonomia do Estado. É preciso reafirmar a posição do ANDES-SN já explicitados no Caderno 2, de desenvolvimento de projetos de C&T ligados aos interesses nacionais e à melhoria da qualidade de vida da população.



Baixar 0.77 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   91   92   93   94   95   96   97   98   ...   180




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa