[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!


A “Incógnita” e a “Fulaninha do Catete”!



Baixar 2,07 Mb.
Página50/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   354
A “Incógnita” e a “Fulaninha do Catete”!

Jamais eu poderia me imaginar numa situação tão delicada e ao mesmo tempo surreal. Inacreditável a proporção que isso tudo está tomando e eu me vejo vitimado pelas confusões das quais não sou menos culpado. É fato que eu amo demasiadamente o sexo frágil, mas não a este ponto de me tornar alvo de “disputa” entre lindas e inteligentes meninas mulheres. Se desse conflito eu fosse beneficiado com o amor de pelo menos uma delas, aí sim eu iria me sentir feliz por demais. Ambas se estressam e me estressam, se agridem verbalmente através da escrita e eu fico com cara de “Mané” neste fogo cruzado.

Para os meus leitores que desconhecem esta história toda, cabe dizer que eu estou tão perplexo quanto aos meus fiéis leitores que têm me visitado e visto que estas lindas meninas mulheres de codinomes “incógnita” e “Taty / Eva...” estão me deixando constrangido e mal visto diante de outras colegas poetisas e poetas. Acalmem-se meninas porque o meu coração é bem maior do que o coração de uma mãe e aqui eu tenho amor de sobra para ambas e outras mais.

É difícil saber até que ponto tudo isso realmente procede, pois eu me imagino tão vítima quanto a quaisquer umas delas. Se bem que na minha cabeça passa algo meio estranho que eu ainda não pude comprovar com cem por cento de certeza, mas chego a pensar que ambas não passam de uma só. E por vezes eu acho impossível porque ambas já comentaram no mesmo horário; isso é impossível e improvável. Por isso eu acredito na existência de duas poetisas, pois eu tenho em meus arquivos os e-mails e comentários de ambas em horários idênticos. Não me resta dúvida de que sejam realmente duas lindas meninas mulheres.

Devo considerar que a “incógnita” mexe com os meus neurônios porque me parece muito superior “intelectualmente” à menina “Taty / Eva...”. Ou então, esta última está se fazendo de “medíocre” para tentar me ludibriar, pois eu sei que a minha verdadeira “Taty” é uma menina mulher carioca linda, fina, educada, fascinante, brilhante e inteligente. “Taty” certamente está tentando me confundir com este codinome “Eva...”. É querer demais! Subestimar-me a tal ponto não é coisa de menina mulher inteligente! Poupe-me, eu lhes suplico!

Por outro lado, se “Taty” continuar usando desta estratégia, ela poderá me fazer apaixonar ainda mais por esta linda e intelectualizada menina mulher poetisa brilhante e inteligente de codinome “incógnita”! Beijo, carinhosa e respeitosamente, ambas porque sei que não sou merecedor, e menos ainda digno, de uma “disputa” amorosa que muito me alegra e me envaidece. E está dito!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   354


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal