[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!


Marli me apresentou o mundo dos “bacanas” que eu ainda não conhecia e eu a amei muito; eu diria que tanto quanto eu amo a minha esposa Cidinha



Baixar 2,07 Mb.
Página62/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   58   59   60   61   62   63   64   65   ...   354
...Marli me apresentou o mundo dos “bacanas” que eu ainda não conhecia e eu a amei muito; eu diria que tanto quanto eu amo a minha esposa Cidinha;

Taty ao que tudo indica, mexeu com você e o fato de não ter consumado a satisfação de seus desejos com relação a ela foi uma frustração evidente. Eu sinceramente acho que ela é uma oportunista, mas quem sou eu para achar alguma coisa.

...é fato que ela me seduziu por inteiro com o seu charme e elegância, com a sua voz e o seu sotaque carioca que eu amei muito; também é fato que eu saí de lá frustrado por não ter tido o privilégio de sentir o doce do beijo dela; se ela é ou não oportunista isso pouco me importa porque ela jamais iria subtrair de mim uma quantia que eu não estivesse disposto a lhe oferecer, tendo em vista que a quantia em dinheiro que eu dei a ela é insignificante para mim; e tem mais, ela solicitou a título de empréstimo, mas eu dei a ela como poderia dar pra você que tanto gosto a mesma quantia ou mais; graças a Deus eu fui privilegiado com a sorte de ter uns trocados a mais;

Você sempre me disse que tinha medo de ir ao Rio por causa da violência e tudo mais: mais foi ao encontro dela sem pestanejar e eu imagino o quanto ela deve ter deixado parecer em promessas e intenções que o fez se aventurar nessa viagem. Foi ao Rio para vê-la; eu FUI ver você; percebe a diferença?

... eu percebo sim a diferença e lhe sou muito mais grato pelo pouco que fiquei ao seu lado muito mais do que o tempo “perdido” que fiquei ao lado dela, porém de nenhuma eu consegui um beijo como eu desejava e você nem me permitiu roubar um beijo seu naquele momento breve em que estivemos a sós no meu quarto de Hotel;

Ela não teve pudores em aceitar seu dinheiro, mesmo sendo uma mulher casada, e ainda nem eram amantes de fato. E depois de tudo, vem com aquelas acusações, taxando você de psicopata, esquizofrênico, aproveitador e mentiroso.

...isso somente denegriu a imagem dela e não a minha; você deve ter percebido que isso em nada me abalou, mas certamente ela se sentiu diminuída por ter estado ao lado de um “psicopata e esquizofrênico” que não atentou contra a integridade física dela, mas que a ajudou em suas necessidades financeiras; quem é o “louco” nesta história? Tire as suas conclusões;

A Incógnita não inventou nada sobre você nem sobre seu caso com Taty; ela não disse nada que não esteja escrito de forma explícita em seus textos para quem quiser ler. Ela não acrescentou uma linha. Ela foi dura? Maldosa? Impertinente? Invasiva? O que ela queria de fato?

... eu posso estar equivocado, mas esta “incógnita” escreve tão bem quanto você e destila o mesmo “veneno” seu; eu não tenho dúvidas de que seja você; a linguagem utilizada é a mesma e eu conheço muito bem você em cada linha escrita por você, minha amada “incógnita”; dura, maldosa, impertinente, invasiva e muito mais porque ela (você), deve me amar muito e eu lhe sou grato por este zelo por mim;

Ora, nós que escrevemos e publicamos nossos escritos estamos sujeitos a esse tipo de abordagem, de comentário; faz parte do processo. Eu mesma já recebi muitos comentários ofensivos e inoportunos em minha página e simplesmente os deletei. Parece-me que o que mais o aborreceu foi o fato dela tê-lo desafiado, coisa que você não está acostumado e nem se permite.

...somente uma mulher ousada e abusada cometeria a estupidez de me desafiar no campo das letras; essa mulher única aqui é você até o presente momento e isso muito me faz admirá-la pela coragem e competência singulares, além é claro da sua singular e rara beleza; você é linda e muito inteligente e eu nunca neguei isso;

Eu continuo achando que aquele jogo de poder, de interesse, mesmo sendo um jogo ilusório o deleitou. Saber-se "disputado" por duas pretendentes (uma real que é a Taty, disfarçada de Eva) e a outra virtual chamada “incógnita”. Na verdade, dois extremos: de um lado uma mulher bonita (segundo você), interessante, infeliz no casamento (ou não), carente e oportunista (desse comentário não abro mão). Mas uma mulher de mente estreita, limitada, que escreve mal e se acha poetisa.

...é fato que Taty é muito linda e sua voz com sotaque carioca me deixou maluco; ser “disputado” por duas lindas mulheres com conhecimentos distintos me deixou envaidecido e até muito honrado e orgulhoso deste feito; jamais eu me imaginaria no Rio ao lado de duas beldades e sendo uma delas você; Taty pode até ter a mente estreita, mas aquela “Eva” escrevia mesmo muito mal e até podia ser a Taty, mas não a “Professora Taty” que eu amei e ainda amo;

Do outro, outra mulher de personalidade forte, inteligente, brilhante e quem sabe, bonita também. Uma mulher muito bem resolvida que resolveu desafiá-lo, que o convidou para um jogo que você não soube jogar.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   58   59   60   61   62   63   64   65   ...   354


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal