Alunos graduação de medicina participam de estágio no Centro Infantil Boldrini



Baixar 19,11 Kb.
Encontro03.04.2018
Tamanho19,11 Kb.

Boldrini faz 37 anos com um novo caminho



No dia 25 de janeiro, o Centro Infantil Boldrini completa 37 anos de atendimento a pacientes com câncer e doenças do sangue. Nesse período, aproximadamente 33 mil crianças e adolescentes foram atendidos pela instituição de Campinas (SP). Atualmente, estão em tratamento cerca de10 mil pacientes, sendo a grande maioria via Sistema Único de Saúde (SUS).
Para marcar a comemoração, de forma inédita, o Boldrini abre as portas da instituição para estágio a alunos de graduação da medicina e outras áreas da saúde, como farmácia, biologia e biomedicina. O curso que acontece no período de férias, com duração de dois meses em tempo integral, tem o objetivo de proporcionar um ambiente de aprendizado voltado para os aspectos relacionados aos exames utilizados ao diagnóstico e acompanhamento dos pacientes. A análise sobre os benefícios e riscos dos métodos empregados destas ferramentas de trabalho proporciona senso crítico sobre análise de causas de erro e de interpretação dos resultados de exames laboratoriais e de imagem, e ainda permite aos alunos se familiarizarem na transposição dos conhecimentos das áreas básicas, como o sistema imune, a histologia, a anatomia patológica, a genética, a biologia molecular, a epidemiologia e os fármacos, com a área clínica, através da participação de reuniões de discussões de casos clínicos.
Para a doutora Silvia Brandalise, presidente do Boldrini, “existe a necessidade de estimular um novo perfil de profissionais, incentivando a iniciação científica, o desenvolvimento de raciocínio crítico embasado em evidências científicas. Essa postura em muito auxiliará o aluno no desenvolvimento da futura profissão, independentemente da área de atuação. É de alta relevância, nesse momento do curso de graduação, estimular o aluno a se interessar por pesquisa. O Brasil precisa de mais jovens investigadores. Organizações internacionais voltadas para a oncologia e hematologia pediátricas, como a Sociedade Internacional de Oncologia Pediátrica (SIOP) e a Sociedade Americana de Hematologia e Oncologia Pediátrica (ASPHO), propiciam auxílios significativos para a participação dos alunos e jovens profissionais em congressos científicos internacionais, oferecendo premiações específicas para os jovens pesquisadores”.
Ainda de acordo com a doutora Silvia, “pela participação efetiva do Boldrini nessas duas sociedades científicas, um novo caminho será delineado para esta década. No passado recente, sempre estivemos voltados para alunos de pós-graduação, além da capacitação de médicos residentes e de programas de aprimoramento de outras áreas da saúde, como enfermagem, nutrição, psicologia e serviço social. O olhar voltado para os alunos ainda na graduação com certeza propiciará um incremento no desenvolvimento das pesquisas nessas áreas médicas da criança e do adolescente, projetando o Brasil no cenário científico”.
Um bom exemplo é o professor doutor André Almeida Schenka, do departamento de Farmacologia e Anatomia Patológica da Unicamp. Ele fez curso de iniciação científica no Boldrini. “Esse estágio me abriu muitas portas. Aprendi valores no Boldrini, como amor pelos pacientes, a garra, a perseverança. Saber que é possível fazer medicina e ciência de qualidade com amor em nosso país”, avalia.
Inspirado na pesquisadora Silvia Brandalise, o professor Schenka decidiu na época fazer o estágio de iniciação científica no Boldrini. A pesquisa de conclusão do estágio dele sobre a incidência de câncer de mama e de colo uterino e a relação com o desenvolvimento socioeconômico das diferentes regiões brasileiras foi selecionada e premiada pelo Ministério da Saúde, com uma viagem para aprendizado no exterior. O curso de verão em oncologia para graduandos aconteceu no Hospital Acadêmico da cidade de Groningen (Academisch Ziekenhuis Groningen), na Holanda. A pesquisa de Schenka também recebeu menção honrosa no congresso realizado no final do curso naquele país.
Na volta ao Brasil, depois de terminar a residência, foi convidado a integrar a equipe do Boldrini. Atualmente, trabalha com histomorfometria e patologia molecular aplicadas a estudos farmacológicos voltados para o desenvolvimento de novos fármacos antineoplásicos na Unicamp.
A comemoração com funcionários, voluntários e pacientes do Boldrini será no dia 27, às 9 horas, com direito a bolo, refrigerantes e o tradicional Parabéns a você. Centro Infantil Boldrini – www.boldrini.org.br - (19) 3787-5000

NÚMEROS BOLDRINI 2014

 

Internações – 4.074
Consultas Ambulatoriais
Hospital –  54.739

Reabilitação – 3.054

Radioterapia – 4.369

Total – 62.162



Procedimentos
Cirurgias – 672

Ambulatoriais – 5.934

Sessões de Quimioterapia – 26.264

Procedimentos Banco de Sangue – 9.150

Exames Laboratório Análises Clínicas – 202.205

Exames Laboratório Análises Patológicas – 2.078

Exames de Imagem – 18.297

Sessões Fisioterapia Hospital – 5.456

Sessões Fisioterapia Reabilitação – 16.792

Transplantes – 11

Aplicações Radioterapia – 27.752

Mapeamento Retina Instituto Pediatria – 882



Casos Novos Hospital – 647 (sendo 409 via SUS) 
Casos Novos Radioterapia – 936 (sendo 653 via SUS)
Total – 1.583 (1.062 via SUS)
Pacientes em acompanhamento –  10 mil

Funcionários – 794

Voluntários - 450


Mais informações para a imprensa:

Irani de Souza – MTb 15.635



Singular Comunicação

Tels. (11) 5090-0590 / 5093-0226



singularcomunicacao@singularcomunicacao.com


Compartilhe com seus amigos:


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal