A. M. E. Prof.(a): Maíse Rodrigues Data: / /2017 Aluno(a): nº Atividade de Língua Portuguesa 2º ano 1



Baixar 391,07 Kb.
Página5/12
Encontro11.10.2018
Tamanho391,07 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12
Poetas e tipógrafos
Vice-cônsul do Brasil em Barcelona em 1947, o poeta João Cabral de Melo Neto foi a um médico por causa de sua crônica dor de cabeça. Ele lhe receitou exercícios físicos, para “canalizar a tensão”. João Cabral seguiu o conselho.

Comprou uma prensa manual e passou a produzir à mão, domesticamente, os próprios livros e os dos amigos. E, com tal “ginástica poética”, como a chamava, tornou-se essa ave rara e fascinante: um editor artesanal.

Um livro recém-lançado, “Editores Artesanais Brasileiros”, de Gisela Creni, conta a história de João Cabral e de outros sonhadores que, desde os anos 50, enriqueceram a cultura brasileira a partir de seu quarto dos fundos ou de um galpão no quintal.

O editor artesanal dispõe de uma minitipografia e faz tudo: escolhe a tipologia, compõe o texto, diagrama-o, produz as ilustrações, tira provas, revisa, compra o papel e imprime – em folhas soltas, não costuradas – 100 ou 200 lindos exemplares de um livrinho que, se não fosse por ele, nunca seria publicado. Daí, distribui-os aos subscritores (amigos que se comprometeram a comprar um exemplar). O resto, dá ao autor. Os livreiros não querem nem saber.

Foi assim que nasceram, em pequenos livros, poemas de – acredite ou não – João Cabral, Manuel Bandeira, Drummond, Cecília Meireles, Joaquim Cardozo, Vinicius de Moraes, Lêdo Ivo, Paulo Mendes Campos, Jorge de Lima e até o conto “Com o Vaqueiro Mariano” (1952), de GuimarãesRosa.

E de Donne, Baudelaire, Lautréamont, Rimbaud, Mallarmé, Keats, Rilke, Eliot, Lorca, Cummings e outros, traduzidos por amor.

João Cabral não se curou da dor de cabeça, mas valeu.
(Ruy Castro. Folha de S.Paulo, 17.08.2013. Adaptado.)
12. Assinale a alternativa em que se analisa corretamente o fato linguístico do texto.

a) No trecho – O resto, dá ao autor. – (3.º parágrafo), a vírgula está indevidamente empregada, pois não se separam termos imediatos, no caso, sujeito e verbo da oração.

b) No trecho – João Cabral não se curou da dor de cabeça, mas valeu. – (5.º parágrafo), o verbo valer está flexionado, concordando com a expressão João Cabral.

c) No trecho – enriqueceram a cultura brasileira a partir de seu quarto – (2.º parágrafo), o pronome em destaque refere-se ao poeta João Cabral de Melo Neto.

d) No trecho – Comprou uma prensa manual e passou a produzir à mão – (1.º parágrafo), a expressão em destaque indica circunstância de conformidade.

e) No trecho – 100 ou 200 lindos exemplares de um livrinho – (3.º parágrafo), o diminutivo do substantivo em destaque carrega-o de conotação afetiva.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

A(s) questão(ões) a seguir abordam um poema de Raul de Leoni (1895-1926).





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal