Ano II – Edição Especial nº 07 :: Assédio Moral e Assédio Sexual 1ª Parte


Exmo. Juiz Luciano Ricardo Cembranel. Processo nº 00807-2005-662-04-00-9 – 2ª Vara do Trabalho de Passo Fundo. Publicação em 13.03.2006



Baixar 0,76 Mb.
Página65/72
Encontro28.11.2019
Tamanho0,76 Mb.
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   72
volta ao índice

volta ao sumário


3.6. Exmo. Juiz Luciano Ricardo Cembranel. Processo nº 00807-2005-662-04-00-9 – 2ª Vara do Trabalho de Passo Fundo. Publicação em 13.03.2006.


(...)

e.2.) Assédio moral.

O reclamante pretende o pagamento de uma indenização por dano moral no valor “equivalente a 100 (cem) vezes o valor da remuneração constante e considerada para fins de rescisão contratual”, pela dor moral que lhe foi impingida durante a execução contratual. Explica que sofreu discriminação e pressões de toda ordem, com ameaças de demissão, transferências para lugares distantes e desqualificação. Refere que foi estigmatizado como “funcionário sem perfil”. Sustenta que desde o momento da sua admissão sofreu assédio moral por parte do seu superior hierárquico Moacir Trentin, que dizia que “deveria pensar em outro trabalho porque não tem cara para trabalhar no banco” e “antes de mandar você para a rua vou dar a você mais uma chance. Você vai fazer um curso de operador de caixa e se não se der bem, não vai ter o que fazer aqui no banco”, entre outras. Aduz que este lhe acusava de estar abaixando o nível da agência e que iria iniciar o processo demissional. Expõe que era pressionado para aumentar as vendas dos produtos do reclamado. Relata que, quando no posto de Vanini, foi proibido de entrar na agência de Casca, o que era permitido para outros funcionários.

O reclamado impugna a pretensão ao argumento de que não houve assédio moral. Refere que durante o contrato de experiência o reclamante recebeu avaliação com conceito ótimo e muito bom do gerente de expediente da agência onde trabalhava e que após sempre foi avaliado dentro da média. Expõe que lhe foi proporcionado que realizasse curso de caixa, laborando com função gratificada de caixa executivo e com um acréscimo salarial que poderia chegar a 50%. Refere que o reclamante pediu demissão porque havia logrado aprovação em outro concurso público que lhe era mais benéfico. Argumenta que ele não sofreu nenhuma espécie de coação e que o pedido de demissão é válido.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   72


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa