Anexo a- guiões de entrevista Guião de Entrevista para Alunos efta


Educação para o Empreendedorismo: Competências construídas e impactes esperados



Baixar 310,99 Kb.
Página14/35
Encontro11.10.2018
Tamanho310,99 Kb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   35
Educação para o Empreendedorismo: Competências construídas e impactes esperados

1. Quais são para si as competências mais importantes a adquirir num projeto deste tipo? A nível pessoal (motivação, autoestima, pró-atividade…), interpessoal, social e profissional.

Ao longo do tempo uma pessoa que participe neste grupo e que esteja a colaborar ativamente acaba por se ir abrindo mais e superando algumas limitações e barreiras que possuía. Uma pessoa perde parte da sua timidez e começa a deixar fluir as ideias….

2. Quais são as competências que considera que já possuía antes deste projeto e quais aquelas que espera vir a desenvolver ao longo deste projeto?

Eu tinha motivação, tinha interesse e acho que aqui demostrei ser uma pessoa mais criativa, porque eu não era uma pessoa muito criativa e imaginativa e aprendi a trabalhar com algumas pessoas que não gosto, porque eu antes era sempre com aqueles que gostava que eu trabalhava. Era sempre com aqueles de que gostava. Ali (clube de alunos) não tenho que lidar com as pessoas que entram e que são diferentes. Aprendi a lidar com as suscetibilidades e particularidades de cada um. Já me sinto capaz de orientar as atividades necessárias a concretização de um projeto. Sou uma das responsáveis pelo grupo clube de alunos. Por exemplo na terça, dia 1 de Abril, dia das mentiras fui eu que tive que organizar quase tudo. Tive que ir para a frente. Mas se calhar há uns meses ou um ano atrás eu não seria capaz de levar as coisas para a frente de uma forma tão desenvolta. Este percurso que tenho vindo a fazer tem-me ajudado muito a tomar consciência daquilo que sou capaz. E a desenvolver um conjunto de capacidades que me permite hoje organizar uma atividade quase por conta própria. No sentido de ser capaz de tomar a iniciativa e levar as coisas para a frente de uma forma desembaraçada, e algo autónoma, mesmo contando com a colaboração dos colegas. Às vezes é preciso liderar e nem todas as pessoas tem esse perfil e nem sempre há um líder a tomar as “rédeas da situação” E é numa situação dessas que tu instintivamente decides dar um paço à frente, e se te aceitam como tal tu passas a ser uma das pessoas que lidera/ orienta as tarefas necessárias no processo de preparação de uma iniciativa.

3. Até que ponto este projeto se adequa às suas expectativas e necessidades de aprendizagem?

Eu no início nem ligava muito/ não me empenhava muito. Mas depois entrei mais dentro da filosofia/ missão do grupo e comecei a gostar mais, se bem que às vezes há dias importantes que são assinalados que eu, pessoalmente não considero que sejam importantes. Se calhar algumas coisas a que os meus colegas do Clube de Alunos, dão valor, eu não dou assim tanta importância. Considero que outras iniciativas faziam mais sentido e essas não são levadas a cabo. Por exemplo: eu não acho importante celebrar o dia das mentiras, há tanta gente que mente todos os dias do ano, por isso acho que o dia das mentiras não é muito importante. Não vejo assim nenhum dia que não sendo comemorado, se devesse comemorar. Para mim faria mais sentido realizar iniciativas independentemente de os dias serem ou não importantes. Porque aqui no projeto do clube de Alunos a única coisa que está mal é que nós só comemoramos os dias considerados mais importantes. Até podíamos fazer atividades todos os dias para alegrar um bocado o ambiente da escola. Uma das minhas espectativas antes ao entrar no clube de Alunos era dinamizar a escola porque é pouco alegre e pouco dinamizada.

Percebe alguma lacuna neste projeto que possa ser ultrapassada e permitir que o projeto funcione melhor?

O Clube de alunos organizar-se de forma a poder dinamizar e dar mais alegria ao dia a dia na escola. Mesmo que não fosse todos os dias, mas com muito mais frequência para se dar mais dinâmica à escola.

5. Seria possível melhorar este/alguns aspetos em futuros projetos? em termos de duração, estrutura, metodologias …

Sim eu gostaria de tornar a escola mais dinâmica e se pudesse também gostaria de fazer com que as reuniões do clube de alunos em que preparamos as atividades fossem mais produtivas. Para isso é necessário que as reuniões durem mais tempo. Normalmente é uma hora ou menos. É Uma coisa sempre a correr porque as pessoas estão sempre com pressa. Mas para mim devia ser uma hora e meia. Em que todos nos pudéssemos juntar para termos as ideias e não ser tudo feito à pressa. Porque o tempo por semana que dedicamos a este clube e às tarefas inerentes às iniciativas, deveria ser um bocadinho maior.

Em vez de estarmos só a falar podíamos investigar mais, tentar trabalhar mesmo em algo concreto em tarefas concretas. Não ser apenas pensar nisto ou naquilo. Acho que tem que ser mesmo trabalhar asserio. Para mim tinha que haver uma parte inicial de tomada de decisões e de ponto de situação e continuar com mais tempo à execução conjunta das tarefas necessárias. Por exemplo fazer um cartaz, ou fazer rifas, ou contactar as instituições. Para mim as reuniões deveriam ser mais demoradas e para trabalho em sala, em vez de cada um fazer as tarefas isoladamente, porque não é tão produtivo, fazermos as coisas juntos porque além de nos ajudarmos uns aos outros podemos controlar a eficiência na realização das tarefas. Alem disso também há opiniões diferentes e se um está no computador a fazer um cartaz, todos podem ver e dar a sua opinião. Desta forma não nos prendemos na burocracia de levar a tarefa para casa, e depois consensualizar diversas opiniões na concretização de uma tarefa.

6. Mediante as aprendizagens adquiridas ao longo do projeto encara a possibilidade de vir a criar outros projetos sociais ou profissionais depois de terminar a sua formação profissional? Porquê?

Sim. Eu gosto de Criar iniciativas e projetos. Acho mais interessante criar porque implica investigar pensar as formas e processos na realização de um objetivo. Para mim é muito mais interessante criar um projeto do que participar num já existente. Não me importava de participar, mas criar é mais aliciante. Considero muito a possibilidade de criar tanto projetos de intervenção social como ao nível de criação do meu próprio negócio. No próximo ano vou fazer a Minha Prova de aptidão profissional que implica pensar um projeto para implementação futura num cotexto profissional. Esse é um projeto que vou fazer durante o próximo ano, leva o ano inteiro a preparar e depois vai ser apresentado a um júri e se for considerado um projeto muito bom para ser implementado. Quando acabar o meu curso é algo que gostaria de concretizar.

7. Que tipos de dificuldades poderão surgir na criação de outros projetos sociais ou profissionais depois de terminar a sua formação profissional? Quais as estratégias que utilizaria para superar/ minimizar estas dificuldades?

Depende. Como ainda não estou a trabalhar a fundo nesse projeto (PAP) ainda não estou bem dentro daquilo que podem ser as dificuldades que posso encontrar. Mesmo ao nível das minhas competências pessoais não identifico nenhuma característica que pudesse ser uma limitação para um projeto de futuro. Para fazer as coisas vou à procura das formas disponíveis e mais eficazes para atingir os meus objetivos. Por isso qualquer dificuldade que possa encontrar na realização de um projeto futuro, penso que será solucionada porque se não poder ir pelo caminho mais usual irei procurar um atalho que me permita lá chegar. Terei que usar de uma postura flexível, logo adaptável à realidade do momento, para não deixar cair os meus projetos. Penso que a única dificuldade que posso encontrar é apostar numa área que depois venho a percecionar que o público- alvo é escasso. Por exemplo fazer um plano para uma área que de momento me parece mais viável e quando a quiser concretizar as coisas terem mudado ao ponto que não haver saída para o meu projeto. No fundo uma dificuldade que posso encontrar é em ser assertiva no tipo de projeto que vou preparar. Imagine que eu vou abrir um negócio a pensar que tenho um público que o justifique e depois com o passar do tempo me apercebo que afinal não tenho clientes para o meu produto.

8. Gostaria de acrescentar mais alguma informação relevante para este estudo?

Não. Penso que disse tudo.

9. Dados caracterização do entrevistado

(Nome e idade não relevados por questão de confidencialidade)

Nacionalidade- Portuguesa

Habilitações Literárias 9º

Curso a frequentar Técnico de turismo

Duração do curso 3 anos.



Muito obrigado pela sua colaboração!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   35


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal