[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!



Baixar 2,07 Mb.
Página155/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   151   152   153   154   155   156   157   158   ...   354
ELE fez, por mim, justiça de uma maneira tão perfeita que os meus “inimigos” pagaram um alto preço pelo que me fizeram. A maioria desses “espertalhões” é digna de dó, pena.

Eles não cresceram em nada. São seres “miúdos” em tudo. Pior ainda, estando vivendo numa miséria material (e espiritual) enormes. Muitos deles são alcoólatras crônicos, outros vagabundeiam pela cidade aplicando os velhos golpes de sempre, mas nunca é o suficiente para viverem numa boa. São trapaceiros tão abjetos e repulsivos que convivem diuturnamente com a miséria.

E falando dos “ilustres” trapaceiros, daqueles que se enriqueceram explorando outros infelizes, algumas tragédias e doenças incuráveis têm lhes ocorrido. De modo que não foi preciso que eu me vingasse dos males que eles me fizeram.

Somente para ilustrar um caso desses, quando eu era menino de mais ou menos uns 10 anos, um senhor rico e bem sucedido na cidade (conhecido por todos) me presenteou, às vésperas do Natal, com uma bacia cheia de carne de porco que eu sofri para levar até minha casa naqueles longos dois quarteirões. A alegria foi imensa até o momento de preparar a carne; era esmola demais, pois a carne estava imprópria para o consumo. Era carne de “cachaço” (porco velho e reprodutor) e cheirava à urina.

A minha irmã mais velha (hoje falecida) quis jogar na área da casa do “ilustre senhor”, mas minha mãe (também falecida) não permitiu. E até parece mentira, pois eu havia apostado numa rifa de um bar naqueles mesmos dias e fiquei muito feliz ao saber que eu ganhara um suculento pernil para o meu Natal. E pasmem, o dono do bar me “ordenou” a marcar um novo número para o Ano Novo, já que eu era o feliz ganhador do pernil de Natal; acreditem se quiserem, ganhei de novo. E comi pernil no Ano Novo de novo. Depois disso, faz um tempão que não ganho mais nada em jogos ou rifas.

Pobre e “ilustre senhor”, como ele sofreu com o câncer de intestino que o levou à morte. Tive pena dele. Mas vingar, nem pensar. Deus é muito JUSTO! JUSTÍSSIMO! E é bem verdade que colhemos o que plantamos!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   151   152   153   154   155   156   157   158   ...   354


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa