Auto-mutilaçÃO: juventude e angústia



Baixar 13,13 Kb.
Página1/4
Encontro23.05.2018
Tamanho13,13 Kb.
  1   2   3   4

Andresa Galoni1, Bia Ferreira2, Deise Galoni3, Denise Galoni4

1 Escola Estadual Profa. Catharina Casale Padovani (dresaa_galoni@yahoo.com.br)

AUTO-MUTILAÇÃO: JUVENTUDE E ANGÚSTIA
RESUMO: Neste trabalho tivemos o objetivo de mostrar como a auto-mutilação é um problema presente na vida de muitos jovens. Procuramos mostrar como a auto-mutilação é, muitas vezes, uma forma de amenizar a sua angústia. Nossa pesquisa buscou informações na Internet, em literatura sobre esse assunto e, também, em “comunidades” de automutiladores. Tivemos uma conversa informal com uma psicóloga e entrevistamos alguns jovens. Nosso trabalho procura chamar a atenção para uma problemática muito presente na vida de muitos jovens, mas pouco discutida, ainda hoje, em nosso meio acadêmico e social.
PALAVRA-CHAVE: Auto-mutilação , jovens e transtornos psicológicos.
INTRODUÇÃO: Toda introdução, para qualquer tema, tenta prender a atenção do leitor. Contudo, esse tema já chama a atenção por si só. Queremos apenas solicitar-lhes atenção para os fortes exemplos que serão aqui expostos (histórias verídicas).

: phpg -> inscricao -> enic -> documentos
documentos -> Título: a linguagem gráfica na criançA
documentos -> Atitudes e valores de alunos e professores da área de humanas relacionados à ciência, tecnologia e sociedade
documentos -> Colégio piracicabano
documentos -> Análise dos pais separados de uma amostra de crianças de 1ª a 5ª SÉrie de escola estadual olívia bianco em piracicaba
documentos -> Michely bervely maranha da cunha
documentos -> Entidades de atençÃO À infância e adolescência: práticas educativas com crianças e adolescentes em situaçÃo de risco
documentos -> Análise social sobre preconceitos agregados aos grupos de minoria em empresas e locais públicos
documentos -> Bullying – esse fenômeno ocorre na escola em que estudo
documentos -> Serial killers: culpados ou vítimas
documentos -> Título: Lições de Cidadania e Direitos Humanos: “Bullying, Tô Fora


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal