Auto perceções – Psicologia da Educação



Baixar 50,88 Kb.
Encontro11.06.2018
Tamanho50,88 Kb.




Auto perceções

“Eu não pinto as coisas como as vejo, mas sim como as penso.” - Pablo Ruiz Picasso

“Sua perspetiva da experiência muda a lição que você aprende.” - Gerald Griffin

Perceção é o processo pelo qual o individuo organiza e interpreta as suas impressões sensoriais a fim de dar sentido ao seu meio envolvente. O que cada um depreende pode ser substancialmente diferente da realidade objetiva.

O comportamento humano é baseado nas suas perceções do que é para si a realidade.

As perceções moldam-se consoante o próprio individuo (quem percebe), o alvo (percebido) e a situação (contexto). As interpretações são influenciadas pelas características pessoais do individuo. De acordo com o individuo no que toca ao conjunto de: atitudes, motivações, interesses, experiências, expetativas, relativamente ao alvo: novidade, movimento, som, tamanho e a situação de acordo com o tempo, o local e a situação social.

A terminologia “self” ou “eu” engloba os seguintes conceitos: autoconceito, autoimagem, autoestima, auto valia, autoavaliação, auto perceção, autorrepresentação, entre outros.

A forma como nós percecionamos e julgamos as ações de uma pessoa, é feita pelas suposições que nós criamos relativamente a ela.

Um estudo realizado por Fox e Corbin (1989), definiu relativamente ao seu Modelo de Organização Hierárquica das Auto perceções Físicas, que a auto perceção física, não só contribui para a autoestima como também para o bem-estar mental. A perceção das capacidades físicas e da aparência física que o indivíduo possui, estão ligadas com a fase pubertária, pois nesta fase ocorrem muitas alterações através do surgimento de novas conceções e perceções que são adquiridas pelas experiências do quotidiano.

A auto estima é um conceito intimamente relacionado com as auto perceções. Forma de se desenvolver uma baixa auto estima, por exemplo, um criança que se depare com os seus pais e outras pessoas significativas, a repreendem, criticam e se afastem, ela a média ou longo prazo vai fazer uma avaliação de si mesma como sendo uma pessoa fracassada, e inadequada.

O desenvolvimento da perceção que a criança tem de si mesma depende das contingências a que a criança está submetida, o que vai depender tanto do comportamento da mesma como dos seus pais e das pessoas significativas.

No nosso caso, futuros professores de Educação Física, esta área das auto perceções é de enorme importância e nós devemos dar uma enorme ênfase na nossa profissão. Como referimos anteriormente existem vários conceitos ligados com as auto perceções, todos eles são tidos em diferentes momentos da adolescência, que é o escalão etário que possivelmente iremos trabalhar. Todos os conceitos estão interligados e fazem diferença na forma como os nossos alunos se vão auto percecionar perante os outros e perante as situações.

Por vezes nós futuros professores, perante diversas situações temos que ir ao encontro das necessidades de cada criança, pois como temos vindo a estudar o ensino deve ser adaptado a cada pessoa dependendo das suas características pessoas e o meio envolvente onde está inserida. A forma como a criança se auto perceciona irá influenciar o seu rendimento escolar.

O professor deve criar formas de fazer com que o aluno se sinta capaz de realizar as tarefas propostas, fazendo-o ter consciência da forma como este a realizou e do que pode melhor sem o “rebaixar”, no sentido de não afetar os conceitos ligados à perceção de si mesmo. Nesta idade o aluno valoriza muito o que os outros (pais e pessoas significantes) pensam dele. A profissão docente é complexa, não só pela diversidade de alunos com que nos deparamos mas também na variabilidade de soluções que o professor tem que ter sempre na cabeça no caso de ser preciso por em prática. As auto perceções podem ser trabalhadas de diversas formas pelo professor, por exemplo em dinâmicas de grupo, num exercício que o professor de psicologia aplicou numa aula, em que os alunos tinham que trocar cumprimentos, palavras de agrado com o colega, entre outras situações. Todos os momentos presentes neste jogo vão alterar as auto perceções de cada um, o que é benéfico tanto para os alunos que aproveitaram o exercício como para o professor que toma consciência de perceções que os alunos têm de si mesmo e dos colegas.



Trabalho realizado pela aluna Joana Maria Calhau Machado Nº111186164, matriculada a 18 de Outubro de 2011 (possível 3ªfase), no 1º Ano do 2º Ciclo de Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário.



Joana Maria Calhau Machado Nº111186164 Página




Compartilhe com seus amigos:


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal