[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!


Por que tantas “POLÍCIAS”?



Baixar 2,07 Mb.
Página303/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   299   300   301   302   303   304   305   306   ...   354
Por que tantas “POLÍCIAS”?

Eu sempre me questiono a razão de haver tantas denominações policiais e por que não unificar as “polícias” para a melhor eficiência do trabalho e compreensão da população. Por que tantas “polícias” se elas não são harmônicas entre si? Aqui na minha cidade houve um atrito, há tempos atrás, e as “polícias” militar e civil que dividiam o mesmo prédio precisaram se dividir; irônico é que ambas se deram as costas “literalmente”, uma faz fundo com a outra no mesmo quarteirão e da janela do meu quarto avisto ambas. Que triste visão! Ainda bem que tem a linda paisagem da natureza no alto do morro para que eu a contemple.

O crime é dito como “organizado”, mas as “polícias” não me parecem nem um pouco “organizadas”. Vejam só a quantidade delas, sem dizer que eu posso me esquecer de mencionar muitas outras; temos polícia militar em todos os Estados e elas possuem quatro unidades diferentes, porém todas militarizadas. São elas: ambiental (antiga florestal), rodoviária (aqui falo da estadual), o corpo de bombeiros (pra mim a mais produtiva e necessária) e a infantaria (estes “milicos” que ficam nas ruas sempre prontos para multar).

Além dessa polícia militarizada, temos a Polícia Federal, a Rodoviária Federal, a Científica, a Civil, a Guarda Municipal (a Metropolitana), etc. É preciso tudo isso? Para quê? Por quê? Qual a verdadeira utilidade delas? E somos nós que pagamos por todas que são preparadas de maneira diferenciada; algumas mal preparadas e outras mais bem preparadas. Todavia, na linha de frente estão sempre os menos instruídos e os “oficiais ou comandantes” sempre nos escritórios ou na retaguarda. Dificilmente um “coroné” é atingido numa manifestação; isso porque o esperto coloca o “besta quadrado do subordinado à frente”. É cômico! Dá pena! Mas eu me arrebento de rir!

A população desconhece o prejuízo que isso causa a todos nós, ou seja, tantas “polícias” para nada. No crime “ORGANIZADO” também há divisões, mas eles são “ORGANIZADOS” e as nossas “polícias” não são assim adjetivadas porque são, de fato, “DESORGANIZADAS” a ponto de brigarem entre si como também fazem os “marginais”.

Eu conheço a sala, a cozinha, os porões e etc. desta casa militarizada, afinal sou “O PRESIDIÁRIO” e não simplesmente mais um presidiário. Eu observei atentamente o “modus operandi” destes seres militarizados que chamam a população de “paisano, feinhos, Zé ninguém, Zé povinho”, etc. Por isso eu pergunto aos “ILUSTRES SENHORES GOVERNANTES DESTE PAÍS” até quando isso vai durar? Unificação já! Instrução adequada já! Salário, respeito e dignidade já e não somente aos policiais, mas principalmente à população que paga por tudo isso, pois enquanto durar esta inépcia o Brasil jamais será profícuo e conspícuo! E está dito!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   299   300   301   302   303   304   305   306   ...   354


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
terapia intensiva
Conselho nacional
Curriculum vitae
oficial prefeitura
ensino médio
minas gerais
Boletim oficial
Concurso público
educaçÃo infantil
Universidade estadual
seletivo simplificado
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
Conselho regional
assistência social
ciências humanas
Atividade estruturada
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
Dispõe sobre
outras providências
recursos humanos
secretaria municipal
Conselho municipal
psicologia programa
Colégio estadual
consentimento livre
ResoluçÃo consepe
Relatório técnico
Corte interamericana
público federal
ministério público