[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!



Baixar 2,07 Mb.
Página327/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   323   324   325   326   327   328   329   330   ...   354
Pessoas desprezíveis!

Detesto o comportamento de certas pessoas que têm a mania de desfazer daquilo que pertence aos outros desdenhando e dizendo que o que ele possui tem valor, mas o objeto do outro não e assim por diante em outras situações análogas. Isso já aconteceu comigo várias vezes, pois nunca vi alguém com tanta sorte para o azar como eu. É inacreditável!

Certa feita eu fui visitar minha cunhada num distrito aqui da minha cidade e na volta, por volta das dezessete horas, um primo da minha esposa esperava pelo ônibus que logo passaria ali e ele viria para casa. Por se tratar de “parente”, oferecemos carona para ele em nosso possante Chevette 83 e no caminho eu comentei com ele que queria vender o Chevette para ajudar na construção da minha primeira casa.

Disse a ele que venderia por três mil reais à vista para quem aparecesse primeiro e estivesse interessado, ao que ele retrucou me dizendo que eu teria carro para a vida toda, pois jamais alguém pagaria três mil por aquela lata velha. Senti vontade de fazê-lo descer do meu carro; por pouco não o fiz. Filho de uma égua; desfazer do meu veículo dentro dele como carona! Fiquei chateado com ele e quando eu o vejo nas missas dominicais eu me lembro de orar por ele; invejoso e besta quadrado!

Vendi o carro pelo valor que queria e coloquei a laje da minha casa. Deus providenciou o comprador que era cunhado de uma prima minha e pagou em dinheiro limpo! Fiquei por dois anos sem carro e depois comprei à vista um gol quadrado ano 94. Aliás, só compro à vista e sou muito honesto em meus negócios e jamais desfaço ou desdenho das coisas alheias; o que é do outro pra mim é muito valoroso mesmo eu não podendo comprar.

E há poucos dias um cabeleireiro colega meu disse querer vender seu carro ano 2010 por vinte e quatro mil reais e eu disse que venderia o meu pelo mesmo valor e ele me disse que o meu não valeria jamais este preço por ser 2007. Perguntei se o dele era completo, pois o meu é e por isso eu só venderia por este preço. Ele me disse a mesma coisa daquele "parente ingrato" de que eu teria carro pra vida toda. Que maldição! Por que as pessoas são assim? Por que desvalorizam as coisas alheias?

Então repliquei dizendo a ele que gostava muito do meu Gol Flex Power 1.6, prata, ano 2007, e que ficaria com ele por ser um carro com apenas cinquenta mil quilômetros rodados em sete anos e apenas uma revisão de rotina aos cinquenta mil. Estava muito feliz com o meu bem móvel e não pretendia me desfazer dele, apenas comentei que este seria o valor. Elogiei o dele e disse que valeria muito mais, que ele devia pedir trinta mil ou mais, mas que vendesse para quem pudesse pagar e não a mim; mal sabe ele que eu posso pagar, mas carro só dá prejuízos e eu não teria motivos para desejar comprar o carro dele. E está dito!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   323   324   325   326   327   328   329   330   ...   354


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa