Artigo Científico


Análise dos resultados das bailarinas



Baixar 106,48 Kb.
Página7/10
Encontro11.10.2018
Tamanho106,48 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
Análise dos resultados das bailarinas

Considerando que foram atribuídos valores de 1,00 a 4,00 para as opções contidas no questionário pode-se considerar que perguntas com escores maiores ou iguais a 2,50 indicam uma tendência de que o fator envolvido na referida pergunta seja significativo, conforme utilizado por Spielberger et all (1979).

No caso das bailarinas os escores de dez perguntas mostraram valores menores que 2,50, variando na faixa de 1,00 a 2,44. Destas dez perguntas cinco referem-se a fatores psicológicos, quatro a fatores fisiológicos e uma a fator social. Por outro lado, sete perguntas mostraram valores de escores acima de 2,50, variando na faixa de 2,62 a 3,56. Das sete perguntas com valores acima de 2,50 duas se referem a fatores psicológicos e cinco a fatores fisiológicos. Embora Nitsch (1981) apud Samulski (1999) afirme que os fatores relacionados a estresse e ansiedade podem ser relacionados a três fatores quais sejam: social, fisiológico e psíquico (fator tridimensional), o mesmo não foi verificado claramente neste estudo. Provavelmente isto se deve ao fato de que foi incluída somente uma pergunta relacionada ao fator social, cuja resposta não indicou a presença de estresse e ansiedade.

Pode-se observar que, para as bailarinas, os escores das perguntas a seguir e nesta ordem indicam a presença de estresse e ansiedade: “12 - Sente-se com vontade de urinar com maior freqüência do que o habitual?”, “01 - Apresenta sintomas de cansaço constante?”, “05 - Apresenta insônia ou sono exagerado?”, “04 - Apresenta perda ou excesso de apetite?”, “15 - Fica nervoso no inicio da apresentação?”, “13 - Fica preocupado com os erros que possa cometer durante o espetáculo?” e “14 - Sente o coração palpitar com mais intensidade antes do espetáculo?”. Os autores, Couto (1987), Singer (1984), Auriol (1999), Thomas (1983), Loehr (1997) e Samulski (1995) são unânimes em citar estes fatores avaliados pelas perguntas acima como indicadores de sintomas de estresse e ansiedade. Samulski (2002) analisa os conceitos biológicos, psicológicos e sociológicos de maneira conjunta, ou seja, considera-os interdependentes. Assim processos psíquicos e sociais são ligados, de certa forma, a processos biológicos. Também os processos sociais são influenciados por aspectos psicológicos, e, ambos podem tornar-se grandes influenciadores de respostas biológicas. Couto (1987) afirma que em situações de estresse e ansiedade podem acontecer varias reações, quais sejam: taquicardia, palpitações, pele fria, rubor facial, sudorese e aumento da quantidade de glicose no sangue. Thomas (1983) comenta que níveis de estresse e ansiedade prolongados dão origem a dores musculares podendo levar a cansaço constante e fadiga.

Quanto às medidas da freqüência cardíaca a análise dos dados mostrou que no dia da apresentação do espetáculo de dança houve um aumento estatisticamente significativo do número de batimentos cardíacos por minuto. A literatura não é unânime quando analisa a relação entre o aumento da freqüência cardíaca e a ocorrência e estresse e ansiedade. Spielberger (1979) comenta que variações na freqüência cardíaca podem ou não estar associadas a ocorrência de estresse e ansiedade. Por outro lado, Datti (1997) e Walter Cannon (apud Sabbatini,1996) observaram que situações de ameaças ou os fatores causadores de estresse exigem um ritmo mais intenso no funcionamento do sistema circulatório tendo como conseqüência o aumento da pressão sangüínea e dos batimentos cardíacos.




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal