[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!


E foram tantas que hoje ela mora com ele e a amizade entre os dois inseparáveis amigos não mais existe. Até que enfim, separados!



Baixar 2,07 Mb.
Página168/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   164   165   166   167   168   169   170   171   ...   354
E foram tantas que hoje ela mora com ele e a amizade entre os dois inseparáveis amigos não mais existe. Até que enfim, separados!

O corno manso!

Eu fico até chateado de falar sobre este assunto porque se trata de uma pessoa que gostei muito e que só meu deu excelentes conselhos quando eu era jovem. Ainda sou; mas quando eu era bem mocinho!

Eu trabalhava de servente de pedreiro e passava muita necessidade, mas sobrevivia; aliás, pior que ser servente de pedreiro só sendo “militarizado”! E certo dia eu presenciei um fato que muito me chamou a atenção.

Explico-lhes com muita calma porque eu quase achei que estava enlouquecendo! Ou que pudesse ainda estar embriagado dos goles que tomei na noite anterior! Porém, não era nada disso, Todavia, só mais tarde fui perceber que não delirava e que era verdade o que eu tinha visto.

Pois bem, eu estava lá, trabalhando com o “Sérgio” (nome fictício) o meu patrão pedreiro, na casa do Sr Arthur, deficiente físico, aposentado, muitíssimo inteligente e educado, marido de uma “modelo”, bem mais jovem que ele. Um casal lindo! Ela com pouco mais de 30 anos e ele, talvez, uns 45 ou pouco mais. Eu tinha 19 ou 20 anos; não me lembro mais. Só sei que naquela segunda-feira eu vi algo muito estranho acontecer naquela obra de reforma da casa do Sr Arthur.

É preciso que eu diga que a Senhora “Vanda” estava acima de qualquer suspeita, pois era uma esposa admirável e tratava seu marido com muito amor e seus filhos com devoção todos os dias. Quantas vezes eu disse a mim mesmo que queria uma mulher como ela pra ser minha esposa. Caramba! Além de linda, ela era muito educada e prestativa!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   164   165   166   167   168   169   170   171   ...   354


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal