Artigo Científico


Análise comparativa dos escores das bailarinas e dos bailarinos



Baixar 106,48 Kb.
Página9/10
Encontro11.10.2018
Tamanho106,48 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
Análise comparativa dos escores das bailarinas e dos bailarinos

A Tabela 01 e a Figura 01 mostram que os escores referentes às perguntas “04 - Apresenta perda ou excesso de apetite?”, “09 – Apresenta perda de interesse sexual?”, “11 – Apresenta desarranjos intestinais?”, “13 - Fica preocupado com os erros que possa cometer durante o espetáculo?”, “14 - Sente o coração palpitar com mais intensidade antes do espetáculo?”, e “15 - Fica nervoso no inicio da apresentação” apresentam diferenças bastante definidas para graus de significância maiores que 95%. Deve-se salientar que os valores absolutos dos escores para o gênero feminino são maiores que aqueles para o gênero masculino. Shigunov (1998), em estudos realizados com atletas de ambos os sexos, constatou que aqueles do sexo masculino apresentavam um nível de ansiedade de estado considerado médio. Por outro lado as atletas apresentavam um nível de ansiedade de estado considerado médio alto. Portanto o autor concluiu que as questões do sexo são importantes quando se avalia a ocorrência de ansiedade, o que foi também verificado no presente estudo. Deve-se salientar que os escores referentes às demais perguntas não apresentaram diferenças significativas, exceto para o caso das perguntas 12 (p=0,072) e 17 (p=0,055).

Em relação ao tempo de prática, é interessante ressaltar que a maioria dos bailarinos e bailarinas abrangidos pela pesquisa pratica dança há mais de 10 anos e uma minoria pratica por tempo entre 1 e 5 anos.

Com relação à idade cronológica deve-se salientar que a idade média das bailarinas, de 27,6 anos, é menor que a idade média dos bailarinos, de 30,9 anos. Considerando que não há diferença significativa no tempo de prática de dança, a idade cronológica pode ser considerada como um fator que poderia ter influenciado no comportamento das bailarinas, levando a escores mais altos. Shigunov (1998) também considera que atletas com menor idade são mais susceptíveis a ocorrência de ansiedade de estado que aqueles de maior idade. Esta constatação levou o autor a supor que ou não se valoriza esta questão ou então a ansiedade não é fator inteiramente explicado no desempenho dos atletas.

Outra explicação para a diferença de comportamento entre bailarinas e bailarinos é o fato de que a mulher é mais sensível, mais emotiva e mais exigente consigo mesma. Estas características, incluindo a ocorrência da tensão pré-menstrual, fazem com que as mulheres sejam mais susceptíveis a situações que levam ao estresse e ansiedade.

Outra observação importante é que ao serem perguntadas sobre sintomas de doença cerca de 90% das bailarinas relataram voluntariamente que sentiam sintomas relacionados a estresse e ansiedade. No caso dos bailarinos somente 75% relataram voluntariamente que sentiam sintomas relacionados ao estresse e ansiedade.





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal