Aspectos históricos da psicologia do desenvolvimento



Baixar 325,49 Kb.
Página65/77
Encontro04.03.2018
Tamanho325,49 Kb.
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   77
Questões da apostila

1. Quais os motivos da teoria de Sigmund Freud ser polêmicas desde a sua época até os tempos atuais?

         A obra de Freud é discutível até a atualidade por ter trabalhado com a noção de inconsciente e rompido com os moldes e interpretações do comportamento humano propostos pela Psicologia empirista, que defendia que as reações humanas precisavam ser medidas e quantificadas. Os aspectos ocultos e inconscientes das ações humanas eram desprezados pelos empiristas.



2. Quais as primeiras descobertas de Freud em relação às doenças mentais?

         Os cientistas da época de Freud acreditavam que a histeria ocorresse somente com as mulheres. Mas Freud descobriu que também era uma patologia masculina e essa doença podia ser causada e anulada e dissociada das pessoas com o auxílio da hipnose.



A construção do aparelho psíquico e o estágio do espelho - AULA 14

Freud considerava que o aparelho psíquico é constituído do consciente, inconsciente e pré-consciente. Anos mais tarde, acrescentou os conceitos de id, ego e superego.

Para Freud, o id é a parte mais primitiva do ser humano, sendo formado pelos instintos sexuais e agressivos. Além disso, o id também é regido pelo princípio do prazer.

O ego serve de mediador entre o id e o meio exterior. O ego representa o eu, a racionalidade, e ajuda as pessoas a pensarem, ajuda-as a não agirem pelos impulsos do id. O superego é a parte controladora do pensamento, ou seja, representa a moral e os ideais que são funções do superego. O conteúdo do superego refere-se às exigências sociais e culturais.

O superego é constituído pelos julgamentos que estão presentes na mentalidade dos indivíduos e são formados por meio de valores morais e sociais transmitidos pela cultura.

Freud considera que o homem possui dois instintos básicos que representam forças opostas. De um lado, está o instinto sexual e, de outro, o da agressividade, o instinto destrutivo. Considera que os instintos são os canais por meio dos quais a energia pode  fluir, ele afirma que a energia sexual, a libido, é a grande promotora das ações dos indivíduos.

Freud procurou desenvolver sua teoria fundamentada nas considerações sobre o papel e a influência da sexualidade nas condutas humanas. Nesse processo, ele percebeu que o desenvolvimento da sexualidade ocorre através de diferentes fases, que se iniciam desde o nascimento do bebê.

FASE ORAL nesta fase a criança tudo aprende pela boca, desde o nascimento até o desmame o chupar é uma necessidade fisiológica e, também um prazer que independe das necessidades alimentares. Posteriormente aparece a dentição e este sofrimento é aliviado pela mordida em tudo que lhe vem à boca.

Quando essa fase é bem vivida a criança cresce de forma mais saudável, caso contrário Freud explica que as conseqüências podem ser indivíduos que fumam, roem unhas, tem obsessão por comer. A BOCA É UM VEÍCULO QUE ALIVIA ANSIEDADES E TENSÕES.

Na FASE ANAL a criança descobre que além do prazer que pela zona erógena bucal, também, a zona anal lhe proporciona satisfação pela retenção das fezes e urina (forma de brincar), representando, assim, a descoberta pelo prazer autoerótico.

A mãe é responsável por estimular de forma agradável o uso do banheiro pela criança para os cuidados higiênicos, entretanto, se atuação materna for de forma extremamente rigorosa poderá causar seqüelas (preocupação excessiva por limpeza e ordem na vida adulta) pela frustração ocorrida na fase anal. 



FASE FÁLICA é o despertar da criança pelo pênis no menino e clitóris na menina. Muitos pais e professores não sabem como conduzir essas questões e pecam por ignorá-las ou repreendê-las, mas é muito saudável que o adulto saiba conduzir tais questões, uma vez que é deste período que nasce o chamado COMPLEXO DE ÉDIPO e COMPLEXO DE ELECTRA. 

COMPLEXO E CASTRAÇÃO DE ÉDIPO

De forma muito sabia FREUD explica sua teoria utilizando mitos gregos, baseando-se na tragédia de Sófocles para exemplificar o tabu do incesto.



Segundo a mitologia grega, LAIO ficou sabendo por meio de uma vidente que seu filho que acabara de nascer de seu relacionamento com Jocasta, iria matá-lo para casar-se com a própria mãe.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   77


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal