[A vida como ela é] Aquela simpática senhora!


E assim eu procedi. E que animal fedorento! Mesmo lavando minhas mãos por inúmeras vezes, ontem e hoje, ainda sinto o mau cheiro do sangue do animal



Baixar 2,07 Mb.
Página149/354
Encontro29.11.2019
Tamanho2,07 Mb.
1   ...   145   146   147   148   149   150   151   152   ...   354
E assim eu procedi. E que animal fedorento! Mesmo lavando minhas mãos por inúmeras vezes, ontem e hoje, ainda sinto o mau cheiro do sangue do animal.

Fiquei assustado, porém não revoltado. Não esbravejei e nem fiquei maldizendo. Tive muita sorte, pois poderia ter sido pior. Nada sofri além do susto e os danos materiais foram mínimos. Quem mais sofreu foi a pobre capivara que faleceu de imediato.

Ao chegar em minha casa justifiquei o atraso e mostrei o carro avariado à minha Cidinha. Depois raciocinamos juntos que tudo isso é propósito de Deus. E daí eu me lembrei daquele tempo em que eu não tinha paciência e que maldizia tudo. Lembrei-me das duas batidas de carro que meu filho se envolveu e o prejuízo que isso nos causou; nesta época eu esbravejei como um perfeito idiota. Demorou, mas após 40 e tantos anos sou outro homem e nada me “desequilibra” com facilidade; nem mesmo a conta apresentada pelo funileiro!

Estou certíssimo de que Deus sabe o melhor para mim e por isso eu o bendigo por me poupar deste quase “trágico” acidente automobilístico. Agora, nem o susto sobrou; só a alegria de estar bem e sem nenhum arranhão. Meu filho ainda não sabe. Ele foi dormir na casa da namorada em Cândido Mota, mas quando chegar e souber vai “tirar uma com a minha cara”. Lamento pela capivara! Contudo, louvo e agradeço a Deus meu protetor e salvador! Amém!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   145   146   147   148   149   150   151   152   ...   354


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal